Ninguém quer envelhecer em uma sociedade que cultua a juventude e trata a velhice como algo a ser evitado. Mas a beleza vale qualquer preço?

O culto à juventude e a vida financeira

Não é segredo para ninguém que as mulheres têm sido cada vez mais pressionadas a não envelhecerem nunca, como se isso fosse possível.

Diante disso, lá vão as mais influenciáveis “esticar” aqui, “puxar” ali, preencher acolá…

E o resultado disso são pessoas com o mesmo nariz, o mesmo queixo, o mesmo biquinho para selfie (argh…!) e até a mesma testa sem expressão alguma.

Não sou contra cirurgia plástica ou tratamentos estéticos. Já contei aqui que fiz uma otoplastia – para corrigir orelhas de abano – e também apliquei um pouco de botox entre as sobrancelhas uma vez.

Porém, o que não podemos de forma alguma é nos deixar levar por essa indústria que insiste em dizer todos os dias que precisamos “melhorar” a nossa aparência e que nunca estamos bem o suficiente.

É preciso entender que cada fase da vida tem sua importância e querer evitar o inevitável é pura perda de tempo, além de ser uma receita infalível para a frustração.

Mas aí você pode questionar: “Ora, se você pensa assim, por que fez plástica e já usou botox?”

Primeiramente eu fiz a otoplastia aos 28 anos de idade e o que me levou a dizer sim ao bisturi foi que ganhei a cirugia! rs…rs…

Eu realmente tinha uma deformidade que, em alguns dias, me incomodava muito, apesar de que em outros eu nem lembrava que tinha orelhas.

E a questão do botox foi para aliviar a tensão de estar sempre parecendo brava, quando na verdade estava só séria.

Fiz há mais de um ano atrás e nunca mais retoquei. É o tipo de coisa que não me tira o sono.

E não me tira o sono por dois motivos:
  1. Não é uma preocupação em parecer mais jovem
  2. É uma despesa que não faz diferença no meu orçamento

O que me entristece é ver pessoas fazendo um carnê gigante para pagar profissionais de competência duvidosa e ficar anos passando aperto financeiro por uma coisa da qual nem tinham necessidade.

Eu sei bem o quanto tive de rodar até achar uma médica que fizesse apenas o que eu pedi, sem querer “resgatar minha juventude” e mudar o meu rosto todo como se eu tivesse sofrido um acidente…

Para a maioria dos dermatologistas eu “precisava” de uma blefaroplastia, um preenchimento no “bigode chinês”, dar uma esticada no pescoço (!) e fazer a novidade do momento: harmonização facial.

De acordo com eles eu ficaria “perfeita” e demonstrando toda a minha “juventude” com a aplicação de “apenas” umas 25 ou 30 ampolas.

Se eu desse ouvidos a todos os defeitos que colocaram no meu rosto, é provável que estaria até agora usando um saco de papel pardo na cabeça!

Lembre-se: é apenas para lucrar!

Em conclusão: a beleza é um ramo no qual não há crise.

Pode vir pandemia, pandemônio, ciclone ou furacão e a mulherada vai continuar comprando cosméticos e fazendo tratamentos estéticos.

Até aí, nada contra, afinal, cada um é livre para fazer o que bem quiser.

Mas, jamais se esqueça: todos os “defeitos” que eles querem fazer você e eu acharmos que temos é para que eles ganhem muito, mas muito dinheiro.

Para terminar, quero deixar o link de um vídeo muito interessante que postei no meu canal três anos atrás, mas que continua bem atual.

Nele, mostro essa foto e outros truques da publicidade,  produzidos com o intuito de fazer você se achar a pior das mulheres e correr para comprar todas as “soluções” que a indústria da beleza oferece.

Reserve 10 minutos e clique aqui para assistir!

 

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Nos vemos amanhã dando sequência aos nossos 100 dias!

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • “A beleza vale qualquer preço?” para o mundo da eterna juventude ,sim.
    Para as pessoas que aceita o ciclo natural de todos os seres humanos,sabe ,não importa o que faça….vão envelhecer..quer queira,ou NÃO.

  • Bom dia querida! Eu trabalho na área da beleza, sou esteticista há 13 anos, eu amo! Mas tá uma loucura essa coisa da Harmonização facial, tem cliente que gasta horrores e fica igual. São vários profissionais trabalhando nesta área, sem contar que a durabilidade é pouca. Um grande abraço! 🤩

  • Isso é muito sério!

    Não sei aí no Brasil, mas aqui em Portugal ja reparei nas publicidades que eles arrumam uma forma de denegrir o produto de alguém para que as pessoas comprem o produto deles.

    Eu fico passada com isso!

    Tem uma publicidades que quer vender um ar condicionado portátil, e eles começam a colocar defeitos nos aparelhos mais antigos.

    Outra pior ainda: Querem vender um aparelho de ginástica e começam a dizer que você não precisa mais gastar dinheiro na academia, não precisa mais gastar com outros aparelhos etc…
    Compre esse aqui e resolve todos os seus problemas aff. palhaçada.

    Fora os produtos de beleza para estria, celulite, mancha na pele, tem o tal do chá para perder barriga, o produto tal que promete um milagre no cabelo… se a mulherada vai atrás disso tudo, não faz outra coisa da vida, haja dinheiro pra sustentar esse padrão deles.

    É como você diz no livro Virada Financeira na página 57, eu gosto muito desse trecho e é uma verdade: “Gente satisfeita não consome tanto quanto gente insatisfeita, então o que a sociedade consumista faz? Tenta convencê-la a todo custo que nada em você está “de acordo, fazendo-a sentir-se insatisfeita e levando-a a querer TER mais coisas.

    Abraço linda!

    • Eles falam o que as pessoas querem ouvir: que apenas com UMA atitude, UM produto, UM tratamento resolverão TODOS os problemas. O engraçado é que nem criança acredita nisso, mas pessoas adultas caem! Beijos, Lau 🙂

  • A sociedade, realmente, cobra muito das mulheres. Precisando ficar de olho e não nos deixarmos levar por toda essa pressão.

  • Boa tarde, fazer plástica simplesmente por vaidade, e estou fora. 😘

  • Olá Patrícia! Incrível mesmo, já se passaram três anos, não tinha visto o vídeo antes, mas tem muito da realidade atual. Além do exagero nos cuidados com a beleza, gastos exorbitantes, tem os casos de risco de vida. Muitas mulheres se submetem aos “tratamentos milagrosos” sem se preocuparem com a idoneidade dos profissionais, menos ainda com a origem e aplicação dos produtos utilizados, bem como as consequências pelo uso inadequado dos “recursos inovadores” para transformar a beleza natural em beleza fictícia. Abraços

  • Buenas tardes, Patricia!! Parabens!! A cada dia suas postagens nos mostra uma nova maneira de enfocar um desafio ou determinada situacao! E nesse sentido, com respeito a beleza e a busca da eterna juventude, que venham as ”canas” (os cabelos brancos),pois elas representam uma ”coroa de esplendor e, se obtem mediante uma vida justa.” Proverbios 16:31. E Deus tbm se agrada mais de uma atitude sincera do coracao do que qualquer outra coisa!! Um beijo carinhoso desde o sul da America- Uruguay! Desculpas pela grafia…meu PC esta complicado…rsrsr! 😉

  • Boa noite, Patricia,
    Amei o texto de hoje!
    Eu continuo tingindo meus cabelos porque fazer o inverso (ressaltar os brancos e daí por diante) o preço é bem salgadinho, rsrsrs…
    Eu me acho bonita, ainda mais depois que eu descobri a minha verdadeira identidade em Deus!
    A partir daí minha beleza vem se intensificando a cada dia!
    As cirurgias plásticas não existem somente para a vaidade, não mesmo! É muito além disso: é para devolver a auto estima, é para correção de problemas congênitos, então não pode ser generalizada como algo lucrativo para os profissionais. Há pessoas que nascem sem as orelhas, tem aquelas que sofrem acidentes ou até são mordidas…. sem contar os casos de acidentes de queimaduras, enfim, são muitos e muitos casos.
    E é claro, procurar um profissional meia boca não é nada inteligente! Para isso existem os Conselhos de Medicina e Associações de classes que já são um excelente ponto de partida na escolha de quem vai usar o bisturi nos corpos!

  • Nossa, Paty! E eu estava até com saudades de revistas físicas, uma nostalgia.
    Achei que algumas coisas fossem acabar com o fim de muitas publicações e a crise no ramo editorial e parece que só piora. Faz tempo que não compro uma revista aliás. Nada me agrada hoje.

    • Imagine eu que trabalhei editando revistas por quase 7 anos! Muita saudade de quando ler revista era algo legal e prazeroso :/

  • texto excelente… valeu…. concordo com essa opinião, apesar de ter gordurinhas extras, rsrsrsr

  • Muito bom! Tá mesmo uma loucura!

    Um texto que incentiva a lucidez nesses tempos tão superficiais.

  • Deus Tu tens sido tão, tão bom pra mim…
    Eu estava assistindo o vídeo indicado e pensando, até nisso Deus me guardou. Na minha adolescência eu fazia minha mãe assinar estas revistas pra mim, e ficava horas vendo e revendo paginas sonhando com este mundo que na minha cabeça era encantado #sqn.
    Então aos 19 anos de idade eu encontrei Jesus e conheci a verdadeira beleza, inclusive hoje aos 40 anos me acho muito mais bonita do que antes.
    Jesus me fez capa da revista da minha própria vida, me da dicas importantíssimas de como cada dia me tornar mais linda, (inclusive a leitura deste blog contribui grandemente nisto).
    Ahhh Deus seu lindo, Deus de detalhes, o Senhor pensa realmente em tudo. ♡

  • E ainda tem as novas ditaduras da beleza… Eu tenho o cabelo crespo. E toda hora é alguém falando que o crespo tem que ser definido ou tem que ter volume ou tem que colocar turbante. Praticamente tirando o direito de escolha das pessoas. Eu penteio o meu cabelo conforme eu me sentir bem. Ou corto, ou faço alisamento ou raspo tudo. Deus me deu direito de escolha. Mas estas ditaduras sufocam. Parece que querem colocar todos em formas. Todo mundo igual.
    Além de um monte de influenciadores que chegam até a mentir falando que o produto faz um monte de coisas e depois o produto não faz nada. Dinheiro jogado no lixo. Tem influenciador que mostra o banheiro com tanto produto que nem em um ano ele conseguiria usar. As pessoas olham e querem comprar aquilo tudo também. Uma coisa que percebi é a velocidade de lançamento de produtos. Antigamente uma linha demorava um ano para lançar. Agora dependendo da marca é uma linha de produtos por mês. A pessoa nem acabou de usar o produto e já fica com vontade de comprar o novo que diz ter um ingrediente que vai resolver todos os problemas dela em 3 minutos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *