“Você está gorda!”

É o que a indústria da moda grita o tempo todo e, de tanto repetir, a maioria das mulheres acredita e vive o tempo todo insatisfeita com seu peso. O que fazer?

B2Gbl1oCcAIbTo5

A Calvin Klein – grife que gosto muito – fez uma campanha que não gostei nem um pouco: estampou em sua linha de lingerie plus size (tamanho grande) a imagem da modelo Myla Dalbesio, de 27 anos, que veste nada mais nada menos que manequim 40. Não, não é 44 nem 46, muito menos 48. É quarenta mesmo. Qua-ren-ta.

Quer dizer, quem veste 38 é “normal”. Mesmo mulheres com mais de 1,70 m de altura que vestem 36 são consideradas “dentro do padrão”, mas se você veste 40 já é plus size, ou seja, está além do que “deveria”. Daí para frente eu não sei que nome as indústrias da moda e da “beleza” vão usar…

Mas o problema aqui não é o nome, e sim, o que isso causa na cabeça das mulheres. Essa imagem de estar sempre “inadequada” é extremamente negativa. Cada vez mais as mulheres se tornam prisioneiras dentro de um corpo do qual gostam cada vez menos. E tudo isso porque a moda, ao longo dos anos, vem criando uma imagem impossível de ser alcançada pela maioria das mortais.

calvin-klein

O que nós precisamos fazer no meio desse “ataque” à nossa imagem é usar o que temos de melhor: nosso raciocínio. E questionar:

  • O que é mais fácil para a indústria da moda: fazer roupas que caibam em qualquer mulher ou fazer um tipo de roupa e querer que todas as mulheres caibam nele?
  • O que é mais lucrativo para a indústria da moda e da beleza: vender produtos para mulheres satisfeitas consigo mesmas ou para aquelas que estão descontentes com sua imagem e desesperadas por encontrar fórmulas que as deixem segundo os padrões estabelecidos (por essas mesmas indústrias)?
  • O que é mais fácil para uma loja: ter todos os tamanhos de roupa para vestir todos os tamanhos de mulheres ou ter apenas modelos do 36 ao 42 e querer que todas caibam nesses manequins?
  • O que é mais fácil para quem vende produtos para emagrecer: que as mulheres estejam satisfeitas com seu peso ou que sempre achem que precisam perder, nem que sejam, dois quilinhos?

Se você não está muito acima do seu peso saudável, mas mesmo assim as roupas não cabem em você, o que está inadequada são as roupas e não você. Nós temos quadril, sim, e se as calças são feitas para vestir uma vara de bambu não é culpa nossa!

Nós não fomos feitas em uma linha de produção barata, onde todos os produtos saem iguais e são produzidos em alta velocidade. Nós somos únicas e levamos a vida inteira para ser quem somos, por isso, precisamos aprender a valorizar nossas diferenças e deixar de lado essa bobagem de que temos que ser iguais.

Esse assunto não é novo aqui no blog e eu sempre vou repetí-lo atéééééééééééé as pessoas começarem a entender!

Para não perder nada aqui do blog…

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

 

KITS2

E para aproveitar as ofertas na nossa lojinha virtual é só clicar aqui. Tudo com frete grátis até o final do mês!

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Moda
  • Elizandra diz:

    É assim mesmo. As lojas criaram um padrão de manequins para mulheres magras e baixas, como se todas nós fôssemos atrizes Hollywoodianas dos anos 60. Tenho 1,76 e tem lojas que nem ouso entrar.Tenho corpo de mulher brasileira.

  • renata diz:

    Gostei?
    Meu manequim é (42 ou 44)dependendo da marca e modelo sei que estou acima do peso e que e necessário min cuida ,porém não sofro, pessoas q são obesecada para perde peso ou segui moda se todas fazem dietas elas tbm tem q fazer se uma colega usa 40/38 ela tbm quer se tem um celular moderno ela tem Vegonha do dela q e modelo pequeno.
    Sei que o assunto aqui é moda mas é como VC sempre disse as pessoas tem mania de seguir tudo que é moda e quando não consegui entrao em depresao se olham no espelho ve um peso que nao existe,vou lutar sim de uma forma saudável para não engorda mais devido a saúde pois sou baixa p 78g minha saúde primeiro depois a estética
    Bjs paty

  • Blenda diz:

    Realmente ainda existem muitas mulheres que se prendem a isso. Eu há cerca de 2 anos procurei um endocrinologista pois estava me sentindo muito magra – tenho 1,78 e estav pesando 55 quilos! Todas as colegas do trabalho acharam um absurdo eu querer engordar! Eu me olhava no espelho e meu via com aspecto de doente, mas para elas eu estava linda, afinal de contas, eu estava magerrima!!!

  • cristinat diz:

    Concordo com vc Patty
    Hj a indústria da moda tá pegando pesado, fora as propagandas para comprar remédios milagrosos.
    Vivemos em uma sociedade que ser magra e ser bela, comer 20 ovos e batata doce e vida.
    Estou acima do meu peso e me sinto linda.
    Beijos

  • Patricia Alvarenga de Albuquerque diz:

    Bom dia,
    Gostei de mais do assunto, ate porque é mais facil colocar alguem para baixo, mas este post começou bem a semana de muitas blindetes. Não somos iguais nem irmãos tem corpos iguais imagina os outros, ate porque sabemos que as modelos tem que fazer uma dieta rigorosa que muitas não suportariam devido a carga de trabalho das mulheres.
    um super beijo, e excelente semana!

  • Misleine diz:

    A personalidade desta Patrícia me encanta, ensina e me molda/melhora em muitas coisas. Palmas para ela! Deus já faz isto, mas não custa: que Deus te abençoe!

  • Carolina diz:

    Este é um ponto de vista que sempre deve estar em destaque.

  • Claudia Oliveira diz:

    Olá D.Patrícia, é impressionante como a mídia consegue “mexer” com a cabeça das pessoas, que infelizmente fazem qualquer coisa em busca de um corpo “perfeito”, chegando ao ponto de colocar em risco até a própria vida.
    Se fossem empresas sérias, jamais fariam o que fazem diariamente, levam pessoas a todo o momento, a se convencerem de que não se adequam às regras que a própria mídia criou! Cada vez mais, estou convencida de que estamos sendo conduzidas a deixar de racionar para que os outros raciocinem por nós. E pensar que no século XIX a mulher plus size era algo extremamente valorizado pela sociedade, a classe burguesa entendia que as mulheres gordas e de semblantes corados remetiam a riqueza e ostentação. Que loucura! Se as pessoas parassem um pouco para pensar, jamais seriam convencidas dos absurdos impostos pela mídia. Abraços, Claudia.

  • Jéssica Reinheimer diz:

    Realmente é quase impossível entrar nos padrões da industria da beleza, e infelizmente muitas mulheres ficam doentes tentando chegar lá. Já tive muitos complexos por causa disso, me libertei deles e hoje me amo como sou. beijinhos

  • Flávia Priscila diz:

    Apois, não só com as mulheres estar acontecendo isso, embora seja mais constante. Meu esposo comprou umas calças para usar, que estão cada vez mais apertadas, justinhas. Como se os homens não tem mais bunda ou se tem, deve mostrar os pacotes. Umas coisas assim sem noção. Fala sério. Faz mal para circulação e a pessoa se movimenta de forma desconfortável, fazendo com que o dia dela seja pouco produtivo.

  • Rosangela de Albuquerque diz:

    A moda é ditadora na minha opinião. Numa estação ela diz que tem que usar as roupas de um determinado jeito em outra já diz que é feio e tem que usar de outra forma, outros modelos. Não se preocupa mesmo que existem diversos tipos de corpo, cada pessoa é única, em vez disso inventou essa tal moda sem gênero que, a meu ver, tira a feminilidade da mulher e a masculinidade do homem, a exemplo as calças apertadinhas que surgiram com força total para os homens. Que é isso minha gente? É feio demais!Cadê a masculinidade aí? E mulheres usando as calças largonas tipo boy friend, ficam parecendo homens! Cadê a feminilidade aí? E não acho que seja nada sexy como dizem por aí, isso é só propaganda barata pra venderem as calças. Outra desculpa que dão é que por as mulheres estarem acima do peso, mais gordinhas como eu, elas vão pra sessão masculina e compram as calças que servem nelas, por isso a moda sem gênero. Bom, seria sim mais fácil e até mais lucrativo para essas indústrias da moda se fizessem roupas para todos os tamanhos e não só para um determinado grupo, daquelas que mal comem arroz com feijão por medo de engordar. Eu só estou um pouco acima do peso, mas não me sinto bem por isso, justamente por causa dessa ditadura da moda que diz que temos que ser magras a todo custo, senão, não seremos belas e muito menos aceitas pelos outros. Essa é uma ideia degradante! Por que essa acepção de pessoas?

  • Jarlenys Dias diz:

    Olá, Paty.

    Aff essa moda. Já tinha o tamanho de 36 a 38 quando era adolescente. Agora o meu tamanho real é 40 a 42 dependendo das marcas por causa dos meus quadris largos. Rsrs
    Eu não ligo se estou gorda ou não. Mas o que mais frustra são o tamanho das calças sendo pequenas. A mídia da moda está cada vez mais doente. Um dia, se for vontade de Deus, irei causar revolução na moda.

  • jaqueline carvalho diz:

    Muito legal Paty!agora acho que vc deveria fazer um post sobre essas mudanças que ocorreram realmente nas calças dos homens e das mulheres que tb acho horrível homem andando todo apertadinho.Vc acredita que fui comprar uma calça para o meu filho de 4 anos agora em Dezembro e não levei-o.Então só experimentei a calça na hora de sair,e quando eu vi era justamente essas calças.fiquei indignada como eles invadem o vestuários infantil com essas modas mirabolantes.

  • Adriana diz:

    Em um país onde as mulheres querem colocar silicone para ter seios fartos, eu me frustro toda vez aue preciso comprar um sutiã. Quando consigo achar um bonito, confortável e adequado, sem opção, chego a comprar seis peças do mesmo modelo e cor. Isso porque vico a procurar na internet e em lojas fisicas.
    Eu só quero me sentir bonita e confortavel dentro de um sutiã. Pasmem!

    • Patrícia Lages diz:

      Eu sei bem! Kkkk

  • Mãe Consumista diz:

    E a mulher brasileira por si já tem mais quadril, bumbum e coxas mesmo se for muito magra. Concordo contigo Patrícia. A roupa tem que servir na mulher, não a mulher na roupa.

  • Nádia diz:

    Bom dia!
    Vou aproveitar que o assunto é sobre roupas para saber sua opinião Patricia sobre roupas usadas. Na minha adolescência minha família passava por dificuldades então era uma alegria ganhar roupas mesmo que usadas. Ainda hoje utilizo quando ganho se é do meu gosto e se está em bom estado. Geralmente ganho roupas da patroa da minha mãe e sapatos também que me caem como uma luva. Acho um desperdício descartar o que está bom, amo moda e geralmente são roupas de boa qualidade e com preço pouco acessível. rs!
    Muitos dizem que não é legal, que a roupa traz energia. Mas creio que a oração feita em nome de Jesus quebra tudo. Qual sua opinião sobre isso? Você usaria?

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Nadia. Eu compro e vendo usados e acho ótimo. Creio que tudo nesse mundo vem carregado de energia sim, mas eu creio que o que compro com meu dinheiro abençoado, se torna abençoado também!!

      • Nádia diz:

        Concordo Patricia! Obrigada por responder. Me ajudou demais.

  • Eilma diz:

    Esse tal de Hollywood nunca me convenceu rsrsrs ?. O que falta na maioria das mulheres é amor próprio, elas não reconhecem o quão preciosas são, e enquanto isso não acontece vão se sentindo inferior às outras. Já viram como as mulheres gostam de olhar para as outras? Acho extremamente constrangedor quando uma mulher me olha de alto aabaixo, da até pra ver as “engrenagens ” funcionando a mil por hora rsrsrsrs.
    Somos tão valiosas, preciosas, que ninguém nesse mundo poderia ser igual a nós. Então porque não reconhecer esse valor? Se para estar em dia com a moda preciso ser esquelética, então tchau moda, tenho meu próprio estilo.

  • MARCIA RIBEIRO diz:

    Concordo D Patricia, temos que nos orgulhar de sermos quem somos, estar magra ou acima do peso nao ira definir carater de ninguem. Estou sim acima do meu peso ideal, mas me olho no espelho e me acho linda, se tiver que emagrecer sera pela minha saude e para zelar de meu corpo que e templo do Espirito Santo!

  • Joselene Lima diz:

    Sinceramente? Foi só vestir 40 para correr á nutricionista para que a mesma me acompanhasse pois com esse manequim veio cansaço, fadiga, mal estar, desânimo, barriga saliente e pré obesidade já que a minha altura é 1,62m. Para mim, vestir 40 realmente não está ajudando já que quando fui ao consultório da doutora estava pesando 73kg.

  • sabrina diz:

    Eu uso 34 e olha lá, tenho que sempre apertar minhas calças jeans, e não é por isso que sou feliz com meu corpo 🙁 eu literalmente me acho uma “vara de bambu” e me sinto pessima por isto! 🙁

    • Patrícia Lages diz:

      Consulte um endocrinologista e veja se sua dieta está bacana. De repente é só questão de fazer uns ajustes! Bjs

  • Denieli diz:

    Pois é… eu também acho. Quem é que disse o que é feio e o que é bonito? De onde vem esse padrão? Por que as mulheres tem que ficar iguais? E se você não se encaixa no padrão é considerada feia e indigna de admiração. Quem raciocina se liberta. Devemos buscar ter um peso adequado sim, mas para nossa saúde e bem estar. O ideal é ter um IMC normal e o percentual de gordura saudável. O tamanho da roupa não tem nada a ver com isso.

    • Patrícia Lages diz:

      Amei a frase: quem raciocina se liberta. Arrasou!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: