Hoje vou usar o caso de uma seguidora para exemplificar que distração pode virar enganação e que, talvez, você mesmo já tenha caído nessa!

Distração pode virar enganação

 

Primeiramente, vamos verificar o significado da palavra distração:

Falta de concentração dos sentidos no que se passa à volta; desatenção. Resultado da desatenção; erro, engano, equívoco

Você já parou para pensar que a mágica é, de uma certa forma, uma enganação que depende de uma dose de desatenção da plateia?

O mágico nos distrai habilmente enquanto prepara seu truque e, quando menos esperamos, o truque acontece e ficamos surpresos.

Porém, diferentemente da mágica, que é uma distração recreativa bastante interessante, outro produto da distração é o engano.

Veja o caso desta seguidora:

Pago um um título de capitalização de 23 reais em 60 meses e o atendente falou que vou resgatar em setembro do ano que vem 1.200. Hoje liguei para o banco e fiz de 72 meses pagando 80 reais por mês, mas estou achando que 72 meses é muito. Existe outro mais lucrativo do que esse?

Há tantos erros nessas poucas palavras que fica até difícil saber por onde começar… mas, vamos lá!

Antes de mais nada, podemos concluir que a seguidora acha que fez um negócio lucrativo, afinal, a pergunta é se “existe outro MAIS lucrativo”.

Porém, bastaria que ela fizesse uma simples multiplicação para saber que perderá, logo de cara, 15% do dinheiro “investido”.

R$ 23 X 60 meses = R$ 1.380

Valor a resgatar = (mais ou menos) R$ 1.200

Fora a perda óbvia de R$ 180, houve também a desvalorização do dinheiro nos últimos 4 anos.

A inflação acumulada de 2016 a 2019 é de mais de 17%, logo, ela não perdeu apenas 180 reais, pois ao deixar de investir o dinheiro, a inflação o desvalorizou.

Significa dizer que, o que ela podia comprar em 2016 com R$ 23, hoje não sai por menos de R$ 27.

Citei o efeito da inflação a título informativo, mas nem vamos considerá-la no cálculo.

A minha pergunta é: COMO uma pessoa assume um compromisso financeiro para os próximos CINCO ANOS sem nem ao menos se dar ao trabalho de fazer uma multiplicação que se aprende no segundo ano do ensino fundamental aos 8 anos de idade?

E, mais: a pessoa reincide no erro e faz um contrato ainda pior para os próximos SEIS ANOS com um valor mais alto, cuja perda será maior ainda…

As pessoas estão vivendo em um nível de distração que chega a ser absurdo, mas depois, dizem que o culpado é o banco.

Quantas não são as pessoas que me escrevem dizendo “Ah… o banco ME ENGANOU!”, achando-se as pessoas mais injustiçadas do mundo e querendo que o governo faça os bancos pararem de enganar as pessoas.

Ora, faça-me o favor!

Não vou defender banco algum, mas convenhamos…

O banco OFERECE o que é vantajoso para ele e o cliente ACEITA SE QUISER.

Se eu tentar vender para você um dos meus livros por R$ 200, você acha mesmo que precisa do governo para dizer que você não deve pagar R$ 200 por algo que custa R$ 35?

Você não tem capacidade para fazer a conta e concluir que estaria pagando R$ 165 a mais?

Você mesma não poderia entrar no Google e ver quanto custa em 20 livrarias diferentes em questão de poucos minutos?

A questão é que as pessoas andam DISTRAÍDAS enquanto outras contam 100% com essa distração para fazer suas “mágicas”.

Você precisa urgentemente sair desse estado de distração, pois o Brasil não é para amadores…

Neste país existe uma enganação em cada esquina e só vai colar se você permitir.

Lembre-se: não existe enganador se não existir quem se deixa enganar.

 

Confira o desafio anterior

17 – Cuidados com a saúde

 

Confira o próximo desafio

19 – Rotina: acorda, come, trabalha, dorme, repete

Cadastre seu e-mail e não perca nada!

Você receberá uma notificação a cada nova publicação.

 

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Olá boa tarde! Verdade! São mts enganadores, temos que ficar espertos! Um grande abraço!

  • Pura realidade Patricia!

    Semanas atrás eu e meu esposo estávamos a procura de um carro pela internet, e ele achou um modelo que gostou muito, e o rapaz ja tinha pago uma boa parte do carro, porém ja não queria mais pagar e a proposta era passar pra outra pessoa assumir as parcelas seguintes e não queria receber nada a mais por isso.

    E eu imediatamente perguntei para o meu esposo: você ja fez as contas de quanto falta para pagar?

    Já calculou todas parcelas e quanto vai ser o total desse carro?

    Pesquisou o preço dele em relação ao preço do mercado, se vale a pena?

    Ai ele foi fazer os cálculos, as parcelas eram aquelas que cabiam no nosso bolso, mas o valor total do carro sairia muito mais caro comparado o preço de venda hoje no mercado, então resolvemos não entrar nessa.

    Sem contar que a pessoa não era transparente quando perguntamos onde foi comprado o carro, queríamos saber o nome do Stand, o local pra pesquisar se era uma empresa fake, o rapaz resistiu muito, ou seja quem não deve não teme.

    Hoje em dia as pessoas estão muito ingênuas, são enganadas facilmente pela internet por essa preguiça de pesquisar, de averiguar, de perguntar, de questionar.

    Quando meu esposo falou que iríamos levar um advogado pra tratar do assunto o rapaz imediatamente se esquivou, ficou bravo e disse pra esquecer do carro.

    Para nós é indiferente, carro é o que mais tem por aí, mas o porquê dessa irritação toda dele?

    São nesses pormenores que vemos quem é quem!

    Um abraço pra você Diva!

    • Com um pouco de raciocínio vcs evitaram de entrar no que parece ser uma grande fria, ou seja, “divaram”!!

  • Já errei muito a esse respeito…. achar que não sou eu quem tem que fazer as contas… só me estrepei!

  • Desculpe escrever outra vez, mas eu me lembrei de outra experiência que tivemos o mês passado quando vendemos o nosso carro, penso que vale a pena partilhar pra abrir a mente das pessoas.

    Eu e meu esposo estávamos a procura de um Stand (acho que chama garagem no Brasil), não me recordo bem, queríamos vender nosso carro, e meu esposo estipulou um valor que queria no carro.

    O primeiro Stand que chegamos, o dono olhou e gostou do carro e disse assim: te dou 500 euros e você ja deixa aqui o carro agora e semana que vem eu pago o restante.

    E meu esposo ficou empolgado e ja queria deixar o carro e eu não aceitei!

    E eu disse ao dono: olha o senhor me desculpe mas quando compramos o carro, pagamos na hora, fizemos na hora a transferência dos nomes e viemos embora, porquê aqui é diferente?

    A resposta foi: por causa dessa pandemia, tem que marcar primeiro na conservatória (local que faz o serviço de transferência de automóvel) pra depois passar o nome.

    E aí decidimos não deixar o carro, falamos pra ele marcar primeiro e depois faríamos negócio.

    Fomos embora e procuramos outros Stand pra vender o carro.

    O outro senhor olhou e disse que só podia dar um valor X pelo carro e era bem inferior ao que pretendíamos, então eu aproveitei e perguntei ao dono assim: se caso fecharmos negócio com o senhor, qual é o seu procedimento para a troca de nome? como é a forma de pagamento? como o senhor trabalha?

    E ele respondeu : O pagamento fazemos na hora por transferência bancária, e a transferência de nome meu advogado faz isso na hora também, porque as conservatórias tem que fazer marcação e demora mais.

    E disse mais assim: VOCÊS NÃO DEIXEM O VOSSO CARRO COM NINGUÉM SEM PAGAR E SEM FAZER A TRANSFERÊNCIA PRIMEIRO, TENHAM CUIDADO!

    Eu agradeçi ao senhor e fomos em outro Stand, fiz as mesmas perguntas e o dono trabalha da mesma forma do segundo senhor.

    Agora você vê Patricia, imagine que eu me limito e aceito a proposta do primeiro e levo um calote?

    Não custou nada, eu fiz questão de ver como outras empresas estão trabalhando.

    Não posso cair nessa conversa fiada que não pode fazer algo culpando a pandemia.

    E assim aprendemos também com os outros senhores e vendemos o carro para uma pessoa particular que pagou na hora e fomos na nossa advogada que fez a transferência do nome na hora e deu tudo certo.

    Bom, era isso que gostava de partilhar, espero que ajude alguém para não cair em armadilhas.

    Temos que estar de olhos bem abertos!!!

    • Aqui chama-se concessionária (nome das lojas de carro). Ótimo o seu compartilhamento, pois ajuda a abrir os olhos das pessoas. O ser humano está tão corrompido que é capaz de usar uma tragédia, como essa pandemia, para enganar os outros e lhes tomar dinheiro. É realmente muito triste!

  • Verdade……Não Existe Enganador, Se Não Existir Quem Se Deixa Enganar..
    ..Pois …Pensar…..Não Dói…

  • kkkk desculpe, mas foi engraçado esse comentário dessa leitora, gente como pode? Pessoal vamos pensar por nós mesmos! lembro-me de uma frase que diz assim: O pobre só vai deixar de ser pobre quando descobrir que pensar é de graça!

  • Olá, Patrícia!

    Ontem mesmo, recebi ligação de um banco me oferecendo título da capitalização, como se fosse grande vantagem, falou dos sorteios e etc. E claro que recusei e disse “moça não tenho sorte com sorteios, não me interessa” e agradeci. Aprendi com vc que o título de capitalização não é investimento, sendo o pior tipo produto para se injetar dinheiro. Minha imensa gratidão por descortinar essa armadilhas p gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *