Uma leitora comentou no post de ontem: “Às vezes a pessoa precisa chegar no fundo do poço para despertar”. Devo dizer que é a pura verdade. Confira o desafio de hoje!

Fundo do poço para despertar

A frase que inspirou o post de hoje é da leitora Fátima Fernandes, que diz:

Às vezes a pessoa precisa chegar no fundo do poço para despertar.

Certamente, essa é a mais pura verdade!

A maioria das pessoas, assim como aconteceu comigo, só percebe que precisa se educar financeiramente quando está no fundo do poço.

Embora eu tenha passado por uma situação de alto endividamento por um negócio que não deu certo, poderia ter sido menos traumático se eu não tivesse gastado tanto.

Enquanto a loja deu lucro eu estava gastando e só parei quando os prejuízos começaram a se acumular.

Da mesma forma, as pessoas que chegam aqui no blog vêm quando já não sabem mais o que fazer em relação às finanças.

Só quando o cartão para de passar e as ligações de cobrança começam é que a pessoa cai na real de que pisou na bola e precisa mudar.

Igualmente, no que se refere a este desafio, a maioria aceitou participar porque percebeu, tardiamente, que gasta demais.

Boa parte dos comentários lamenta o fato de não ter percebido antes e, provavelmente, este também é o seu caso.

 

O que fazer depois que o leite derramou?

Acabei de ler o comentário (no meu canal do YouTube) de um rapaz lamentando um acordo que fez para pagar uma dívida.

O valor devido no cheque especial era de R$ 3.600, mas ele aceitou pagar 48 parcelas de R$ 305 porque não fez a conta…

Ele acabou pagando um total de incríveis 14.640 reais! Praticamente quatro vezes mais do que devia…

Mas, o que quero ressaltar nesse exemplo, é que ele está buscando se educar, mesmo que o pior já tenha passado.

E é isso que devemos fazer quando agimos de forma errada em relação a alguma coisa.

Inegavelmente vamos lamentar, mas mais do que isso, precisamos agir!

Sei bem que quando a gente quebra a cara e faz uma burrada tremenda, a tendência é querer esquecer que aquilo aconteceu um dia.

Porém, precisamos encarar o fato, buscar entender os motivos e, com todas as cartas na mesa, virarmos o jogo!

É possível dar a volta por cima!

Além da minha história de superação (que conto em detalhes no livro Bolsa Blindada), vou mostrar dois casos de leitoras aqui do blog.

Principalmente porque muita gente acha impossível viver sem depender de crédito (assunto do post de ontem). Veja:

 

Vivo essa experiência de não ter crédito. Fiquei 4 anos com o nome sujo, mas paguei todas as minhas dívidas. E, apesar do nome limpo, aprendi a conviver sem crédito. Eu não quero mais cartão de crédito exatamente porque não sei usar. Minha última compra grande foi no dia 2 de Janeiro e paguei à vista. É uma delícia! Hoje, prefiro esperar meses para conseguir algo do que pagar parcelas. Até meu IPVA consegui pagar à vista este ano!

O comentário acima é da leitora Patricia Infanti e abaixo segue o comentário da leitora Dany B (os comentários são editados).

Faz algum tempo que vinha sonhando em viver só no débito. É libertador chegar no final do mês e não ter que entregar todo salário para pagar o cartão de crédito! Eu penso duas, três vezes antes de comprar, porque estou dando meu dinheiro limpinho para adquirir algo.

A Dany quitou o cartão de crédito e passou a viver só com o dinheiro que tem, assim como a Paty.

Ambas têm o nome limpo, mas optaram a viver com o dinheiro têm.

São exemplos de leitoras como você e não de especialistas ou de pessoas que ganham fortunas, como algumas podem pensar.

São pessoas comuns, mas que conseguiram sair do endividamento e hoje vivem em paz.

E é essa palavra que quero deixar para você no desafio de hoje: viver em paz!

Se você acha que sair comprando tudo vai lhe trazer paz, posso dizer que não vai.

Ao contrário, você vai ficar feliz por 15 minutos e arrependida por dias, semanas ou meses…

Receber ligações de cobrança tiram a paz de qualquer pessoa, então, pense nisso antes de comprar sem ter dinheiro para pagar.

A alegria pode ser momentânea, mas não compensa o arrependimento.

Então, que o seu fundo de poço sirva para lhe conscientizar a buscar essa paz!

 

LISTA DOS DESAFIOS JÁ POSTADOS:

DIA 01 – Desafio 30 dias sem compras – Começa aqui!

Dia 02 – Vença os obstáculos invisíveis

Dia 03 – Vença as lutas visíveis

Dia 04 – Vença as vergonhas financeiras

Dia 05 – Não é uma resposta completa

Dia 06 – Defina um objetivo e as lutas virão!

Dia 07 – Critérios para compras durante o Desafio

Dia 08 – A onda do empoderamento desempoderado

Dia 09 – Cuidado com as compras via internet

Dia 10 – Você foi programada para ser pobre

Dia 11 – Não te entendo, te ofendo

Dia 12 – Autoconhecimento é a palavra-chave para o sucesso

Dia 13 – Ilusão, fantasia e perda de dinheiro

Dia 14 – Viver sem crédito

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

 

Nos vemos amanhã!

Jornalista especialista em finanças, autora do best-seller Bolsa Blindada, colunista do programa Mulheres, TV Gazeta e youtuber.

  • Patrícia vivo nesse lema recebo e mal consigo pagar meus cartão de crédito já não sei mas por onde começar,pois meu marido paga as despesas de casas e o meu salário vai todo pro cartão ,mim ajuda por favor mim dá uma dica de como sai desse cartão .

    • Aqui tem muita dica, faz uma maratona que vc vai achar a saída!

  • Estou na luta para me livrar do cartão de crédito. Um dia de cada vez. Bjus

  • Essa msg veio como bálsamo ao meu coração, estou super agitada por conta de um compromisso que fiz contando com o 13, porém com essa crise ainda não recebi todo e o dinheiro e agora a angústia toma conta… 🙁 mesmo c este problema já me conscientizei que preciso buscar a minha paz financeira. Deus os abençoe!

  • Há mais de 2 anos que vivo sem cartão de crédito. Já tiveram meses que a fatura foi maior que o salário. Até que um dia eu estava desempregada e com apenas R$ 50 no bolso, era tudo o que eu tinha. Não tinha idéia de como pagaria as contas do mês seguinte. Então passei em frente a uma banca de jornal e pensei que ali tinha que ter alguma coisa que pudesse me ajudar. Foi quando achei um livro e paguei R$ 20 por ele, então aquele dia fiquei só com R$ 30. O livro que comprei foi Bolsa Blindada. Eu li ele inteirinho no mesmo dia que comprei, tamanho era meu desespero. Aprendi lições valiosíssimas que valeram cada centavo. Então no outro dia comecei a colocar em prática e desde então venho melhorando cada vez mais e não tenho mais nenhuma dívida, já estou formando minha reserva de emergência e adquirindo conhecimento para investir. Hoje tenho sim um cartão, mas ainda não foi necessário usá-lo. É muito melhor comprar á vista. Obrigada Paty pela sua história e seu trabalho mudaram a minha vida. Já li todos os seus livros e pude ter o prazer de te conhecer pessoalmente. 😘

    • E hoje vc acaba de pagar o meu salário! ❤️❤️❤️❤️

  • Me emocionei com o depoimento da Angélica Oliveira… Parabéns Angélica pela sua mudança e parabéns Patrícia Lages por nos presentear com tantas dicas, tantos ensinamentos e gratuitos! 😁Não sou de gastar, não gosto de shopping, mas nesses dias do desafio estou muito atenta. Às vezes são os pequenos gastos que fazem a diferença, por exemplo: tive que comprar presente para um aniversário, comprei um livro, mas me deu uma vontade de comprar um livrinho para mim, uma caneta colorida … são pequenos valores, mas esse pensamento que não devemos ter também, afinal eu sairia de lá com mais uma caneta e mais um livro para pôr na fila para ler 😂. Só vou comprar livro depois que eu terminar os que tenho em casa me esperando. Obrigada! Obrigada!

  • Patrícia, acompanho você no YouTube também. Vi um vídeo que fala dos “encelopes”. Você mostra que tem um envelope para viagens. Gostaria, se possível, que você faça um vídeo falando como você faz para organizar financeiramente a sua viagem. Se você paga em dinheiro quando viaja ou usa o cartão. Gosto de viajar e quando volto, sempre tenho um cartão enorme para pagar, o que me causa sempre endividamento. Compro no exterior no cartão porque mesmo levando uma boa quantia em dinheiro, me vejo tentada a comprar tudo o que vejo, como “oportunidade”! Me orienta! Bjs.

    • Eu uso cartão e dinheiro, mas para não exagerar, é preciso definir quanto vc pode gastar no cartão e não passar daquilo. Bjs

  • Precisamos aprender a ser o nosso próprio banco… de investimentos! não esse que te oferece cartão, limite, cheque, empréstimos.

    Investir em conhecimento, guardar dinheiro para comprar à vista, planejar e guardar dinheiro para grandes despesas…

    Ainda não terminei de quitar minhas dívidas mas parei de fazer novas comprando no débito.

  • Cada texto tem sido muito valioso!
    Se conhecer é fundamental nesse processo!
    Obrigada!

  • Ontem precisava ir até um local e no caminho precisava passar em frente a uma loja de roupa de cama que sei que está em promoção. Para não cair em tentação me recusei até a olhar a vitrine, simplesmente virei a cara kkk
    Até preciso trocar as roupas de cama, mas antes preciso fazer umas consultas médicas, depois de resolver meu problema de saúde penso nisso.

    Bjs

  • Eu sempre fui equilibrada com minhas contas, mas depois que casei minha vida se transformou. Meu cônjuge não soube lidar bem com o dinheiro e hoje pagamos por isso. Já paguei uma dívida dele de R$ 5 mil e hoje ele deve o dobro. Passamos em 2017 por alguns apuros que fizeram com que ele contraísse essas dívidas, ele ficou desempregado por quase 2 anos, entre idas e vindas de trabalhos temporários as dívidas foram aumentando. Agora que voltou a ter emprego fixo, ganha muito pouco e não consegue liquidar as dívidas, mesmo ajudando ele vejo o quanto estamos engessados. Trabalhamos para pagar as contas e não nos sobra nada e ainda fica faltando muito para liquidar as contas, arruinando nossos planos 🙁

  • Patricia, se você soubesse o bem que está me fazendo esse desafio, você nem imagina! Com a terapia e com o desafio percebi o quanto eu tento acompanhar o nível social dos meus parentes e o quanto a minha perna não alcança. Esta sendo difícil, não nego mas estou me conscientizando que a minha realidade financeira não é igual a deles e ponto. Aliás reconhecer isso me dá forças para buscar uma condição financeira melhor. Obrigada, seu trabalho faz diferença na minha vida. Beijos

  • Estou num dilema… pago o cartão, o dinheiro acaba, continuo comprando no cartão. Tenho uma pequena reserva, pq minha mãe é acamada e fico com medo de uma emergência… não sei se adianto os parcelamentos do cartão ou se continuo com essa reserva guardadinha. O desafio me ajudou a não fazer mais parcelas… espero continuar assim para sempre.

    • O melhor para vc é não mexer na reserva, mas parar de usar o cartão. Bjs

  • Uma das melhores coisas é a pessoa ter o controle das suas finanças! Hoje percebo muitas pessoas que são motivadas pela mídia em tudo e começam a comprar e comprar, mas sem poder pagar. Isso é muito triste, porque o valor gasto com o que não precisa, faz falta com o que precisa e daí em diante é só lamento. Várias pessoas que conheci, após receberem o salário, já não tinham nenhum tostão! Mas não mudavam, continuavam a comprar mesmo sem ter e viviam se lamentando…para algumas, cheguei a indicar os seus livros, mas elas tinham “pena” de gastar com papel.

    • Gente que vê livro como “papel” vai continuar queimando dinheiro como se fosse papel… Sem conhecimento não se chega a lugar algum! Bjs

  • Graças a Deus que existe pessoas como você Paty, que faz um bom uso da Internet compartilhando o que é bom. Eu acompanho seu trabalho a anos, já tive bons resultados e também acredito que nada melhor do que “viver em paz”. Hoje não estou em um bom momento porque não acertei em um negocio que fiz, mas graças a Deus enxerguei a hora de parar e me reconstruir profissionalmente.
    Quando agente chega no fundo uma vez aprende, e trabalha e faz direito pra não voltar pra lá.
    Feliz e sábio quem aprende com o erro dos outros.
    Beijos

  • O post de ontem me impactou de tal forma que corri para quitar as parcelas futuras (entrou uma quantia boa mês passado que deu para fazer isso) . Liguei e fui em estabelecimentos, fiz os cálculos, bloqueei cartões, fiz pagamentos, e estou praticamente sem dívidas. Semana que vem quito o restante, mas já estou tão feliz, mas tão feliz, mais leve, em paz! Que sensação maravilhosa 😄😍😄! E o post de hoje só reafirmou, com os exemplos, que viver no débito é bem mais inteligente. Ficou até mais fácil me organizar e resistir aos gastos desnecessários. Quando eu iniciei o desafio, fui duas vezes ao shopping e andei quase em todas as lojas querendo comprar, mas resisti, porém, ficava frustada com o tempo que perdia nessa andança toda. Ontem fui ao shopping para pagar uma dívida, e nem quis ficar perdendo meu tempo olhando os produtos das lojas que eu não iria comprar. Fiz o que tinha que fazer e fui embora. Pensa na minha felicidade de ter conseguido fazer isso 😂🙏🏻🙌🏻! Kkkkk… Abraço apertado em você Paty e em todas as participantes dos 30DSC, pois também tenho lidos os comentários e têm me ajudado muito! 😍🤗💕

  • A cada dia, tenho neste blog um aprendizado gratificante. Parabéns Patrícia, você é uma menina de ouro. 🎖🎖🎖

  • O pior é quando se tem uma recaída! este é o meu caso, mas vou sair dessa!
    Parabéns à Angélica Oliveira!!

  • Olá! Eu ainda tenho que adquirir o hábito de comprar à vista. Mesmo tendo o dinheiro, acabo parcelando em 2 ou 3x no cartão, porque o preço é o mesmo e fico com aquela sensação de “não sinto pagar”. Com certeza, essa atitude faz com que eu compre coisas não tão necessárias, porque não percebo o dinheiro indo embora na hora. Tenho o controle dos meus gastos e consigo pagar minhas contas, mas acredito que por essa “facilidade” de comprar, estou deixando de guardar dinheiro para um investimento maior.
    Determinei que vou mudar esse hábito à partir de hoje, para em breve, poder dizer que vivo sem crédito e livre 😀

  • Vejo histórias de pessoas que querem sair do vermelho e que procuram sobre educação financeira. Esse não é o meu caso. Quandocriança, porque me chamaram de gatstadeira( a mesada ia embora tudo em bala na Venda Neuza e outas histórias).
    Sou conhecida como pão dura, e de verdade não me incomoda.
    Tenho aquele medo, que te poe limite saudável de não pular do penhasco, de gastar dinheiro. não sei o que é estar no vermelho.
    Mas, to participando, para reavaliar e melhorar minhas finanças

  • Verdadeiro e emocionante o comentário da Angélica Oliveira. Parabéns Angélica, pela força e determinação. Parabéns Paty querida, com tanto empenho, dedicação e aprimoramento em suas dicas, cada vez amo mais S2
    Você merece todo sucesso… Beijos

  • Patrícia, mais um post bacana! Obrigada! Pena que vivo “no buraco”, há muitos anos, até perdi a conta. O problema é que, desde muito cedo, comecei a trabalhar e sustentar minha família. Quando meu pai faleceu, deixou minha mãe e 5 filhos pequenos. Eu, a mais velha, tinha 2 meses que trabalhava no Banco do Brasil. Praticamente, incorporei uma espécie de substituição do meu pai o resultado foi que meus irmãos fizeram só segundo grau, casaram cedo, tiveram filho, minha irmã também se casou, teve filho, separou, em seguida e eu, ia assumindo tudo. Hoje, com 54 anos, percebi que deixei a vida me levar e para não deixar faltar nada, fui tomando empréstimo pra pagar divida, muito cartão de crédito, juro de todo lado, muitos imprevistos, enfim, acompanho suas dicas, mas, desacreditada, pelo rumo que as coisas chegaram, minha mãe comanda tudo, não deixa faltar nada, e eu, tudo que recebo de aposentadoria, já descontadas os consignados, fica nos bancos, nas contas fixas, nos mercados e nos cartões de crédito, dos outros, pois há muito, com nome sujo, não tenho cartão. Fundo do poço permanente e cada vez mais, afundando. Sinceramente, não vejo saída. Tenho vontade de voltar ao mercado de trabalho, mas bancária, não tem profissão e minha formação é Letras, duas especializações, mas minha experiência, na área, é zero. Desculpe-me o desabafo.

    • Ou, Edna. Para tudo há esperança e eu aconselho vc a ler o livro Bolsa Blindada. Certamente vai te dar um norte! Bjs

  • Cartão de crédito é outra ilusão, pois nos dá uma falsa sensação de poder de compras.

  • Como valeu a pena participar deste desafio… Quero aprender mais e mais para compartilhar com as pessoas em minha volta….

  • Uma das piores experiencias, mas acho que ainda não cheguei no fundo do poço… e nem quero chegar.
    Digo isso porque fiquei tremendamente endividada, pedi ajuda a meu pai, vendi o carro para reduzir as dividas, me organizei e vez por outra me pego entrando no cheque especial e utilizando o cartão mais do que posso pagar.
    Para mim é uma luta esse vai e vem… mas me esforço… e estou aqui no desafio tentando deixar de uma vez por outra as compras por impulso.

  • Muito edificante, sempre. Quem absorve estas joias blinda o bolso para sempre.

  • sensacional fico pensando como a gente desperdiça dinheiro e chega um tempo que se precisa e não temos. vc falou certo só aprendemos quando passamos por dificuldades financeira para aprender lidar com o pouco.eu venho me despertando a cada dia para uma realidade ,ás vezes carregamos em nossa bolsa algo que não é nosso limite do cartão e um cheque especial é uma ilusão pensar que temos dinheiro só na fantasia principalmente para quem não tem disciplina com dinheiro.
    tudo que precisamos é de preserverança e disciplina na nossa vida .

  • Patrícia, parabéns por cada compartilhar. Meu tempo é muito corrido, passo o dia todo trabalhando, quando largo vou para faculdade, final de semana divido meu tempo aos cuidados domésticos( casa, preparação do almoço, final de semana e semana,cuidar da beleza , estudar etc) são tantas coisa que enfim, ainda não consegui ser uma pessoa organizada. A muito tempo criei a ilusão de acreditar que era organizada, mas a partir do momento que conheci a chave que leva ao sucesso( o autoconhecimento), pude ver que não era e ainda não sou organizada, mas acredito que dei um passo importante: aceitar que não ou e estou buscando e me esforçando para ser rsrs.
    Esse poste falou tremendamente comigo e é verdade, posso dizer que também cheguei ao fundo do poço financeiramente falando e estou fazendo e disposta a fazer o que for possível para sair. Vai ser um absurdo falar mais vou ter coragem e vou dizer, cheguei ao fundo do poço por duas vezes, acho que precisei chegar por duas vezes para de fato enxergar a realidade e estou pagando caro por isso.. Na verdade desta vez cheguei realmente ao fundo do poço, antes achei que tinha chegado mas não.
    Hoje vivo de forma totalmente limitada, perdi cartão de crédito, desentendimento no relacionamento, nome com restrição e na luta para me reerguer e de uma vez por todas aprender e ser livre financeiramente. Achei magnifico o post que você tratou sobre empoderamento feminino e é realmente assim, muitas de nós, inclusive eu, realmente não sabe qual é o verdadeiro emponderamento feminino. Seu blog esta me ajudando muito, preciso e tenho consciência que necessito administrar melhor todas as áreas da minha vida, mas tenho fé que vou consegui. Passei esse dias sem acompanhar, tinha parado no desafio 7, como já mencionei esses dias meu trabalho exigiu mais de bem , bem como na faculdade também, próximo as provas, mas retomei hoje e li refletindo um por um. Obrigada Patrícia, que Deus lhe abençoe sempre e que cada dia mais lhe dê sabedoria e discernimento, vindos do alto, pois você tem ajudado e contribuído para o sucesso de muitas mulheres e acredito sim que estarei nesta lista também, não vejo a hora de comprar seus livros, mas estou me esforçando para começar a adquiri-los . Mil beijos

    Alexsandra Cristina

  • Muitas vezes é só quando chegamos no fundo do poço que paramos e refletimos nas coisas erradas que fizemos, mas nunca é tarde para aprender, e ter paz é uma alegria que compra nenhuma nos dá. A bíblia fala que: ” mais vale o bom nome do que muitas riquezas” (pv.22:1) . Isto é uma grande verdade, não ter dor de cabeça com ligações toda hora, não dormir de tanta preocupação, ter cobradores incomodando a todo instante, a paz que o nome limpo proporciona não tem preço.

  • É verdade, nada paga a tranquilidade de olhar o saldo da conta e ver quenão está vermelho!

  • Muito boa esta dica. Já estou conseguindo falar não. O valor do cartão de crédito já está diminuindo. O saldo do mês passado não estava no vermelho. Acho que já estou começando a blindar minha bolsa. Obrigada. bjos

  • Muito obrigada, Patrícia!
    Fazendo o possível para parar de usar o cartão… as parcelas ainda levam boa parte dos meus ganhos, então para não entrar no especial uso o cartão. Mas estou usando a planilha que você disponibilizou no seu blog (diga-se de passagem… a melhor de todas que já fiz ou copiei)… e está me ajudando a diminuir bastante as compras no cartão até alcançar o objetivo de não usá-lo mais… nem para ganhar dotz…

  • Essa é minha meta para esse semestre. Acabar com todas as parcelas. Comprar no crédito só pra uma vez, por conta dos pontos!
    Amando os textos do desafio! Muito obrigada pelo tempo investido!

  • Ótimo post…viver em paz …sem dívidas…essa é a meta…
    Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *