Muitas vezes nossa produtividade depende de terceiros, por isso, o poder da persuasão pode ajudar – e muito – a fazer as coisas acontecerem. Confira o desafio de hoje!

O poder da persuasão

Assim como vários outros poderes, o da persuasão tem sido visto como algo negativo.

Enquanto isso, as pessoas de boa índole não utilizam esse poder, os maus usam e abusam dele.

Então, cabe a nós acordarmos para o fato de que nós precisamos mudar essa dinâmica.

Por que estou dizendo isso?

Porque quando falamos de persuadir as pessoas, influenciá-las e convencê-las a fazer o que queremos, somos vistos como manipuladores.

É ou não é?

Embora haja quem se utilize disso para o mal, devemos virar essa chave.

Primeiramente temos de entender porque precisamos desenvolver o poder de persuasão e, depois, como aplicá-lo.

Apesar do poder de persuasão servir para muitas coisas, vamos nos ater aqui à questão da produtividade.

Pense comigo:

Quando uma empresa tem um funcionário vaidoso, inseguro, egocêntrico, esse único ser é capaz de travar processos e atrapalhar o andamento da empresa toda.

Sendo assim, a sua produtividade iria para o ralo junto com a de todos os demais.

Por isso, você precisa saber usar o poder da persuasão para convencê-las a não atrapalhar.

Simples assim!

 

Máxima influência

Estou lendo um livro bastante interessante chamado “Máxima influência – As 12 leis universais da persuasão efetiva” do americano Kurt W. Mortensen.

Vou destacar um trecho que tem tudo a ver com o nosso desafio:

Para garantir o nosso próprio sustento, todos nós temos que trabalhar ao lado de outros indivíduos. Foi então que percebi que se eu não fosse capaz de influenciar outras pessoas, ou ajudá-las a fazê-lo, o dia de trabalho seria longo, ineficiente e a produtividade acabaria prejudicada.

Muito propício para este nosso momento, não é mesmo?

Mas tem mais um trecho que tem tudo a ver:

Também constatei que a habilidade de persuadir e influenciar indivíduos representava uma boa administração do tempo: fazer com que os outros quisessem fazer aquilo que você desejava que eles fizessem, e logo da primeira vez que pedisse.

Quando li, lembrei na hora de que sempre foi muito comum que as pessoas viessem pedir para que eu convencesse as outras de algo.

Por exemplo: uma colega de departamento precisava que um funcionário de outro setor entregasse um relatório urgente.

Em vez de ela ir até ele, pedia que eu fosse e o convencesse a priorizar o tal relatório.

Por que ela mesma não ia?

Porque sabia que não tinha o poder de persuasão.

E por que ela pedia que eu fosse?

Porque, de alguma forma, ela sabia que eu tinha.

E o fato é que eu não só convencia a priorizar, como também voltava com o relatório pronto!

Eu não tinha poderes de chefe para mandar fazer e nem armas para força-lo, do tipo:

“Faça o que estou mandando ou vai perder o emprego”

Mas eu sabia o que falar, como falar ou , se você preferir, como convencer sem ser na base do controle ou da imposição de força, medo ou ameaça.

Por hoje, o desafio é que você pense a respeito de como está o seu nível de persuasão.

Você é do time das que pedem para alguém ser o seu interlocutor ou toma a frente?

As pessoas costumam fazer o que você pede de primeira ou só na centésima quinta vez?

Ou será que as pessoas nem sequer se dão ao trabalho de fazer o que você pede?

Pense e no próximo desafio vamos falar mais sobre isso!

 

Quer iniciar o Desafio da Produtividade desde o começo?

Sempre é tempo para melhorar, então, clique nos posts anteriores:

Desafio da Produtividade #1 – O mito da carga horária brasileira

Desafio da Produtividade #2 – Hábitos de produtividade

Desafio da Produtividade #3 – Técnica Pomodoro

Desafio da Produtividade #4 – Tenha metas

 

Para não perder nenhum dos 15 desafios, cadastre-se aqui no blog!

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Nos vemos!

Jornalista, especialista em finanças, autora de 5 best-selleres, colaboradora dos programas Mulheres (TV Gazeta) e Escola do Amor (Record TV). Colunista do portal R7 e youtuber.

  • Uma realidade isso. E sabe que pensando sobre isso percebo que consigo as coisas das pessoas com uma certa tranquilidade, Acho que tenho persuasão.

  • Acredito que essa questão está também muito envolvida com ‘respeito’.
    Pelo menos é o que eu noto no meu trabalho. Quando o pedido vem de uma pessoa que é respeitada, costuma ser atendido, caso contrário, talvez.
    Mas concordo também com o ponto de vista do texto, e vou pensar melhor sobre isso.
    Bom fim de semana, bjs.

  • https://youtu.be/Cr_3aA18r3U

    Assisti esse vídeo no canal Metaforando, do Vitor Santos. O Vitor é um perito técnico de expressão facial.
    Nesse vídeo ele explica, através de um personagem de uma série, qual a linguagem corporal que esse personagem usa para persuadir as pessoas e atingir seus objetivos. O que é muito curioso, já que o personagem é um anão, e à julgar pela sua baixa estatura, tudo contribuiria para sua baixa confiança.
    Quando assisti, lembrei desse desafio, e acredito que o vídeo corrobora com quem precisa melhorar suas técnicas de persuasão. Bjs

  • Oi Paty…. infelizmente, minha vida virou de cabeça para baixo nesta sexta passada, quando vc postou este blog. Nunca imaginei que passaria pelo que estou passando no momento. Este tópico vai ser muito útil no meu futuro: persuadir alguém a me dar uma nova chance de trabalho. Inté. 🙁

  • Muito interessante Patricia ,pura verdade quando não conseguimos converter de primeira ai fica difícil, é pra mim vai ser muito bom começar a fazer uso da persuasão.

  • Tenho persuasão, mas preciso me vigiar para não me tornar arrogante.🤭

  • Primeiramente eu procuro persuadir pelo o exemplo. Pois se você é prestativo com as pessoas e as atende com presteza normalmente irá causar um crédito com a pessoa. E assim que você pede ela já vai lembrar de você. Depois eu tento motivar pelos os estímulos que ela reage.
    Porém se precisar eu vou sim em uma pessoa de autoridade superior depois que todos os esforços não derem frutos. Pois infelizmente há pessoas que só reagem a autoridade, a ordens,… ainda estão na administração burocrática e engessada. Às vezes ela sabe fazer, pode fazer, sabe que precisa ser feito e fica aguardando alguma autoridade mandar. É como falado no outro post não se preocupam com a produtividade sua ou da empresa. Só querem cumprir carga horária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *