O cliente nem sempre tem razão

Sim, é isso mesmo que você leu. A máxima “o cliente sempre tem razão” não é mais 100% verdade. Saiba porque!

Código-de-Defesa-do-Consumidor

É certo que o Código de Defesa do Consumidor é um avanço dos nossos direitos e tem feito justiça em inúmeros casos de abusos cometidos por empresas que não cumprem o que prometem e fraudam seus clientes.

Porém, o que temos visto em alguns casos é um abuso por parte do consumidor. Isso mesmo: o consumidor que antes foi tão explorado agora veste a capa de explorador ou, no mínimo, de consumidor sem noção…

Lendo e presenciando algumas reclamações de clientes facilmente encontrei vários casos onde o consumidor deveria se colocar no seu lugar para não perder o seu direito.

Um deles reclamava que “havia entendido que poderia colocar quantos molhos quisesse em seu sanduíche e não apenas 3″. Eu conheço a lanchonete e sempre soube que são 3 molhos, além disso, quem em sã consciência misturaria mais do que 3 molhos diferentes em um mesmo sanduíche? É ou não um cri-cri que só quer criar caso?

Há um tempo atrás eu estava na ponte-aérea Rio-São Paulo e, já na sala de embarque, me incomodei com uma mãe que viajava com um filho de cerca de 3 anos e sua babá. A mãe fazia questão de deixar claro, falando sozinha e bem alto, que jamais viajaria com um “terrorzinho” sem a babá, pois alguém tinha que “colocar o danadinho na linha”. Fora os momentos em que chamava a atenção da babá que, segundo ela, não sabia fazer nada direito, ignorava solenemente a criança.

Fiquei com pena da babá, que ora era exposta como símbolo de status, ora era tratada como um pano de chão sujo. Mas fiquei com mais pena ainda do menino, que fazia de tudo para agradar a mãe que se preocupava mais com celular e em se aparecer para pessoas que ela nem ao menos conhecia.

Uma vez no avião, a mãe sentou separada da criança e da babá, assim ela teria “um pouco de paz” (sim, ela mesma narrava todos os seus passos como se interessasse a todo mundo). O menino, porém, continuava querendo a atenção da mãe e, depois de inúmeras tentativas, teve a ideia de dizer que queria ir ao banheiro.

A mãe mandou a babá “cumprir o seu papel” e levar o menino rapidamente. Ao tentar calçar o sapato na criança, a babá leva outra bronca da patroa que grita “vai descalço mesmo, eu falei pra ir rápido!”

Vendo uma criança pequena entrar no banheiro descalça, o comissário traz o menino de volta e pede que a babá calce o sapato no menino, pois o banheiro não é um local apropriado para se entrar descalço.

A mãe, querendo defender seus direitos de consumidora que comprou três passagens à vista, fica indignada e brada a plenos pulmões que seu filho tem direito de fazer o que quiser! E, pela primeira vez, se dirige ao filho dizendo: “Amor da mamãe, pode ir ao banheiro descalço, viu? A mamãe deixa, viu meu coração!”

Depois, voltando ao comissário diz: “Qual é o seu nome, queridinho? Você ainda vai ouvir falar de mim, vou reclamar da sua atitude e tomara que você perca seu empreguinho!”

Infelizmente muitas empresas ainda levam ao pé da letra o conceito de que o cliente sempre tem razão e acabam por penalizar seus funcionários sem averiguar a fundo as reclamações. Essa é uma as razões de vermos hoje em dia funcionários omissos ou que acabam fazendo todas as vontades dos clientes, tendo ou não razão. Isso prejudica as empresas, vicia os atendimentos e, um dia, vai acabar se voltando contra nós consumidores.

É o típico caso do explorado que passa a explorador. Tenhamos consciência de nossos direitos, mas também tenhamos bom senso em exigi-los.

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Seus Direitos
  • DELÂNDIA SILVA diz:

    Bom Dia…muito bom !!! Saudades 🙂

  • Mariana Constantino diz:

    Patty, eu vi um caso pior ainda, uma mulher comprou um tapete numa loja e a arquiteta dela não gostou. Então ela foi na loja pedir o dinheiro de volta, como o tapete não tinha defeitos a loja não tinha a obrigação de devolver o dinheiro, o dono explicou que ele já tinha pago por aquele tapete, mas que podia dar um crédito para ela pegar o valor em outras mercadorias. Ela ligou pra alguém e logo depois apareceu um policial, provavelmente conhecido dela, e bateu muito no dono da loja, humilhou, queria levar preso! E a mulher não fez nada, achou que bem feito. Fiquei chocada, claro que ela só queria “mostrar com quem ele estava falando”. Um absurdo, uma situação toda errada, e isso deve acontecer todos os dias.

    • Patrícia Lages diz:

      Que horror…

  • May / SP diz:

    Nossa! Fiquei pasma com o seu relato Paty! Imagine você que presenciou tudo!

    Que mulher sem noção!

  • geane diz:

    Realmente tem muita gente sem noção fazendo coisas absurdas e ainda se acham em “seus direitos” é uma pena pessoas que só querem tirar vantagem mesmo quando estão erradas e sabem disso. Talvez também por sempre terem tido tudo a mão, ai já vem a questão da educação pessoas mimadas, é muita coisa errada causa indignação.

  • Breno diz:

    É, eu sei disso melhor do que ninguém, já perdi as contas de tantas e tantas vezes no meu trabalho de cliente que faz besteira e muitas das vezes consciente do que esta fazendo é errado e ainda assim acha que pelo fato de reclamar e ofender vai fazer com que estejam certos ! ai, ai, ai, TEM GENTE QUE DEVERIA CRIAR VERGONHA NA CARA !

  • Daniela Santana diz:

    Bom Dia,Paty,realmente concordo com você,aonde trabalho é bem diferente,pois o nosso patrão conhece os funcionários e os seus clientes,e ele sabe muito bem as pessoas que fazem cena,pra prejudicar o funcionário ou pra exigir descontos absurdos,gostei muito do post de hoje,beijos paty que Deus o Abençoe.

    • Patrícia Lages diz:

      Patrão gente fina! 😀

  • Virginia Fachga diz:

    Uma coisa muito comum, principalmente na periferia, é a pessoa pegar carne, queijo ou qualquer alimento que precisa ficar em ambiente refrigerado, e deixar no caixa. Não é só por que faltou o dinheiro, muitas vezes é por pura falta de caráter mesmo.

    • Patrícia Lages diz:

      Não é só na periferia não…

    • sandra regina diz:

      vc ,acha que só na PERIFERIA TEM Mau EDUCADOS?

  • Cidalia - diz:

    Boa noite Patty
    Dignidade nāo é para todos nāo é mesmo?
    Temos cada vez mais o dever de mostrar-mos nossa diferença de caractère no meio deste mundo tāo feio…
    Beijinho Querida
    Cidalia

    • Patrícia Lages diz:

      Pura verdade!

  • Sandra Souza diz:

    Chocada!
    Coitado desse comissario!
    Dá uma sensação de impotência, pois como havia outras pessoas no avião, não haver ninguém para se opor a ela.Mas no mundo de hoje, quem tem coragem de defender o proximo, tamanha bandalheira que vemos.
    Lamentavel.

  • Francisca diz:

    Concordo plenamente Paty. Fiquei chocada ao ver como um proprietário de uma loja de tapetes foi tratado esta semana por um policial da corregedoria, apenas por conta de uma cliente que mesmo sem razão de troca do produto, causou todo este transtorno.

  • Maura brito diz:

    Olá,, concordo plenamente!! Na minha loja, já ocorreu vários casos..e é bem complicado,realmente quando conhecemos nossos funcionários e os nossos clientes as coisas ficam bem mais claras, para podermos tomar qualquer atitude…fico indignada com a falta de respeito, reclamar é até um direito pra todos,mais quando parte pra agressão moral daí perco a linha…adorei o texto…precisamos de pessoas assim, mais conscientes!!!! Abraço..

  • sandra regina diz:

    Vc acha que só na PERIFERIA tem mau Educados?

  • Joselene Lima diz:

    Verdade!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: