Você quer curtidas nas redes sociais, mas para que mesmo?

Hoje em dia, pessoas físicas e empresas fazem de tudo para alcançar centenas ou, se possível, milhares de “curtidas” nas redes sociais. Mas o que isso tem trazido de resultados concretos para você ou para o seu negócio? 

Screen Shot 2017-07-24 at 16.39.14

No post de hoje vamos falar sobre como as empresas e pequenos negócios têm utilizado de forma ineficiente as redes sociais, mas também vamos falar sobre as curtidas em perfis pessoais que tanta gente corre atrás.

 

Perfis pessoais em redes sociais

Há quem chegue até a prejudicar sua produtividade no trabalho por passar muito mais tempo do que deveria nas redes sociais. Tudo em busca de ser aquela pessoa descolada, de quem todo mundo gosta, cheia de amigos virtuais e de curtidas.

Conversando com diversos empresários, vejo que um dos maiores problemas com os funcionários hoje em dia é o uso indevido das redes sociais. Gente que simplesmente deixa de trabalhar para checar o que “está acontecendo” nas redes, colocando seu emprego em risco, mesmo diante de uma das maiores crises de desemprego que o país está vivendo. Muitas empresas chegam a bloquear as redes sociais em seus computadores, mas os funcionários têm celular e o bloqueio se torna praticamente inútil.

Se esse é o seu caso, vença o vício antes que ele vença você. Analise o que você prefere: sacrificar o vício ou seu emprego? Viver sem o celular na mão ou sem dinheiro no bolso? A resposta não é difícil.

 

Páginas de empresas e pequenos negócios

Se você tem uma página de negócios, tenha em mente que, apesar de estar em um ambiente virtual, essa página deve gerar retorno real e de valor. Veja a diferença entre retorno com e sem valor:

 

Retorno virtual, sem valor – milhares de curtidas, mas que não trazem clientes, não geram nem aumentam as vendas/contratações, não resultam em sugestões nem em nada produtivo. Dezenas de comentários que só causam polêmica, que colocam em jogo a seriedade da sua empresa e que não trazem nada de positivo.

 

Retorno real, com valor – engajamento das pessoas com sua publicação, comentários de pessoas que estejam realmente buscando o que você tem a oferecer, sugestões produtivas, vendas/contratações. Isso não tem nada a ver com quantidade, mas com qualidade. Um post que gera mil curtidas e nenhuma venda de nada vale. Já um post que gera 10 curtidas e uma venda, vale uma venda.

O assunto é tão extenso que vou falar sobre ele durante algumas semanas, todas as quartas-feiras aqui no blog. Semana que vem falaremos mais sobre a nomofobia (vício em celular). Não perca!

Se tem alguma pergunta sobre o tema, seja pessoa física ou jurídica, deixe sua questão abaixo nos comentários.

Se você ainda não é cadastrada aqui no blog, cadastre-se agora para não perder nada!

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Kaysa diz:

    Decidi de uns meses para cá deixar de usar as redes sociais, eu acredito que era viciada e esse vício como qualquer outro era um atraso na minha vidapor isso abri mão dele. É incrível a produtividade que adquiri depois disso, logo porque substituí, ao invés de passar 1 hora no celular agora passo 1 hora lendo,coloquei como meta ler um livro por mês e de janeiro do ano passado pra cá já li 18 livros, só eu sei o quanto enriqueci intelectualmente falando, hoje sei fazer bom uso da Internet acompanhando pessoas como você Patrícia que acrescentam coisas boas em minha vida. Aproveitar esse espaço para mais uma vez agradecer por tantos conteúdos ricos. Forte abraço!

  • suelane santana assunçao diz:

    gostei, é um assunto que deve ser + discutido, eu por exemplo,
    esta semana que e semana de oração na minha congregação, estou fazendo um jejum semanal de facebook.Estava muito viciada nas ferias.

  • Ana Carla Saud diz:

    Realmente, as redes sociais são viciantes, mas pouco acrescentam… Dias desses cheguei a ver um vídeo compartilhado por um amigo a respeito de uma funcionária de ambulatório encarregada de medir a pressão de uma senhora idosa. A funcionária estava digitando os dados da idosa no prontuário do computador e, ao mesmo tempo, digitando mensagens no seu celular… Esqueceu-se de retirar o aparelho de medir a pressão em tempo hábil e de verificar o que havia marcado, causando sofrimento àquela paciente, que nada falou… O sr, que a acompanhava, também falava ao celular e nada percebeu… A pessoa que filmava percebeu tudo (tanto que filmou). Que belo processo em face da empresa prestadora dos serviços de saúde essa atitude da funcionária daria, se as pessoas não fossem pacatas demais…

  • Cidalia-France diz:

    Bom dia Patty,
    Verdade , muita gente correndo atrás do vento…resultado tornam-se bem ou mal conhecidas ,
    Gosto de uma frase de Mr. Ivan Maia : Popularidade é as pessoas gostarem de você, Felicidade é você gostar de si mesmo.
    Vai ser muito interessante concerteza o ´développement ´ deste assunto nas próximas semanas 👍
    Obrigada por tanta ajuda et gentileza !!
    Cidalia

  • May/SP diz:

    Olá Paty! Ótimo artigo.
    Não tenho Facebook há 4 anos e não me acho anormal por isso. Tenho uma conta no instagram porque gosto de buscar inspirações e até pouco tempo atrás seguia e era seguida nesse app. Comecei a desperdiçar meu precioso tempo “cuidando” da vida dos outros. Não era de propósito, era involuntário. A espiadinha, de 10 minutos, passavam facilmente de 30! Quando comecei a perceber que estava me fazendo mal (afinal, qual o propósito de passear? se divertir ou ficar mostrando para os outros o quanto você está se divertindo?), resolvi fazer um Detox de 45 dias e tem me feito muito bem! Estou fugindo da aparência do mal!

    Acho válido quem usa, e sabe usar, para fins comerciais tanto o instagram quanto o Facebook. Ótima ferramenta de negócios. Agora para usar para se aparecer, apenas para mostrar aquilo que muitas vezes não é a realidade, tô fora!

  • Jéssica Valentim diz:

    Olá, Patricia. Gostaria de saber como faço para realmente ter retorno nas redes sociais.. no caso para vendas efetivas. E qual a porcentagem de vendas que uma empresa que saiba engajar bem os clientes, conseguem? Obrigada!

    • Patrícia Lages diz:

      Esse é um assunto que exige mais aprofundamento e eu aconselho que vc assista aos cursos da Liliane Ferrari na EduK. Tem vários e são ótimos!

  • Joice Leal diz:

    Como preciso divugar minha loja passo grade parte do tempo conectada ao celular, mas ja fiz as minhas regras. Não abro ou respondo antes das 8h. Eu gostaria que você falasse mais sobre como ter retorno em vendas nas redes socias com as postagens. Bjs.

    • Patrícia Lages diz:

      Sugestão anotada!

  • michele diz:

    Vivenciei esta dilema,tanto em casa como no serviço.O que falta é ponderação.No inicio até era permitido,desde com ética,mas o mal uso prejudicou a todos.Tambem com a vinda da bebe,mudei o foco e aprendi a administrar melhor meu tempo no celular(detesto!)e na web.Fiz um Detox Digital,o que amenisou a ansiendade.É bom falar sobre isso tão abertamente.Estou curada.

    • Patrícia Lages diz:

      Parabéns!!!

  • MARIA SOUZA diz:

    Obrigada Patricia amei essa postagem

  • Bruna Carvalho diz:

    Gostaria de saber como trabalhar nas redes sociais para que me gere retorno em vendas.
    Desde já agradeço pelas orientações.
    Abraços!!!

  • Karina diz:

    Infelizmente esse mundo de redes sociais da uma falsa impressão que está sendo bem aceito na sua rede de amizade, que tem vários “amigos” devido as curtidas, mas acredito que somente 1% desses “amigos” das redes sociais de fato são, os demais nunca virão na vida, ou viu uma vez e adicionou no Facebook e pronto, nem assuntos tem para conversar inbox, pensando na distancia e na correria muitos não se ver pessoalmente, mais muitas vezes, nem para isso serve. Penso que se gosto da pessoa, temos que ter prioridade e fazer uma visita, conversas olho no olho, acho que virou um mundo de falsidade, olha temos vários amigos nas redes sociais, seguidores, mais infelizmente um e olha lá na vida real.
    Já relação aos negócios no inicio também me iludir com as curtidas, vazia uma postagem sobre meu negócio e se tivesse curtidas, pensava que as pessoas estavam vendo meu trabalho, quanta ilusão até viam mais se fosse esperar clientes por esse meio estava perdida, ainda no mundo de redes sociais, de felicidades o boca a boca existe e é muito mais eficaz do que as redes sociais, as pessoas vão saber o que está fazendo e um ou outro quando precisar desse tipo de serviço pode te procurar, porém primeiro irão pedir indicação se alguém conhece, se gostou do serviços, etc.
    Paty, talvez esteja errada mais não vejo grande empresas perdendo seu tempo em divulgações em redes sociais e sim, colocando representantes nas ruas para te fato mostrar o bom trabalho que fazem e seu diferencial, pois hoje devido as várias concorrências, ter o diferencial é essencial, e para mim o boca a boca está sendo mais produtivo.
    Estou gostando bastante desse assunto, e passa dicas, como os empresários ver essa questão de divulgação nas redes sociais, realmente vale a pena?
    Abraços.

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: