No Estado de São Paulo, foram soltos cerca de 30 mil presos. Enquanto isso, o cidadão paulista está sendo vigiado “em nome da saúde”. Será mesmo?

Monitoramento seletivo, por que alguns sim e outros não?

Foi aberto um precedente para que, finalmente, nos seja imposto um controle quase que absoluto. E para que não haja um levante em massa por parte da população, tudo vem travestido de ações em nome de um bem maior: a saúde. Em tempo recorde o direito de ir e vir nos foi tirado à força e se tornou contravenção passível de multa. E trabalhar, quem diria, virou crime com pena de prisão.

“Estou atendendo uma cliente por dia, cumprindo todas as recomendações. Sempre usei máscara e luvas e tudo é esterilizado, mesmo assim, estou trabalhando escondida e com medo da polícia, me sentindo uma criminosa. Pagar as contas com cinco clientes por semana é impossível, mas se eu não atender nenhuma até a comida vai faltar.”

Este é o relato de uma esteticista da capital paulista, cujo prédio comercial onde tem seu estúdio foi fechado. E ela completa:

“Sei que logo vou ter que parar porque um vizinho percebeu e vai acabar me denunciando. Nunca pensei que pudesse ir para a cadeia por estar trabalhando. Nunca imaginei viver para ver uma coisa assim. Não sei o que vai ser da minha vida.”

A grande mídia vende por atacado, 24 horas por dia, sete dias por semana, a ideia de que sair de casa significa caminhar para a morte. Ao receber diariamente uma verdadeira overdose de medo e pânico, muitos têm, inocentemente, ajudado a propagar o pavor, aumentando ainda mais o seu alcance, enquanto outros se entregam à desesperança. Tudo “em nome do bem”, tudo para “salvar vidas”.

Se os governos estivessem preocupados com a saúde da população, teriam investido em hospitais, postos de saúde, equipamentos, treinamento de pessoal, salários e condições minimamente dignas, tanto para os profissionais quanto para os pacientes. Nossa saúde sempre esteve às moscas e há muito mais mortes por dengue e tuberculose – há décadas – e ninguém jamais se importou tanto.

A saúde está a cargo dos 27 estados e dos 5.570 municípios do país, mas será que você pode citar uma única cidade brasileira que seja um modelo de excelência em atendimento à saúde?

Onde estava toda essa preocupação apenas algumas semanas atrás?

Enquanto isso, muitas pessoas estão vivendo um verdadeiro inferno dentro de suas próprias casas. O lugar onde deveriam se sentir seguras virou palco de agressões e o aumento considerável dos índices de violência doméstica estão aí para comprovar. O governo diz não ser possível proteger mulheres e crianças de seus agressores, porém, da noite para o dia, encontrou formas altamente eficazes de monitorar e punir quem se atreve a desobedecer.

É um recado bem claro, mas que poucos conseguem entender.

O “fique em casa em prol da vida” é, na verdade, “fique onde nós determinamos, ainda que não tenha comida, que sofra agressões e que perca as condições de se manter economicamente. Você está em nossas mãos e não tem para onde fugir. Vai fazer exatamente aquilo que queremos”.

A jogada é tão eficiente que não foi preciso pagar profissionais altamente treinados para fazer as pessoas aceitarem tudo isso de bom grado, afinal, está incutido na cabeça de muitos que quem sair de casa coloca em risco a vida de outras pessoas. Por isso, em cada rua há quem esteja disposto a denunciar o vizinho que ousar sair para trabalhar. São vigilantes voluntários que acreditam piamente estarem fazendo o que é certo.

Para o governo de São Paulo, por exemplo, não há o menor problema em soltar milhares de presidiários sem monitoramento algum, permitindo que andem livremente pelas ruas. Pessoas que não têm nada a perder são libertadas enquanto o cidadão que resolver sair para trabalhar poderá ser preso. Postei essa reflexão em meu Instagram e uma seguidora resolveu mostrar que estou errada quanto à falta de monitoramento dos presos publicando o seguinte comentário:

“Tenho casa aí em Santos e minha filha já viu vários presos com tornozeleiras. E aqui em Minas onde eu moro também já vi vários presos com tornozeleiras.”

É a população aceitando passivamente que não há o menor problema em ver presidiários pelas ruas ostentando suas tornozeleiras. Tomara que o monitoramento das tornozeleiras desses “vários presos” vistos andando livremente pelas ruas os façam imunes, além de não-transmissores de coronavírus. E tomara que esses dispositivos também os impeçam de roubar, assaltar, furtar, agredir, violentar, traficar e matar.

Vamos torcer, pois é tudo o que podemos fazer no momento.

Não, querido leitor, não se trata de saúde, monitoramento trata-se de controle. Trata-se de ferir a própria Carta Magna do país para tirar o que de mais precioso temos: a liberdade. O livre arbítrio, concedido a todo ser humano e respeitado pelo próprio Deus, está sendo roubado de cada um de nós por um punhado de políticos sedentos de poder. Não se trata de um cuidado repentino com a população – o que, por si só, já seria de se estranhar –, mas trata-se de conceder ao poder público um poder de controle que ele jamais teve. Mas tudo isso para a sua segurança…

 

 

Texto postado na minha coluna de análises no R7.

Para ler outros textos, acesse clicando aqui.

Para saber sobre outras medidas do governador João Dória que comprovam seu desdém pela população paulista, clique aqui.

 

Nos vemos!

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Bom dia Patricia!

    Aqui onde vivo a situação é semelhante como aí no Brasil.

    Semana passada perguntei para minha esteticista se ela estava atendendo na casa dela e a mesma disse que não, então fui um busca de outra pessoa.

    Liguei para esta brasileira que me recomendaram e conversando com ela, disse-me: Olha eu até estava atendendo no meu salão com as portas fechadas e tomando todos cuidados, mas alguém me denunciou!!!

    Olha Patricia até que ponto chega a maldade das pessoas.

    Então me propus a ir na casa dela, aí ela disse: Olha na minha casa eu não atendo, o que faço agora é ir na casa das clientes. kkkk arrasou… Ela teve que dar um jeito, pois tem uma filha e também tem seus compromissos para honrar como todas nós.

    Um grande abraço pra você.

  • A questão do monitoramento sempre existiu por parte dos aplicativos e sites, só agora que abriram os olhos para isso.

  • Oi Patrícia,

    Se há uma manipulação da liberdade de ir e vir o quê, em contrapartida, o governo “ganha” com isso?

  • Paty, qual seria a forma ideal, ou a menos prejudicial, para tratar esse cenario de pandemia? Qual a sua opinião sobre a melhor pratica a ser adotada nesse momento?

    • Ter a mente aberta para entender que não é sobre uma doença, não é sobre saúde, não é preocupação com as pessoas. É ficar atenta e não acreditar nas unanimidades da grande mídia.

  • _Por Mário Sérgio Cortella_

    Aquele que tiver a real solução para esse problema que atire a 1ª pedra !!!
    Atire no Prefeito que fechou a cidade e mandou todos pra casa.
    Atire no Presidente que pede pra abrir a cidade e a volta ao trabalho.
    Atire nos médicos que pedem o isolamento social para evitar o colapso no sistema de saúde.
    Atire nos economistas que pedem para voltar a rotina prevendo um colapso financeiro ….
    O NEGÓCIO É ATIRAR PEDRAS !
    Se voltar tudo a funcionar vai morrer quantas pessoas ?
    Se ficar em isolamento social vai morrer quantas empresas?
    Vou responder:
    Ninguém sabe!!
    Quando um problema não tem solução, elegemos um culpado, um inimigo, um vilão…
    Não! A culpa não é do Prefeito!
    Não! A culpa não é do Governador!
    Não! A culpa não é do Presidente!
    Nem dos médicos, nem dos economistas e nem do Ministro da Saúde.
    Eles estão tão perdidos quanto todos nós.
    Tão perdidos quanto Donald Trump e todos os líderes mundiais.
    Fomos pegos de surpresa sem manual de procedimentos. Cada um ACHA uma coisa, mas NINGUÉM tem certeza.
    Então quem sabe não é a hora de parar de perder tempo atirando pedras e dando palpites, e começar a orar mais, amar mais, chorar mais, valorizar mais os AMIGOS e a FAMÍLIA …
    Chega de ódio!!!
    Talvez seja essa a solução!!!”

    Reflita!!!🙏🏻🙏🏻

    • O Mario Sergio Cortella publicou hoje em seu Instagram que esse texto não é dele.

  • O Dória é a esquerda fantasiada de Playmobil. Ele é um vírus letal e visível!!! Só Deus!

  • Nem sei o que dizer… Perdemos um rapaz de 42 anos filho primo meu marido diagnostico Covid 19.
    Eles são de OSASCO SP… teve pneumonia em dezembro foi ao médico mas HOMEM não sei mas não se cuidam igual as mulheres.Continuou trabalhando tinha comércio vendas de carne… ai veio carnaval….ele fez aniversário no inicio de março… não sei dizer mas creio que sempre teve.. pessoas por perto.. Na semana dos feriados foi internado e na sexta feira santa veio a óbito.
    Não tinha nenhuma doença, exame deu positivo para corona. Ate agora idoso que vem a óbito é porque já tem alguma enfermidade… então 1/4 dos óbitos foram jovens… Creio eu imunidade baixa…. sedentário , bebida e cigarro tudo isso contribui. Segundo informações de parentes que moram lá ninguém se cuida e nem acreditam..aff..
    eu moro em RO…foram fechados as fronteiras e aeroporto. Todos terão fazer sacrifício.. Mas creio que vai passar.
    Aqui em RO está em último lugar do país só 2 óbitos… teremos que nos cuidar porque não tem estrutura para atendimento. Autoridades só se mostrando em rede social…. Daqui uns dias tudo passa a ser normal… sei disso porque minha família tem funerária…. Desculpe desabalo .. e se cuide confiando em DEUS.

  • então qual seria a forma ideal, ou a menos prejudicial, para tratar esse cenário de pandemia? Qual a sua opinião sobre a melhor pratica a ser adotada nesse momento?

    • Primeiramente, sem pânico! Não estou minimizando o problema, mas temos de ter equilíbrio, pois não podemos achar que o fato de sair de casa é como caminhar para a morte. Grupo de risco em quarentena, OK! Mas não adianta trancar todo mundo em casa, pois além de não ser garantia de imunidade, vai quebrar o país economicamente e matar mais gente ainda. Sou a favor da quarentena vertical e de um plano de retomada do comércio aos poucos.

  • Mestres, Doutores, Pós Doutores… tanta gente estudando e em NENHUM momento se sentou para definir algo, uma estratégia de enfrentamento para um caso desse? A gripe espanhola não ensinou nada? A OMS deveria, sim, estar mais preparada para ser o farol da pandemia e não está sendo. Suas “recomendações” são muito provincianas e o histórico do Tedros, chefe da OMS, não é dos melhores. A soberania dos países não pode ficar nas mãos de recomendações da OMS, que daqui a pouco estará mais aparelhada do que já está.
    Bom, estou ficando em casa porque posso, trabalho com computador. Mas, se minha mãe pegar o coronavírus, eu nem consigo resolver nada pois ela mora em outro estado e não dá pra viajar pra lá.
    De resto, qualquer pensamento diferente do difundido pela grande mídia é rejeitado. To confiando que cada um a seu tempo vai abrir os olhos e observar as coisas.
    Até lá, futebol, novela, BBB, notícias tendenciosas e redes sociais vão dominando a cabeça das pessoas. Mas, não dá pra enganar todo mundo o tempo inteiro. Somos as primeiras a perceber e alertar quem tá perto. De pouco em pouco, vamos fazendo essa onda crescer. Ah, e quando saio pra rua, deixo o celular em casa, kkk. Deixa o DitaDória saber disso, kkk.

  • Pura verdade! Minha mãe aluga parte de um salão de cabeleireiros para trabalhar, quando começou essa “quarentena” eles abriram mesmo assim, mas no outro dia já soube de funcionários da prefeitura avisando que se não fechar eles seriam multados! Essa é a unica fonte de renda da minha mãe que tem 52 anos, ela tem que ir no salão pelo menos 2 vezes na semana e trabalhar com medo e portas fechadas para ter pelo menos o dinheiro da comida, eu gostaria de poder ajudar, mas graças a quarentena minhas vendas foram prejudicadas e não estou conseguindo vender pois meus clientes também foram afetados e não conseguem comprar de mim.

  • Boa noite!
    Eu vi uma reportagem, que a Globo em 10 anos tinha o Ibope tão alto como agora. Por que será que ela faz tanta questão de ficarmos em casa se sua plataforma de reportagem está na rua? Engraçado né!! Eu não assisto tem muitos anos. Aterrorizando as pessoas.
    Minha mãe mora na Bahia, na cidade dela não houve um caso sequer, mas as pessoas estão trancadas dentro de casa. Vi um vídeo do prefeito falando para as pessoas ficarem em casa e todo o comércio fechado. Algumas pessoas que conheço estão com pavor. Tento explicar e falar que como lá não houve nenhum caso para não ficar com medo e desenvolver outros problemas. Mas a grande mídia aterrorizando as pessoas, como se de repente estivessem preocupados com o povo!
    O monitoramento nos faz pensar em uma ditadura disfarçada em preocupação pela saúde do povo.
    Como pode soltar presos e prender trabalhadores?! É o cúmulo do absurdo! Nunca imaginei que poderia ver isto. Ontem vi uma reportagem que 4 guardas para prender um homem com problemas mentais só porque estava com o lava jato aberto. Sendo que eles residem no local. Foi preso e teve que pagar uma fiança de 1.000$ para ser solto. A pessoa não pode trabalhar, mas o governador pode soltar presos. Não temos mais o direito de ir e vir. De uma noite para o dia.
    Eles falam que não tem dinheiro, mas como eles fizeram tantos leitos de hospital? Fiquei pasma com o número de covas abertas aqui em SP. Parecem que estão até torcendo para uma grande tragédia no país. Sendo que morre muita gente todos os dias no Brasil, e com tantos outros motivos como você já falou e não há uma medida.. Muito estranho!

    Bjs 😘💕

  • Acredito que essa pandemia é algo sério, e temos que ter os cuidados necessários, porém tive noticias de diversos casos de pessoas próximas de falecimentos de outros motivos que foram classificados como COVID-19.
    Não acredito nesses políticos e nessa preocupação com a população, sendo que realmente não investem nada em saúde, tem um político ai que só esta toda hora fazendo pronunciamento e se aproveitando da situação para se aparecer.
    Não acho que fechar os comércios seja a resposta, o desemprego já está começando resultado dessa quarentena, fui desligada mês passado, e a empresa onde trabalhava já começou o facão deixando várias pessoas desesperadas.
    Falar em “Fica em casa”, quando se tem conformo e comida garantida é fácil, mas estou com dó das famílias mais pobres que podem passar fome com isso! E realmente não estamos vendo nenhum plano concreto para evitar a propagação do vírus e métodos de combate-lo somente quarentena.
    Temos que orar muito por que só Deus para nos ajudar, e como diz a Biblía “Maldito o homem que confia no Homem”, não confio em politico algum só em Deus.

  • Proibir é fácil, quero ver o governo se importar com as pessoas: observamos que grande parte dos serviços poderia ser feita por home office; que muitas pessoas não têm água potável; que muitas crianças vão à escola para comer; que as pessoas fazem filhos como quem troca de roupa e depois não lava; que muitas pessoas não se importam com a própria saúde e nem de seus familiares; que há profissionais que recebem muito mais do que merecem, e a maioria não recebe o mínimo para ter uma vida agradável; que o governo não está nem aí para a segurança ao soltar os presos com a desculpa de feriados ou Corona, ou está chovendo. O revoltante é saber que nada vai mudar. As pessoas vão continuar sem receber educação suficiente para ter uma vida confortável e sem depender de terceiros, vão continuar fazendo filhos e mais filhos e sendo as vítimas. Vão continuar sem saber lidar com o dinheiro que recebem. E gerando novos criminosos por aí. Eu adoraria que a pandemia servisse pra alguma coisa, mas pelo jeito só servirá pra diminuir um pouco a superpopulação.
    Patrícia, você que é influente, não consegue lançar uma campanha que obrigue as escolas a ensinar economia para as crianças? Isso seria revolucionário.

    • A lei já existe e as escolas já foram “obrigadas” a ensinar educação financeira a partir deste ano. Mas não passa de mais uma “ordem”, porque ninguém capacitou os professores para isso. Mais uma lei para inglês ver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *