O período de quarentena tem sido estranho para a maioria e ficar em casa por tanto tempo começa a trazer revelações tão estranhas quanto…

A quarentena e suas revelações

Não é de hoje que recebo comentários, digamos, curiosos, mas neste momento de quarentena todos os recordes foram batidos!

Um deles foi publicado no meu Instagram por uma mãe que escreveu:

Estou precisando (de paciência), pois ser mãe 24 horas por dia durante 3 meses não está sendo fácil.

Trata-se da mãe de um menino de 7 anos, ou seja, não é uma mãe de primeira viagem.

Porém, ela está perdidinha por ter de ficar com a criança o dia todo, pois segundo seu relato, está “muito difícil”.

É claro que lidar com criança não é uma tarefa fácil, mas esta não é a primeira mãe que comenta nas redes que não está sabendo lidar com os filhos.

Antes, muitas reclamavam não ter tempo para estar com eles, mas agora, dizem que é tempo demais!

Os pais não ficam atrás, porém, para eles é muito mais simples, pois qualquer incômodo é só chamar a mãe e pedir que ela cuide “do filho dela”.

Se você entrar em qualquer grupo de mães vai notar que a maior dificuldade no momento é exatamente essa: ser mãe.

E eu me pergunto, por que será?

Longe de querer explicar com uma resposta simples, apenas tentei fazer uma reflexão.

Não seria porque essas crianças pouco veem seus pais e agora estão exagerando na dose para chamar a atenção deles?

Certamente essa fase também está sendo difícil para as crianças que, em sua maioria, estão acostumadas a passar muitas horas fora de casa.

Porém, chama a atenção o desespero de alguns pais (não poucos), que não veem a hora de mandarem os filhos para a escola e para as outras atividades que enchem o dia das crianças, dando paz e sossego a eles.

Há pouco tempo circulou na internet o desabafo de uma mãe que dizia não ter a menor ideia de que seu filho fosse tão insuportável.

Ou seja, são pais que não conhecem os próprios filhos e que, neste momento em que poderiam fazer isso, parecem mais quererem se livrar deles.

Obviamente as crianças percebem esse tipo de coisa, sem mencionar os pais que dizem com todas as letras, frases do tipo:

“Não vejo a hora de ir trabalhar para ter paz na vida!”

É triste essa época que estamos vivendo, principalmente para a mulher, que se culpa por não ser a mãe que gostaria, mas se vê perdida, sem saber como fazer diferente.

Para ajudar, indico uma cartilha com brincadeiras para a família durante a quarentena.

Para baixar gratuitamente, clique aqui.

Curso Como Enfrentar a Crise – Gratuito!

Está sabendo que estou dando um curso gratuito no meu canal do YouTube?

São 9 aulas ao vivo 100% gratuitas sobre:

  • Finanças pessoais
  • Carreira profissional
  • Aprendizado para renda extra

Hoje (quinta, 21/05), às 20h em ponto, teremos a nossa quinta aula sobre Talento X resiliência para turbinar a sua carreira profissional.

Antes da aula seria ótimo você já baixar o e-book gratuito com todo o conteúdo das 9 aulas.

Clique aqui, leia a programação e faça o cadastro para receber o e-book gratuitamente.

Se você perdeu as aulas anteriores você pode assistir clicando nos links abaixo:

1 – Mindset gerenciador

2 – Habilidades e Matriz SWOT

3 – Como você aprende?

4 – Bases para controle e análise financeira

 

Não vai perder!

Aliás, falando em não perder, inscreva-se no blog, assim você fica por dentro de tudo que só meus assinantes sabem!

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Leia também:

O profissional que nunca fica sem trabalho

 

Nos vemos no curso!

Jornalista, especialista em finanças e autora de 5 best-selleres. Colunista do portal R7 e apresentadora do JR Dinheiro, no Jornal da Record.

  • Oi Patricia. Como pesquisadora vejo constantemente mães de “antigamente” com 08, 10, 12 filhos. Levavam para amamentar na roça, como foi o caso da avó do meu marido. Sabemos que uns ajudam a criar os outros, mas a mãe estava sempre presente. Confesso que nao sei como seria se eu tivesse meus filhos pequenos em casa. Sei que logo vem um neto “postiço”, pois as escolas nao voltarão antes de setembro, ou seja, poderei dar meu relato como avó, não como mãe. Vou baixar a cartilha. Obrigada. Beijos a todos.

  • ai que fica bem claro o egoismo das pessoas, sim eu vejo como egoismo voce querer ter filho por ter nessa hora nao sabe ser mae sabe por que? porque terceirizou para outro cuidar ou seja escola, cada dia mais eu vejo que fiz a escolha certa em nao ter filhos se nao posso ficar com eles, cuspir uma crianca no mundo e tacar pra professores ou creche cuidar e muito facil, digo o mesmo em relacao a casamentos as pessoas casam pra falar que casaram, nessa quarentena ficou muito claro isso, que tem filho porque querem satisfazer o ego e dizer que tem e casam pra satisfazer o ego tambem e falar que casou, mas no fundo nao dao valor a familia nem nada disso, ou sera que nunca imaginaram que filho requer cuidado 24 horas, ah logico porque jogavam a responsabilidade de cuidar de uma criança para um terceiro, por isso tem tanta genterrada rebelde por ai, porque os pais não sabem ser pais, terceirizam para outros

  • Bom dia Paty, eu li esse comentário em seu instagram e o mesmo também me chamou a atenção, pensei: “O que ela era então antes desses 3 meses?” Não tenho filhos e quando penso em ter logo me vem a mente esses relatos, claro que não devemos basear nossas escolhas nas escolhas de outras pessoas, mas existe uma realidade acerca da maternidade e se não estou pronta para vivê-la então que eu não tenha essa realidade para minha vida, e como você bem mencionou, a criança sente essa “rejeição” e isso com certeza trará marcas no futuro dela, por isso é importante nos conhecermos e sabermos nossos limites, nossas limitações e ter muita sabedoria para não expor essas limitações para aqueles que não saberão lidar com elas.

  • O lado bom dessa quarentena é que vão saber o que uma mãe em tempo integral realmente passa!!! Pra maioria, essa mulher tem uma vida “fácil” pq está em casa e pode fazer os próprios horários (SQN). Sou mãe de duas meninas, uma de 2 anos e uma de 8 meses que decidi não mandar pra creche e digo: não é fácil!!! Conciliar horários, prover o bem estar das duas, me desdobrar com as tarefas domésticas e encontrar um tempo pra respirar sem ser interrompida, é um desafio enlouquecedor!!!
    E palmas para os professores tb, pq tem pais que não estão aguentando os filhos em casa e acham que os professores tem obrigação de aguentar na escola e educar!!!
    Essa quarentena está mostrando nada mais do que deveria ser enxergado: será que estamos educando nossos filhos direito? Será que não estamos querendo delegar essa educação para terceiros? Que tipo de seres humanos estamos formando? Realmente não tenho tempo ou não tenho paciência pra estar com meu filho? Vale a reflexão, né???

  • Olá, Patrícia.
    Aproveitando sua matéria, vou dividir uma situação, que é fazer home office e ficar com duas crianças, de 03 e 10 anos…
    Meu marido sai para trabalhar e eu em casa, nem sendo uma boa profissional, nem tão pouco uma boa mãe.
    Muito frustrante…
    Beijos e parabéns pelo seu trabalho.

  • Nossa muito edificante este artigo. Confesso que esse não é o meu caso pois tô amamdo estar com o meu filho de 8 anos mas percebi que a moça que toma de conta dele em quanto eu trabalho fez ele se tornar uma criança mto dependente e até preguiçosa em ver aspectos e eu tô tirando isso sei que vai ser um processo mas não desistirei. Queria ate arrumar um emprego pra ficar home office mas aqui no maranhao eles nao tem essa educacao. Obg Patrícia

  • Que legal Patrícia, obrigada por compartilhar essa cartilha, eu não tenho filhos, mas quando alguém da família quer “descansar dos filhos”, manda aqui pra casa pra ficar comigo e só busca a noite e quem fica perdida sou, pois não tenho experiência nenhuma.

  • Bom dia Patricia
    Estou muito feliz pq tenho acompanhado sempre o seu blog ,suas postagens tem me acrescentado coisas maravilhosas em minha vida.
    Sempre procuro me policiar referente as minhas finanças e tenho aprendido muito com vc.
    Estou amando assistir o novo curso online gratuito e principalmente nessa quarentena onde sempre procuro reservar um pouco da minha finança.
    Olha muito bom essa cartilha eu ñ tenho filho pequeno ,porém tenho 2 netinhas pequenas.Preciso baixar a cartilha para as märs dessa crianças.
    Q Deus te abençoe sempre

  • Embora eu não esteja em paz por não estar trabalhando (por falta de transporte, não tendo outro respaldo para ficar em casa e mesmo sendo funcionária pública, não sei o que está por vir), fico tranquila por estar passando esse tempo todo com meu filho de 13 anos, visto que, quando estou trabalhando, faço plantão de 24h, ficando fora de casa 1 dia inteiro por completo (fora o trajeto, que são de 3 a 4 horas, para ir e voltar, já que trabalho há 180km de distância da minha casa). O que resume esse período pra mim é tranquilidade. Nesses dias que estou em casa posso acompanhá-lo em tempo integral e, como ele já estava começando a ir pra escola sozinho, ganhei mais um tempinho pra cuidar da “minha cria”, pois como mãe não é fácil, você começa a dar um pouco de liberdade para ensinar a ter responsabilidade, mas o mundo lá fora é cruel e preocupa. Isso porque moro numa cidade relativamente pequena a mais tranquila, se não até os 18 anos ia sair grudado comigo. Mas para pequenas distâncias já estava deixando ele sair.
    Claro que quanto mais você convive com uma pessoa, maiores serão as divergências. Principalmente na educação de um filho adolescente, é complicado. Mas esse tempo e oportunidade que estamos tendo (que até o momento da minha existência é única) deve ser bem aproveitado. Como pais então é um presente, pois podemos fazer essa troca de aprendizado e reforço da educação, coisa que é tão difícil de fazer em tempos normais.

  • Boa tarde, Paty!
    É difícil de entender as pessoas .
    Não tenho filhos .
    Mas as pessoas sempre estão questionando o fato de não ter filhos.
    Sendo que as mesmas que falaram de seus próprios filhos..
    Bjs 😘💕

  • Oi Paty! Tenho apenas 1 filho. Hoje ele tem 16 anos. Mas, sempre amei ficar com ele. Até hoje eu amo essa oportunidade de ter ele em minha vida. Mãe de 1 filho só será sempre uma mãe de primeira viagem, porque, cada fase, cada idade, é um aprendizado. Tem momentos que tenho que recorrer a outras mães, para trocar figurinhas, para saber lidar com ele. Mas, não troco essa oportunidade por nenhum dinheiro/emprego deste mundo. Posso não ter sido feliz no amor conjugal, mas, no filial… amor além da eternidade! Bjos!!

  • Eu fico muito triste com esse jeito das pessoas de hoje de falar tudo o que pensam. Falam publicamente que o filho é isso ou aquilo, o marido é isso ou aquilo. Eu sou mais discreta. Roupa suja se lava em casa. Todas as crianças e adolescentes são “terríveis” nessas fases mas precisam de amor, compreensão e educação, acolhimento.
    O problema da quarentena é que ela revela que os adultos não são os adultos da casa, não são a base da família ou a cabeça. Então, todo o resto não funciona.
    Eu já comentei esse ano e repito: estou bastante satisfeita com a vida que estou construindo pra mim. Sou solteira, não tenho filho, moro sozinha, estou fazendo pós, comprei meu ap recentemente. Sinto que estou andando pra frente.

  • Sou mãe de uma bb de 1a3m. Desde seu nascimento me dedido integralmente aos seus cuidados por escolha minha.
    Contudo, mesmo já estando em casa com ela mt antes da quarentena, tem sido sim mt difícil esta fase.
    Entendo e concordo com o ponto de vista do post. De fato, mts pais tem filhos e mais filhos pq delegam seus cuidados.
    Mas eu, por ex, antes de ser mãe, queria ter vários filhos. Agora, pretendo não ter outros justamente pq só agora pude entender a maternidade.
    E sim, ela é mt desafiadora, extremamente difícil e até desgastante. E ninguém te conta isso. Aliás, mesm se contarem, vc só vai ter noção qnd passar por ela. E é triste não podermos desabafar as vezes. Uma mãe que desabafa de cansaço pode ser uma excelente mãe. Só esta cansada. Ou sobrecarregada. Aliás, a maioria está. Veja com é quase natural depositarmos toda “culpa” na mãe, qnd ela tb é do pai, q mtas vz é omisso, ausente, indiferente…
    Enfim, partilho da ms opinião do post. Tanto que dei o meu ex pessoal.
    Contudo, na minha opinião, talvez o post seria mais fiel se não tivesse usado o comentário da mãe em questão. Pq colocar nela mais um fardo? Por um comentário, jamais vamos saber qual é a sua realidade. Talvez ela só usou mal as palavras. Jamais saberemos sem conhecê-la.
    Td tem o outro lado da moeda. E ficar trancafiada com criança em casa, mtas vezes em apartamento sem área, sem poder ir à um parque, casa dos avós, ou sem dinheiro.. É bem difícil sim.
    Mas, claro, a culpa nunca foi ou será das crianças.
    E, ao menos aqui, é mt gratificante acompanhar o desenvolvimento da minha filha ofertar toda minha atenção a ela. Mas não deixa de ser difícil.

  • Verdade, Patricia. Esse lado B da maternidade sempre ficou meio obscuro. Obrigada por trazer esse assunto.
    Realmente, as mulheres ficam perdidas e cheias de culpas.

    E piora quando a falta de empatia e o estigma que algumas pessoas continuam colocando em cima de outras Mulheres/Mães.
    “É egoísmo querer ter filhos e não saber ser mãe“

    Isso só faz pesar mais ainda na cabeça de quem já está estafada. A mulher não tem nem mais direito de se sentir cansada ou confusa.

    Queria que as pessoa entendessem que NINGUEM, absolutamente NINGUEM consegue ser Mae 24 horas. Nem ser Esposa/Marido 24h. Nem ser Profissional
    24 horas por dia.

    Hoje em dia, a forma das crianças de gastar sua energia, sociabilizar com pessoas alem do convívio familiar acaba sendo a escola. Mandar para a escola não é terceirizar a educação, como vi pessoas falando.

    Mas nessa quarentena, nem “descer pro play” as crianças podem mais. A energia, a necessidade de conversar, brincar, brigar fica para quem esta mais perto, que comumente é a Mãe (ou o Pai).

    Somado com outras preocupações do dia a dia, Isso pode mexe com a sanidade de qualquer um.

    Mulheres (principalmente), por favor, parem de sobrecarregar as outras com suas crenças.
    Não critiquem outras mulheres que não querem ter filhos.
    Quem não quer ter filhos, não julguem que os tem (ou deseja ter).

    Já temos tanta coisa pra enfrentar apenas pelo fato de sermos mulheres. Unidas somos melhores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *