“O que senti quando abandonei a carreira para ser mãe”

Hoje a Isabela Munhoz vai contar quais foram os sentimentos que rodaram seu coração e os pensamentos que invadiram sua cabeça quando deixou sua carreira promissora para ser mãe em tempo integral. Confira!

Com a palavra: Isabela Munhoz 😀

12373443_898011756980906_6652205275687689238_n

“Ao contrário do que pensei, não enfrentei preconceito dos amigos e colegas de trabalho por deixar o emprego para cuidar dos filhos em casa. Se alguém pensou algo negativo, não demonstrou reação…

A maioria das pessoas ficou surpresa com  a decisão por saberem o quanto o trabalho era importante para mim, mas me fui parabenizada por considerar mais importante o cuidado integral com meus pequenos, ainda mais com a chegada do nosso segundo filho.

Se eu dissesse que foi uma decisão fácil, estaria mentindo. Mulheres da minha geração foram doutrinadas pela sociedade para:

  1. Estudar muito;
  2. Ter uma carreira profissional bem-sucedida;
  3. Ganhar seu próprio dinheiro.

Tive o privilégio de fazer colégio, faculdade e pós-graduação em excelentes instituições de ensino, além de intercâmbio para ter inglês fluente. Consegui me destacar no mercado de trabalho, tinha um ótimo salário e minha carreira estava em plena ascensão. Mesmo assim, sacrifiquei tudo para cuidar de duas crianças!

16508319_1218435514938527_6652206478103133387_nOs projetos e equipes que eu liderava foram substituídos pela rotina de fazer as mesmas coisas todos os dias: tarefas domésticas, preparar as refeições, comentar sobre o desenho do meu filho mais velho, trocar fraldas do menor e assistir os filmes “Carros” e “Carros 2” mais de 20 vezes (sim, sem exagerar, vi mais de 20 vezes!).

Inicialmente, foi como se o mundo todo estivesse andando enquanto eu estava “parada” cuidando de duas pessoinhas, um marido e uma casa. Há quem não dê o devido valor a esse estilo de vida doméstico/maternal, enquanto há quem faria de tudo para ter a oportunidade que estou tento. Opiniões é o que não faltam nesse mundo!

Meu empenho hoje é ser o melhor que posso para essa “nova equipe” sob minha responsabilidade. É demonstrar meu amor em tudo que faço com a certeza de que eles são minha melhor remuneração e que eu sou a melhor pessoa para ocupar essa função.

É verdade que não foi uma nem duas vezes que cheguei a me sentir meio inútil, mas a cada dia vou percebendo que estar em casa cuidando dos meus filhos me faz ser importante como nunca fui!”

 

Deixe sua opinião! Conte o que você está achando dessa nova série de posts sobre carreira profissional X maternidade, vamos amar saber o que você pensa a respeito 🙂

Cadastre-se aqui no blog para não perder nenhum post!

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

Nos vemos!

 

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Patricia Sgobi Barbosa dos Santos diz:

    Acho muito legal e dou muito valor a quem pode e faz isso como a Isabela fez, pois nada mais gratificante do que podermos cuidar desta empresa maravilhosa que Deus nos deu que se chama família, o trabalho é muito importante para nós mulheres, mas nada melhor que estarmos presentes em nosso lar.

  • Claudia Elaine Pires de Camargo diz:

    Parabéns Isabela eu admiro quem pode fazer isso, eu nunca pude fazer isso o sustento do meu filho sempre dependeu de mim, tive muita ajuda de minha mãe para eu poder trabalhar e esse foi o motivo por não ter tido mais nenhum filho.

  • Laís Barros diz:

    Eu acho linda e admirável a atitude dela!!!
    Minha mãe nunca trabalhou para poder cuidar de mim quando eu pequena! Eu só fui para a escola com quase 6 anos e isso não me fez uma criança mimada ou menos esperta e inteligente por causa disso! Ouço muito isso, a desculpa de que colocar um bebê de 6 meses na escolhinha vai estimulá-lo e torná-lo mais inteligente e sociável! Não que isso não ocorra, mas, por meu exemplo, acho importante todo esse amor e educação em casa desde o berço!
    Eu ainda não tenho filhos, mas quero muito, só que toda vez que penso nessa possibilidade me vem na cabeça o trabalho!
    As pessoas me dizendo: “mas você vai deixar de trabalhar para cuidar de casa e criança?? E todo o dinheiro que seu pai investiu na sua faculdade, e todo o dinheiro e esforço que você mesma investiu para estar na carreira que deseja?? É como se você jogasse todo seu dinheiro no lixo…e o pior todos os anos de estudo e dedicação que você teve para nada!! Se fosse para cuidar de casa e filho não tivesse estudado! ”
    O mundo é muito cruel com as mulheres!! Ainda não tenho filhos, mas tenho medo do que será quando ele(s) vier(em)!
    Bjos Paty!

    • Patrícia Lages diz:

      Pois é… o dinheiro que seu pai investiu na sua faculdade vale mais do que o neto dele, né? Engraçado isso!

  • Iara Passerotti diz:

    Hoje com 41 anos de idade, apos 20 anos de dedicação exclusiva para 2 filhos e marido, estou me tornando microempreendedora.
    Não me arrependo de NADA! Faria tudo de novo

  • Camila Ogassavara Fernandes diz:

    Eu nunca julguei quem tomou essa atitude, até pq minha mãe fez isso quando nasci, porém eu sempre dizia que não faria isso. Na 1ª filha que tive na adolescencia eu persistia em dizer que jamais largaria tudo, ate pq na epoca tive muito apoio dos meus pais e com a cabeça imatura que eu tinha, eu não achava q tinha necessidade de abrir mão de tudo. PORÉM, os anos passaram, casei, amadureci e em 2016 tive outra filha já com a vida estruturada e inclusive ganhando bem. Abri tanto minha mente, pensei e repensei mil vezes e hoje digo com a boca cheia que largaria SIM tudo por elas. Elas sendo grata ou não, não tem fase melhor da vida do filho pra estar tão próxima. Amei o post e estou amando esse assunto por aqui

  • Luciene Santos diz:

    linda atitude , eu também por muito tempo
    me dediquei aos filhos e a casa, não me arrependo
    pelo contrario é privilégio poder cuidar da nossa família
    coisa que está cada dia mais raro.

    abraço

  • Karine diz:

    Meu pai tem duas empresas e eu trabalho em uma delas,e ñ está no planejamento assumir nenhuma delas. Pq meu sonho é cuidar da minha futura família. Qdo eu era pequena minha mãe trabalhava fora e eu sei o que é sofrer nas mãos de uma empregada. Ou se preparar para apresentação da escola e sua mãe ñ conseguir chegar para assistir. De modo nenhum quero isso para os meus futuros filhos. Claro que cada caso é um caso,porém minha experiência foi bastante ruim.Dou muito valor quem consegue conciliar o trabalho e a vida de dona de casa ou até mesmo ficar em casa para cuidar dos filhos.

  • Bia diz:

    Oi,

    Estou gostando muito dessa nova série de post!
    São assuntos geralmente comentados (criticados) por mães que sempre estiveram em casa mas que nunca trabalharam ou por outras que não suportariam ficar em casa 24/24h com os filhos.
    Para mim interessante, é muito mais interessante ouvir a experiência de alguém que fez de tudo pra subir na vida, estudar, ter um cargo importante e até teve pessoas sob a sua responsabilidade e que largou tudo por dois seres pequenininhos. Não foi por falta de oportunidade, não foi por razões finaceiras, mas por escolha própria, pensando que era o melhor a fazer pelos seus filhos, uma outra forma de realização!

    Que bom voltar a dar o valor devido à essa bênção que é ser mãe. Estou convencia que isso ajudará mães tanto profissionais como domésticas a apreciar esse cargo de alta responsabilidade que é ser mãe 😊

  • Vanessa diz:

    Nossa amei esse post!!! Estou pensando em ter o meu primeiro filho. Estou trabalhando e fazendo pós graduação.Gostaria de saber da Isabela Munhoz, se ela chegou a pensar em tentar conciliar carreira e maternidade, ou já decidiu assim que engravidou que deixaria a carreira.Patrícia, obrigada por estar trazendo esse assunto em pauta.Beijos.

    • Isabela Munhoz diz:

      Vanessa, obrigada pelo comentário!

      Quando tive meu primeiro filho conciliei a carreira com o cuidado com ele.
      Porém com a chegada do segundo filho é que saí do emprego para ficar com os dois em casa…
      Por enquanto ainda são pequenos, por isso vou me dedicar a eles 😊
      Beijos

      • Vanessa diz:

        Obrigada, Isabela pela retorno.
        Esse post realmente foi importante para mim.
        beijos.

  • BIANCA MOURA diz:

    É uma atitude maravilhosa. A família vem em primeiro lugar depois de Deus, claro. Eu simplesmente estou me vendo jogando tudo para o alto como meu mestrado para cuidar de minha filha e meu esposo. Isso estará na direção de Deus… creio que até o momento Deus tem me dado forças para me superar.

  • Ida Nisia Lopes da Silva diz:

    Muuuito legal! Essa escritora já tem a minha admiração. Deus abençoe. Abraços

  • Fátima Marajó diz:

    Muito muito bacana esse post. Parabéns para você Isabela. Eu deixei de trabalhar fora para cuidar da minha família. Também cheguei a me sentir inútil pois sempre trabalhei fora, mas saber que posso estar com meu filho ajudando a crescer com minha atenção e carinho é muito bom.

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: