Dizer “eu não sabia” não vai resolver o problema de ninguém. Ainda mais em um mundo onde a informação está ao alcance de um click. Esse é o tema de hoje!

Ter informação é sua obrigação

Você sabia que o Brasil já tem mais de um celular por habitante?

Eu costumava brincar que existe mais celular do que gente, mas agora é fato!

Então, não dá mais para justificar erros com um simples “eu não sabia”.

Hoje, as pessoas só não sabem se não querem saber (ou se têm preguiça de pesquisar!).

Você tem blogs, vídeos e áudios sobre tudo e esse conteúdo imenso está ao alcance da sua mão.

Até quem não sabe pesquisar não tem desculpa, pois há tutoriais ensinando como fazer buscas!

É claro que, em meio a tanto conteúdo, é preciso separar o joio do trigo.

Para isso, você tem uma máquina maravilhosa (muito mais incrível que o melhor dos celulares) chamada cérebro.

Assim como qualquer equipamento sofisticado, o cérebro só funciona se estiver ligado e for acionado.

A impressão que temos atualmente é que as pessoas estão fazendo duas coisas muito ruins:

  1. Não se interessam em obter informação – elas querem tudo de mão beijada ou , de preferência, que alguém resolva os problemas dela (aqueles que ela mesma criou na maioria das vezes)
  2. Desligam o cérebro – não raciocinam diante do que leem, escutam ou veem

 

Pensar também é sua obrigação

Vou dar o exemplo de uma das muitas questões que trazem a mim todos os dias.

Vamos à questão:

  • Patricia, consultei o site da Serasa e vi que meu nome está sujo há mais de 3 anos por uma dívida com o meu banco. O valor está em R$ 3.000, mas tem uma proposta de desconto para pagar apenas R$ 600. Pagando já limpa meu nome, mas eu não paguei.
  • E por que não?
  • Eu preferi ligar no banco e ver se tinha algum problema de pagar com tanto desconto. Fiquei pensando que eles poderiam me penalizar de alguma forma…
  • Penalizar mais do que sujar o seu nome por 3 anos?
  • …. ééééé…. sei lá… eu não pensei muito bem, na verdade… Vai que a Serasa tá errada!
  • E o que disseram no banco? Falaram que a Serasa está errada?
  • Não, falaram que está tudo certo, mas que se eu pagasse com o desconto, nunca mais teria crédito naquele banco. Daí eu fiquei com muito medo.
  • Medo de quê?
  • De não ter crédito, ué!
  • E daí? Você não viveu 3 anos sem crédito? Quem tem o nome negativado não tem crédito, não é mesmo?
  • É, pensando bem… foi mesmo! Mas…. sei lá… e se eu limpar o meu nome e precisar de crédito nesse banco?
  • Só existe esse banco?
  • Não, claro que não?
  • Então qual é o problema?
  • A questão é que eles disseram que se eu aceitar pagar pelo menos 2 mil, que pode ser parcelado, além de ficar com o nome limpo já na primeira parcela paga, eu não entro na lista negra e continuo sendo cliente deles.

 

Quando a cabeça não pensa, o corpo e o bolso padecem

Continuando o raciocínio do diálogo acima, propus a seguinte analogia:

  • Vou te falar de um novo modelo de negócio e fazer uma pergunta no final, por isso, preste atenção!
  • Certo, Patricia, Mas depois você responde se eu devo aceitar a proposta do banco, ok?
  • Imagine que eu abro uma padaria no seu bairro. Com isso, eu bato na sua porta e digo que você não pode ser meu cliente, a menos que pague 2 mil reais em parcelas mensais. Pagando a primeira você já pode comprar o que quiser no meu estabelecimento. O que você me diz, quer ser meu cliente?
  • Ai, que absurdo! Pagar para ser cliente, que negócio é esse? É brincadeira isso, né? Padaria é o que não falta, eu vou em outra!
  • Então você mesmo já tem a resposta para a sua pergunta.
  • ………..

 

Quando você não busca informação e/ou não raciocina diante da informação, vai ser facilmente enganada!

Você viu que não precisa ser nenhum gênio para entender que a proposta do banco é, no mínimo, ridícula.

Mas nem por isso as pessoas deixam de cair nessa arapuca!

Elas buscam informação nos lugares errados (imagine is perguntar ao lobo se ele quer cuidar das galinhas!), depois, não raciocinam de forma clara para tirar suas conclusões.

Resumindo o desafio de hoje

  1. Você é responsável por se informar, pois informação é o que não falta;
  2. Você é responsável em separar o joio do trigo;
  3. Você deve raciocinar sobre a informação que chega até você para não ser manipulada por ninguém.

E, por fim:

Quando você não pensa, alguém muito “esperto” vai pensar por você!

 

Para acompanhar os desafios anteriores, basta clicar nos títulos:

Desafio Crescer 1 – Aprenda a aprender

Desafio Crescer 2 – Assuma o controle do seu tempo

Desafio Crescer 3 – Seja luz

Desafio Crescer 4 – Se não é o melhor, não faça

Desafio Crescer 5 – Influência das redes sociais

Desafio Crescer 6 – Pequenas decisões, pequenos resultados

Desafio Crescer 7 – Pare com as desculpas

Desafio Crescer 8 – Você está terceirizando a sua vida?

Desafio Crescer 9 – Mulher, mãe, esposa, profissional…

Desafio Crescer 10 – As mulheres precisam se valorizar

 

 

Para não perder nenhuma postagem do Desafio Crescer, cadastre-se!

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Nos vemos!

 

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Bom Dia Patricia! Sou muito grata por você compartilhar tantas informações conosco e além disso nos incentivar sempre.

    Muito obrigada
    Andréia – Caxias do Sul

  • Realmente Patrícia, embora vivamos num mundo cheio de informação, o que mais se vê são as pessoas com “preguiça” de raciocinar, de buscar a saída mais inteligente, querem tudo de mão beijada, mas não querem sacrificar algo. E essa questão de “mais celulares que pessoas”, também vemos que as pessoas querem um “super” telefone para as redes sociais, para fotografias, daí você pergunta se a pessoa utiliza tal aplicativo para tornar a vida menos complicada ou se ele já pesquisou no Google pelo telefone e o que você escuta: ah, isso eu não sei fazer não. Mas Facebook, Whatsapp bombando, sabem todos os truques e dicas. Aí e complicado.
    Beijos.

    • Pois é… as pessoas sabem quando querem saber, mas infelizmente, estão optando por saber o que menos acrescenta…

  • Esse tema é muito interessante! Acho que com a tecnologia onde os celulares pensam oela maioria até pra corrigir suas palavras, cada vez estamos mais preguiçosos. É como se o cérebro atrofiasse.
    Conheço pessoas que estão precisando de emprego e quando vejo um anúncio de vaga eu repasso. Esses dias repassei pra duas conhecidas, o endereço de uma loja onde vi oferecendo vaga e informei essa loja fica em tal rua em frente a CeA, e mesno assim a pessia veio me perguntar: mas pra que lado da rua fica a CeA?
    Eu disse: não tem erro é em frente a CeA e a pessoa ficou argumentando porque estava me perguntando aquilo. -.-
    Sério, joga no google maps, mostra interesse, pende e vai a luta!
    Já vi pessoas que não procuravam emprego porque não tinham currículo e nem se interessavam em aprender a fazer um, em pedir ajuda de como fazer.
    Temos preguiça de pensar!
    Não falta informação, falta disposição pra fazer o cérebro sair do modo economia de bateria.

  • Como sempre… seus sábios textos causando impacto positivo em nossas vidas!!!! Obrigada!!!! Que Deus continue te abençoando e te usando para nos ajudar!!!!
    Beijos!

  • Várias fontes e formas de informações mas muitas vezes as pessoas só querem entendem o que lhes convém.

  • Olá, Paty! Uma dúvida: vc recebe mais esse tipo de questionamento de mulheres ou a porcentagem é igual para ambos os sexos? A impressão que tenho é que a maioria dos seus seguidores são do sexo feminino. Eu inclusa! rsrsrs

    • Tenho aqui no blog 95% de mulheres e nas outras redes 85% mulheres e 15% homens. 😀

  • Muita gente tem preguiça de pesquisar as coisas, muitos não gostam de ler notícias, mas se for uma fofoca são os primeiros a querer saber e divulgar. Tive uma colega que queria sempre meus livros emprestados por que tinha pena de comprar livros, mas não tinha pena de gastar o salário com roupas, sapatos e ainda me criticava por não fazer igual a ela. -.-

  • Hoje até pessoas não alfabetizadas têm acesso à informação, pois o Google funciona por comando de voz!

  • Paty o seu exemplo aconteceu comigo, porém como já era bem informada, inclusive por seu blog, fiz o acordo, e agora depois de três anos,abri uma nuconta, pedi um cartão sem anuidade e estou muito bem, obrigado. Pensando em investir e tudo o mais. Obrigado Paty.

  • Parece que quanto mais informacoes as pessoas tem acesso a preguica tem aumentado, as pessoas ja querem receber tudo mastigado.

  • Sensacional.
    Falaram isso pra mim também quando eu fui negociar uma dívida, e na mesma hora eu decidi pagar a conta com desconto mesmo eles falando que eu não teria mais vínculo com o banco, pois a minha prioridade era quitar as dívidas e não ter um cartão para me endividar mais ainda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *