Muita gente fica feliz na hora de comprar tudo em “parcelinhas que cabem no bolso”, mas o peso dos juros pode acabar com qualquer alegria!

Comprando um e pagando dois: o peso dos juros

Felicidade na hora de comprar, tristeza profunda na hora de pagar. Quem nunca?

No Brasil há uma combinação extremamente perigosa:

Juros altos + pessoas que não fazem contas.

E não não é porque as contas sejam complicadas, mas sim, por pura falta de hábito.

 

Dias atrás recebi um comentário interessante aqui no blog. Seguem alguns trechos editados:

 

“Minha mãe foi a uma loja [sozinha] comprar uma TV  e saiu de lá feliz com seu carnezinho de 15 “parcelinhas” de R$199,00.

Fui verificar o valor total e fiquei pasma!

A TV estava saindo a R$ 2.985,00, sendo que o valor na etiqueta era R$1.437,50!”

 

A leitora contou que leu o Código de Defesa do Consumidor e, então, voltou à loja para reverter a situação.

Falando com o gerente ela conseguiu mudar a forma de pagamento para 11 parcelas de R$ 143,75 no cartão de crédito, ficando assim com um valor total muito mais justo: R$ 1.581,25.

Ela terminou o comentário, dizendo:

“Graças a Deus paguei o valor justo e depois conversei sobre finanças com a minha mãe, explicando algumas coisas!”

Veja que a mãe da nossa leitora ia pagar mais que o dobro do preço e isso tem uma explicação.

 

A lógica por trás dos juros altos

Na compra para o carnê a loja corre o risco de o cliente não pagar nenhuma parcela ou pagar poucas e simplesmente parar de pagar.

Portanto, para evitar o prejuízo, alguém tem de pagar pela TV que o outro não vai pagar.

Como a inadimplência no Brasil é muito alta, o risco de tomar prejuízo é igualmente alto, logo, os juros são altos também.

Comprando no cartão a coisa muda de figura, pois, por mais que haja taxas, o lojista tem garantia de receber.

E se a pessoa não pagar a fatura do cartão, vai ter de enfrentar cobranças diariamente e uma avalanche de juros ainda mais altos.

Sendo assim, NUNCA compra o que quer que seja sem antes fazer as contas de quanto será o valor final.

Não se deixe levar pela emoção do momento e nem pela conversa do vendedor. Você sabe fazer contas, então, você é o responsável caso faça um péssimo negócio.

Confira este vídeo que gravei anos atrás, mas que ainda vale para que você entenda o conceito de um financiamento a longo prazo.

Confira mais vídeos no meu canal do YouTube clicando aqui.

 

Nos vemos!

 

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

 

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Olá, bom dia Patrícia! Exatamente isso: “atire o primeiro veículo”… quem nunca?!? EU e mais a maior torcida de time de algum esporte, deveríamos ter assistido esse vídeo sobre funcionamento de financiamento de veículo, antes de “pagar dois e levar um” (rs…rs…). Falando da “cultura da parcelinha”, lembrei de uma situação ocorrida nos anos 90, havia uma “moda” dos consórcios… eu e várias colegas “enlouquecidas para casar”, nos aventurávamos para comprar nossos eletrodomésticos, de tudo que fosse possível, era TV, videocassete, aparelho de som, geladeira, freezer, fogão, micro-ondas e tudo o que “aparecia” no mercado dos consórcios, talvez por pouco até “um marido”, lá estávamos nós formando os nossos grupos, combinando quando oferecer um lance para resgatar o bem antecipado, mesmo sem ter lugar para armazenar (rs…rs…). Abraços!

  • fui trocar meu celular, fui nas lojas fazer uma pesquisa de preço, e eu quase cai da cadeira quando me falaram dessa opção do carnê!! literalmente iria pagar 2 celulares e só levar 1. haha
    comprei no cartão mesmo, sem juros e pagando um preço justo!
    pra quem não tem cartão, melhor juntar e comprar a vista, não vale a pena cair nesses juros de carnê não;

  • Bom dia Patrícia!
    Chega a doer a alma em me lembrar que :em 15 anos financiei três carros e o pior não é isso.O pior era me gravar achando que tinha feito o melhor negócio. Hoje após tê-la conhecido já quitei dois débitos de cartão de Crédito e cada dia aprendo com você.
    Muito obrigada!

  • Boa tarde!
    Investirei um valor para fazer a “quitação do imóvel programada”…. certamente acontecerá num prazo menor!
    Obrigada!

  • Boa tarde Patrícia
    Eu sempre compro a vista pq tem um bom desconto.
    Acho que a melhor opção é ter paciência e juntar dinheiro pq dessa forma a pessoa se livra de parcelas e assim evita pagar juros.

  • Nossa ,esse vídeo foi pra mim , pois estou com o financiamento de uma moto que precisei comprar com urgência ,porém agora estou lutando pra quitar minhas dívidas e começar a pagar parcelas de trás pra frente. Tenho certeza que vai dar tudo certo e logo voltarei pra contar pra você que quitei meu veículo . Enquanto isso continuo seguindo as suas orientações. Deus te Ilumine! Obrigado!

  • Oi Patrícia,
    Fiz um financiamento de uma moto, para um amigo, o valor foi quase de duas motos e ele ainda deu entrada. Tive foi prejuízo, não vale a pena, o cara não teve condições de pagar, e no final passei para outra pessoa, enfrentei toda parte burocrática. Nem faço financiamento para mim e muito menos para outros!

    Grande abraço.

  • Maravilhosa a explicação. Ter disciplina financeira faz toda a diferença, ainda mais quando acontece imprevistos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *