Será que é só a crise?

Reuni alguns relatos que vi durante a semana no Facebook e Twitter sobre como as pessoas estão dispensando trabalho em plena crise. Será que o problema é só o governo mesmo? Confira!

chat-do-facebook-inacessível

“Uma amiga colocou um anúncio para uma vaga de nível médio. Recebeu alguns currículos (não muitos) e separou dez para uma entrevista. Os dez confirmaram presença, porém, no dia da entrevista somente dois compareceram. Os outros oito nem se deram ao trabalho… É mesmo a crise, gente?” – Extraído do Facebook

“Fui oferecer uma oportunidade de negócios e o rapaz me perguntou se teria que ir (até a empresa) para conhecer. Falei que sim, afinal, emprego não bate à sua porta. Então ele me diz: ‘Ah, não sei não! Você vai ter que me convencer!’ Delicadamente respondo: ‘Afff… quem precisa de emprego é você, meu amigo, não eu!’ Era só o que me faltava!” – Extraído do Facebook

Screen Shot 2016-05-27 at 21.14.17

“Amanhã será a pior segunda da minha vida. Vou acordar cedo, começar um trabalho chato, em uma porcaria de empresa, com salário de fome!” – Extraído do Twitter

Resposta da gerente da empresa que foi avisada sobre a postagem:

“Não, querida! Amanhã vai ser mais um dia como os outros: fique em casa e sem dinheiro. Está demitida antes mesmo de começar!”

Será que ela quis imitar uma americana que fez a mesma coisa no ano passado (confira aqui)?

18072014_190738_Meme-Jackie

Aqui em casa também aconteceu um fato inusitado… Contratamos um serralheiro para consertar um dos portões e ele disse que teria que removê-lo para poder fazer o trabalho. Como não queríamos passar a noite toda sem portão, perguntamos ser daria para entregar antes das 17h para que nosso pedreiro recolocasse no lugar.

O serralheiro disse que era ‘jogo rápido’ e que antes das 16h o portão já estaria de volta. Cobrou 50% adiantado e levou o portão logo cedo. Deu 16h, 16h30, 17h e nada… O serralheiro não atendia o telefone e nós sem portão!

Na manhã seguinte meu marido liga novamente e o serralheiro finalmente atende, só que todo nervoso porque “não gosta de ser cobrado logo cedo”. Meu marido diz que se há alguém que deveria estar nervoso era ele próprio, uma vez que passamos a noite sem portão e sem satisfação nenhuma.

A resposta do serralheiro: “Eu não gosto de gente que fica me cobrando… Quer saber, eu não vou fazer mais nada! Vou levar o portão e devolver a porcaria do seu dinheiro!”

Em questão de minutos o portão está de volta (sem ter sido consertado) e o camarada devolve o dinheiro com todo desdém… É mole? 🙁

Nesta época de vacas magras temos que nos esforçar muito mais para cativar nossos clientes, manter os empregos e fazermos a diferença. Agora é hora de mostrar resultados, de ser produtivo e vestir a camisa. Nessa prova de fogo só os fortes permanecem! 😀

PREPARE-SE! – A partir de segunda-feira 06/06 daremos início a mais uma edição do DESAFIO DETOX! Quem vai participar do Jejum de Daniel está mais do que convidado a acompanhar diariamente esta nova série de desafios para o nosso crescimento em todos os sentidos!

Para não perder nada…

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

E não esqueça de dar uma passadinha na nossa lojinha virtual, é só clicar aqui. 🙂

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Fabiane diz:

    Patrícia vejo isso no meu trabalho,pessoas que estão passando dificuldades e lidam como si eles estivessem prestando um favor , a crise e para todos mais infelizmente o inimigo de nossas almas estão cegando o entendimento dessas pessoas, a preguiça é uma praga que as pessoas estão cultivando e olha que estamos vivendo num tempo fácil onde tudo esta a mão.

  • Alexandra Alvarez de Barros Rodrigues diz:

    Olá Patricia como faço pra voltar para visualização móvel, não tem mais essa opção no blog

    • Patrícia Lages diz:

      Estamos em manutenção desde ontem. Em breve estará normalizado!

  • Juliana diz:

    Nossa!!! e eu com medo de perder o emprego pq os donos qrem desfazer a sociedade, o q fazer se tem gnt q realmente precisa de serviço ainda mais com dois filhos pqnos p criar, eu recebo a pensao mas a pensao é deles e nao minha… tenho meus compromissos e sinceramente nao sei o q vou fazer se realmente isso acontecer… moro numa cidade pqna e aki nao tem emprego e nem sei se tento abrir algum tipo de negocio, eu comecei a entregar curriculos msm adiantado mas dpois qdo voltei p dar uma informacao a mais vi q a pessoa tinha jogado no lixo…

  • Jussara silva diz:

    Bom dia!!!
    Como faço para ter mais informações e participar do Jejeum de Daniel?

    • Patrícia Lages diz:

      Cadastre-se aqui no blog e vc será informada a cada postagem.

  • Ana Carla Saud diz:

    Pode ser que esse tipo de comportamento derive da subcultura de que não se consegue ver no trabalho exercido com responsabilidade uma forma de progredir. Se observarmos as novelas e os demais programas televisivos (geralmente em horários nobres) assistimos a notícias desagradáveis ou programas que passam a ideia de que só se pode progredir se houver o desvio de grandes quantias, ganhar um prêmio milionário, uma herança ou mostrar o corpo, rebolar e cantar qualquer bobagem. Certo governo investiu R$ 4.000.000,00 em um “monumento ao Funk”, no Brasil. Com esse valor, poderiam ser pagos os salários de 2000 professores ou adquiridos 20.000 tabletes para equipar escolas públicas com tecnologia. Se fossem investidos em livros, por exemplo, poder-se-ía comprar 114.285 livros à razão de R$ 35,00 cada livro… E se o governo resolvesse investir na segurança, poderia adquirir 100 viaturas novas. Se investidos em subsídios para medicamentos, quantos medicamentos poderiam ser distribuídos à população trabalhadora? Estamos no Brasil, onde muitos pensam que trabalhar e estudar não compensa e os governos gastam muito com nada de aproveitável para a população.

  • Caroline diz:

    Bom dia!!!

    Não é a crise não, eu tenho um amigo que é formado e sempre reclama que não tem dinheiro, que não aparece cliente, mas ele tem escritório montado e não vai pq alega ser longe (10km), quando aparece um cliente manda embora pq diz que vai dar muito trabalho e não quer fazer, diz que não sabe fazer e quer aprender, mas quando surge a oportunidade faz como se não tivesse visto….

    Nessa época de dificuldade tem que partir pra cima que depois que passar estará bem melhor do que quem fica apenas reclamando.

    Beijinhos

  • Mariana Constantino diz:

    Patty, o que mais tem é isso.
    Tenho uma colega que já marquei ela em milhares de oportunidades de emprego e ela continua desempregada, se acha que ela correu atras de alguma?
    Na empresa onde trabalho, temos uma recepcionista que já recebeu 2 oportunidades de aprender em outras áreas, inicialmente ela usaria o tempo da recepção para treinar e quem sabe daqui uns meses seria efetivada.
    Pois ela não ficou 2 semanas na primeira oportunidade, e depois veio trabalhar comigo na maior má vontade, sem se esforçar, não ligava a mínima, parecia que eu estava ensinando uma parede. Resultado, surgiu uma vaga super legal com o perfil dela, com um salário muito melhor que o da recepção, mas não foi indicada pois o gestor entendeu que ela não tinha maturidade.

  • Daniele Antonio diz:

    Bom dia Patricia, infelizmente vejo isso acontecer todos os dias. Pessoas desempregas, que precisam de um trabalho, mas recusam ofertas por N motivos. Um porque não paga vale transporte, outro porque precisam atingir metas e assim vai.
    Muitos alegam que querem algo melhor, mas será que o melhor de Deus para quem está desempregado não seria um trabalho? Depois pode pensar em uma posição melhor…

  • Liliane diz:

    depois de ler este post eu compreendi uma coisa: essa temível crise no nosso país foi causada (e ainda é) pelo maldito jeitinho brasileiro, a maldita cultura da falta de responsabilidade que o brasileiro tem!

  • Juliana Nunes Lima diz:

    Ontem em uma reunião gerencial fiquei sabendo que para não perder o emprego terei que passar a trabalhar no Centro do RJ. Antes tinha o privilégio de ter o ônibus da empresa, podia dormir a vontade e agora terei que encarar um trem lotado, fazer marmita e ainda ter uma redução de salário de mais de R$ 1.000,00. Este ano estava colocando a vida financeira em ordem e agora não sei se terei condições de pagar todas as despesas que tenho. Ma hora fiquei muito triste, chorei em casa e hoje pela manhã, após a minha devocional, entendi que tudo tem um propósito, tudo tem uma permissão de Deus. Em tudo dai graças pois continuo empregada.

  • Edilane Xavier diz:

    Concordo com a Sra D Patricia, e gostaria da sua opinião, como sempre seus post tem me ajudado, e um particular me abriu os olhos, percebi que pago quase 50,00 de tarifas em duas contas correntes, já liguei, já compareci

  • Ana Karoline diz:

    “Engraçado” percebo esse tipo de comportamento justamente de pessoas sem qualificação como especialização, graduação e mestrado… já pra pessoas com esse tipo de formação as vagas continuam escassas e os salários ruins.

  • Miriam Mendonça diz:

    Infelizmente em todos lugares que passamos já tivemos experiências nada agradáveis com esses tais “profissionais”, a última foi um simples concerto no note que estava com apenas um problema de ajuste na tela e o “profissional” além de não resolver o problema arranjou outro queimando a placa mãe. Um descaso. Infelizmente tem muitos por ai que não estão nem aí para os clientes.

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: