Hoje em dia o que mais tem nas redes sociais são fake news, mas a grande pergunta é: como saber quando uma notícia é falsa? Esse é o assunto de hoje!

Fake news: identifique e fuja delas!

(Post 12 de 30 do Desafio 30 dias para crescer)

 

Primeiramente, vamos listar algumas formas como as notícias falsas chegam até nós:

  • Redes sociais – principalmente as compartilhadas que ninguém sabe de onde vieram
  • WhatsApp – geralmente são os amigos que enviam, mas nem por isso é verdade
  • E-mail – podem ser apenas informativos ou propagandas e enganam muita gente
  • Sites – existe site de todo tipo e você deve ficar atento à fonte da informação

Pois é, as fake news vêm de todos os lados, por isso temos que ser vigilantes.

Para que você não acredite no que não deve, seguem algumas dicas:

Quem foi que disse?

Lembra quando você era criança e sempre queria saber quem disse algo no qual não acreditava muito ou não queria fazer?

Sem dúvida a pergunta “Quem foi que disse que eu tenho que dormir cedo?” fazia parte do meu vocabulário!

E esse tipo de questionamento deve fazer parte do seu.

Não se trata de sair desconfiando de tudo e de todos, mas sim, de ter prudência e saber se quem falou tem autoridade para tal.

Se veio de um site do qual você nunca ouviu falar, fique atento e pesquise.

 

Mal escrito, mau sinal

Textos com erros de português quase sempre trazem notícias, propagandas ou dados falsos.

Só para exemplificar, esses dias recebi um e-mail que parecia verdadeiro, pois tinha o logo de um grande banco e tudo mais, porém havia uns dois ou três de erros de ortografia e um texto muito mal escrito.

Apesar de a “cara” do e-mail ser convincente, o texto denunciava a fraude, pois as propagandas são revisadas por várias pessoas e é muito raro que sejam enviadas com erros.

Então, ter um bom português pode livrar você de várias frias, inclusive das fake news!

 

Muita esmola, o santo desconfia

Se receber alguma oferta de ganhos rápidos e sem risco, desconfie.

Quando a notícia é do tipo “boa demais para ser verdade”, desconfie.

E se a notícia for bombástica ou absurda demais, também desconfie.

Há muitos sites e também pessoas que criam fake news para viralizar, por isso, quanto mais absurdo, mais longe vai.

A palavra para quando a “esmola” é demais é sempre: DESCONFIE!

 

Fake news pode dar cadeia

Esse aí da foto é o influenciador digital canadense James Potok, de 28 anos.

Ele fez uma gravação para postar em suas redes sociais mentindo que havia estado na China e que estava com o cononavírus.

O problema é que ele fez isso dentro de um avião com mais de 250 passageiros e, por conta da fake news, o avião deu meia volta.

Já em terra, ele foi examinado e pego na mentira.

Por conta do papelão, Potok confessou que fez isso para viralizar na internet e obter likes e mais seguidores.

O resultado é que, mesmo pedindo desculpas, ele foi preso. Para saber mais sobre, clique aqui.

 

Não compartilhe!

A dica final é que você não compartilhe NADA que não tenha CERTEZA de que é verdade.

Se você tiver 1% de dúvida já é motivo suficiente para não compartilhar, pois é assim que as notícias falsas ganham as redes:

Elas parecem verdadeiras e as pessoas espalham de graça!

Não faça parte das fake news, pois elas prejudicam muita gente, combinado?

Agora, o nosso desafio você pode compartilhar “cazamiga”e “cozamigo” sem moderação! 😀

 

Para ler os desafios anteriores, clique nos títulos abaixo:

 

1 – Regras: uma relação de amor e ódio

2 – Por que não consigo mudar?

3 – Vivo sem dinheiro, o que faço?

4 – 10 segredos dos campeões quenianos

5 – Boa comunicação faz diferença

6 – O desafio de tomar água

7 – Sextou! Como aproveitar bem o fim de semana

8 – Boa convivência na internet

9 – Seu mês de janeiro teve 100 dias?

10 – Viver de crédito é a escravidão moderna

11 – Hábitos de fracasso levam ao fracasso

 

Nos vemos!

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Ola Patricia! lendo o texto me lembrei de algo que aconteceu comigo há uns anos atrás. Eu estava a procura de um carro para comprar e encontrei um modelo bacana num site de compra e venda. Quando entrei em contato com a pessoa por e-mail, veio com uma conversa muito convincente e até então estava muito empolgada. Só que depois recebi um e-mail como você mesmo disse: cheio de erros de português, comecei a desconfiar. No e-mail tinha um link da página da tal empresa, quando acessei não tinha nada a ver com o que eles diziam. Desconfiei mais ainda quando pediram pra eu ir no correio e fazer um depósito na conta deles, antes de ter o carro e claro não fiz, pois percebi que se tratava de um golpe. Por isso é necessário estarmos muito atenta com tudo.

  • Pois é! Mesmo sendo super cautelosa, acabei caindo numa dessas propagandas enganosas. Era uma oferta de venda de cinta elástica abdominal…. do tipo leve uma e ganhe mais uma…alguma coisa assim. Fiz meu cadastro, com direito a mensagem de confirmação no email e tudo. Efetuei o depósito e estou até hoje esperando a entrega do produto. Gostaria de saber, inclusive, se posso acionar o Procon ou coisa assim… Me ajuda, Patrícia!”!! A sensação de ter sido lesada está me incomodando muito…sem contar que expus meus dados… O que fazer nesse caso?

    • Oi, Flavia
      Pode ser que não seja um golpe, mas sim, algum problema de entrega ou no recebimento do pedido. Tendo o comprovante do depósito, o primeiro passo é entrar em contato com a empresa que lhe vendeu o produto (de preferência por e-mail para ficar registrado). Verifique o que houve e o motivo de não ter recebido. Diante disso, espere o novo prazo de entrega. Se não receber, acione o Procon o quanto antes e não deixe de registrar o ocorrido no site Reclame Aqui. É bom para alertar outras pessoas. Beijos!

  • Oi Paty! O duro é que, não são apenas as fake news que prejudicam pessoas. A Liliana Delfino (advogada) tem um canal no Youtube que eu também sigo (além do seu, óbvio! rsrsrs) e, outro dia, ela postou um vídeo contando que tem gente entrando com processos no INSS de forma errada e se prejudicando, porque viram vídeos nessa mesma plataforma dando instruções imprecisas. Ela ficou muito preocupada e resolveu mostrar esses erros e tentar alertar as pessoas. Pelo que me lembro, a cliente dela sairá no prejuízo por causa disso – erro sem conserto.

    • Sabe o que isso me parece, Paty? Querer dar “jeitinho” em tudo. Em vez de investir em um advogado para fazer as coisas da forma correta, as pessoas querem economizar e dão ouvidos a qualquer criatura que ensina um “caminho fácil”. E não é dizer que são pessoas que não têm dinheiro para isso, pois existem formas de fazer gratuitamente, só que tem que levantar da cadeira e nem todo mundo quer se mexer!

  • Antigamente, a gente falava que papel aceitava tudo. Hoje, a internet aceita tudo Precisamos ficar vigilantes. Olha as pirâmides financeiras lesando pessoas desde que eu me conheço por gente. E, com a internet, ficou ainda pior. Pessoal põe dinheiro em empresas que não sabem como funcionam e desconfiam do banco que tem agência física na cidade onde mora. Ano passado, foi só choradeira. Várias pirâmides quebraram. E agora, há a figura do piramideiro profissional que fala explicitamente no Youtube que tem que entrar no início para ganhar mais.

  • Obrigada, Patrícia!
    Mas, tentei consultar o andamento do pedido e aparece uma mensagem estranha… enfim, acho que se trata de golpe sim. São armadilhas para o consumidor desatento…temos que nos certificar sempre acerca da idoneidade das empresas e das propagandas para não nos deixarmos levar pela ilusão da praticidade de comprar com alguns cliques…
    Tenho aprendido muito com você.
    Gratidão!!!

  • Nossa que cara sem noção! As pessoas não conseguem enxergar o que estão fazendo! Livrai-me de toda fake news amém! kkk

  • Imediatamente pergunto: “Você conferiu a fonte?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *