Meu filho não come nada…

Se a hora das refeições tem sido um problema para você, veja no post de hoje como a Isabela Munhoz – nossa mãe de plantão – está lidando com o problema! 

comer

Meu filho Rafael, o mais novo, sempre foi ruim para comer. Estou para descobrir algo que ele realmente goste…. Quando percebo o interesse dele por algum alimento, fico toda animada, mas mesmo assim ele só come duas colheradas e já não quer mais. Em relação a leite, nunca tomou uma mamadeira cheia…

Diferentemente do Leo, o irmão mais velho, que sempre comeu super bem e gosta de todas as frutas, o Rafa não se anima com nada… Já tentei de tudo: desde os alimentos mais saudáveis até chocolate, salgadinho, brigadeiro… O rapazinho parece realmente não ter fome!

Quando se tem dois filhos, não tem como não comparar. Quando o Leo tinha a idade do Rafa, pesava muito mais e era mais alto. A curva de crescimento dele sempre foi acima da média, mas a do Rafa, sempre abaixo 🙁

Por isso, todas as vezes que vou à pediatra, o assunto é o mesmo: a falta de apetite do pequeno. Na última consulta, a médica me deu uma chamada de atenção que na hora não gostei… Foi como se eu é que precisasse de tratamento, não o meu filho! Eu é que parecia ansiosa demais e isso poderia estar prejudicando as refeições…

Mas parei para refletir, e realmente é difícil não se preocupar quando você vê a criança comendo três batatinhas e tomando duas mamadeiras pequenas durante um dia inteiro. O total de calorias não é suficiente para uma criança que fica correndo pra lá e pra cá e cuja bateria não acaba!

Mas por outro lado, vi o quanto minha preocupação o estava prejudicando, pois o momento da refeição tinha virado um pesadelo para ele. Nem sentar no cadeirão ele queria mais!

Foi hora de dar um passo para trás e controlar minha vontade de querer que ele agisse como eu queria. Mudei o foco e relaxei. Procurei deixa-lo à vontade, com seu pratinho e colherzinha na mão, comendo do seu jeito. Ofereço de tudo, várias vezes ao dia, e a situação melhorou.

Ainda não é como eu queria, mas entendi que meu filho é uma pessoa, e que talvez não terá a altura do irmão, nem outras coisas que eu quero, do jeito que eu quero. Ele terá aquilo que, como ser humano, decidir em sua vida, com suas próprias vontades e escolhas, do jeito dele e não do meu.

É claro que enquanto ele é pequeno, eu, como mãe, tenho que decidir a maior parte das coisas, mas deixei de sofrer por esperar que tudo seja 100% do meu jeito, porque ele não é e nunca será eu, e não há nada de errado com isso!

E, você, qual tem sido o seu maior desafio com seus filhos?

Beijos,

Isabela Munhoz, mãe de dois!

 

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

Categoria: Crianças
  • Cristina diz:

    As minhas maiores “guerras”com minha filha era a chupeta e xixi na cama.
    A chupeta ja solucionamos, ela ainda sente saudade, me diz isso, mas ja largou ha alguns meses. O xixi na cama ainda acontece, nao todos os dias, mas com muito mais frequencia do que eu acho normal, ja fomos ao medico e nao ha nada de errado como ela. Eu resolvi abrir mao dessa “guerra”e quando fiz isso melhorou muito as escapadas na cama. Quando vejo a cama molhada fico irrada por dentro, mas me controlo e nao digo nada, assim nos dias seguintes isso nao acontece mais. Antes quanto mais eu brigava mais xixi ela fazia. É os filhos nao sao como nós. E é assim. Me dedico para ser a melhor mae real que posso ser.
    Porque mae perfeita mesmo só fui quando nao tinha filhos….ah naquele tempo eu era uma mae excelente, maravilhosa rsrsrsr

    • Tatiane Campos diz:

      Querida Cristina, tomei a liberdade de responder seu comentário para compartilhar a minha experiência e ajudar a você e a sua filha a lidar com essa situação da melhor forma possível. Eu sou hoje uma mulher de 31 anos, não tenho filhos mas durante boa parte da minha infância sofri com enurese noturna, que é emissão involuntária de urina à noite, o famoso fazer xixi na cama. Isso durou até por volta dos meus 14 anos, já não era diariamente, uma vez ao ano, acho! Assim como a enurese não teve causa exata, ela se foi da minha vida sem causa! Há vários fatores que podem causar ou contribuir com ela: maturidade da bexiga, fator psicológico, fator genético, entre outros. No meu caso havia o fator genético, tenho tios que sofreram de enurese até a vida adulta! Mas o que quero passar para você aqui é a importância que a minha PERFEITA mãe teve nessa fase que foi tão difícil para mim! A minha mãe era compreensiva comigo, mesmo sem ter estudos e sem entender o que motivava eu fazer xixi na cama, ela removia os lençóis para lavá-los e me dava outros limpos, ela tinha toda a paciência do mundo e soube respeitar o meu tempo de amadurecimento. Percebia o quanto eu ficava envergonhada e frustrada com aquela situação e me fazia sentir segura. “Acontece filha, sua tia também tem esse problema, deixa eu tirar esses lençóis para lavar e coloque o colchão para pegar sol” Por outro lado, o meu pai não entendia, me xingava, achava que eu fazia xixi na cama por preguiça de levantar à noite e ir ao banheiro, e para contribuir com essa tese dele, a enurese era mais frequente em dias frios e chuvosos, não me pergunte o porquê, mas seja racional: você faria xixi na cama no dia frio apenas por preguiça e ficaria dormindo sobre o molhado? Pois bem nem eu (nem a sua filha fará)! Quando eu acordava já havia acontecido e eu tinha que continuar a dormir no frio do molhado, procurava algum lugar seco na cama para voltar a dormir, olhava para a cama da minha irmã ao lado que dormia tranquilamente no quentinho e sofria por isso ;( Hoje lembro de tudo, não com pena de mim, foi superado! O coitado do meu pai não tinha culpa por não entender, não o julgo, o perdoei por isso, ele não compreendia assim como você demonstrou não compreender! Cristina quero que você entenda o quanto o seu papel de mãe é importante! Seja compreensiva com a sua filha, brigar com ela não resolve, a enurese é INVOLUNTÁRIA e não proposital!!!! Coloque-se no lugar dela nos dias que a enurese acontecer, busque entender mais sobre o assunto, pesquise, converse com ela, seja carinhosa, afetuosa, passe segurança para ela não se preocupar com isso, ela deve se preocupar em ser criança, em brincar e não com xixi na cama! As suas atitudes com a sua filha ficarão gravadas dentro dela, sejam elas boas ou ruins. Queira que sejam as boas lembranças. Assim você será perfeita como a minha mãe foi e ainda é para mim! <3

  • Cristina diz:

    Acredito que o maior problema dos pais seja exatamente esse,entender que o filho é um indivíduo e não uma “extensão” deles mesmos.

  • Silvana Aparecida Colaço Heinicke diz:

    Com a minha de 4 anos acontece o seguinte: ela só quer mamadeira e comer besteira.
    E olha que ofereço frutas, legumes e comidas saudaveis em geral. Mas ele sempre acaba me enrolando.Já tentei tirar a mamadeira dela mas minha sogra deu outra para ela. Não quis entrar em conflito.O que vou tentar agora é trocar a mamadeira por um copinho bem bonito de personagem que ela gosta, e é claro vou colocar em pratica das dicas do post acima.

  • Isabela Munhoz diz:

    Meninas, amei ler o comentário de cada uma!
    Acho a vale a pena um post sobre o xixi na cama, afinal qual mãe não passa por essa fase com os pequenos?
    Obrigada e continuem ligadinhas no blog!
    Beijos

    • Tatiane Campos diz:

      Seria realmente ótimo Isabela! Toda forma de orientação e troca de experiências sobre os pequenos é bem-vinda! Como diz uma professora minha que é uma experiente pedagoga: “estou cada dia mais convencida de que deveria existir uma escola para pais” rsrsrs. São vários questionamentos, ansiedades e inseguranças que os pais trazem à escola, por exemplo! Com relação à alimentação do seu filho, parabéns por “deixa-lo à vontade, com seu pratinho e colherzinha na mão”, deixe-o tocar na comida, pegar com a mão, se sujar. Não ache estranho se ele quiser passar no rosto a papinha de maça…rsrsrs, a pele vai contar muito para ele o que é “aquilo”. Se ele fizer da hora de comer um momento interessante e de descobertas (de sensações, texturas,cheiros, gostos, cores) será mais fácil se interessar pelo comer em si! Outra dica é ler historinhas em que os personagens são alimentos antes das refeições ou desenhos animados do tema! Algo que é muito observado nas creches e escolinhas pelos próprios pais é que na maioria das vezes as crianças comem alimentos na escola que não comem em casa de jeito nenhum, isso acontece pela influência que a criança recebe ao ver o coleguinha comer tudo, observe como eu filho se comporta nas refeições com outras crianças da mesma faixa etária e lance mão de estratégias para incentivá-lo! O incentivo com elogios mesmo que seu filho coma pouco é muito importante! Com paciência e amor você conseguirá ajudá-lo a comer de forma natural!

  • Patrícia Gomes diz:

    Olá,Patricia Lages!
    eu gostaria de sugerir um tema pode ser para vídeo ou post para o site.
    10 coisas produtivas para se fazer na internet… eu entro só no seu site e raramente no site http://www.dicaprahoje.com também acompanho o canal de ambos pelo youtube… entro no meu facebook, instagram e WhatsApp… mas fico entendiada, quero aproveitar mais a Internet mas não sei quais outros sites posso entrar e de que forma produtiva aproveitar melhor a Internet…
    gosto muito do seu site e do dica pra hoje,só gostaria de mais opções… desde já agradeço… abraços

    • Patrícia Lages diz:

      Obrigada pela sugestão!

  • Isabel Souza diz:

    Meu filho come muito bem, ele mesmo diz que é “fominto” é menor do que a maioria das crianças com 5 anos, parece um palitinho, mas hoje entendo que ele é uma cópia do meu marido criança, e não me afeta mais pois eu ne sentia muito triste por ele ser abaixo da maioria, sempre no limite do mínino, o que ainda é complicado é que ele é aquelas crianças que não cansa nunca,em todo lugar sempre alguém comenta porque ele não pára, ir no cinema só em sessão vazia no meio da tarde ele faz perguntas as pessoas que ele mal conhece, pergunta a idade de todo mundo, passo altas vergonhas com ele, parece que sou aquela mãe que não dá limites, mas ele fica de castigo sem brincar, sem desenho, toma uma palmada de vez em quando, mas nada adianta, coloquei para praticar esporte, ajudou mas fico quase louca,até as avós tem hora que não aguentam eu procuro levar sem me estressar, compenso olhando para as qualidades que ele tem. Muito carinhoso, educado com as pessoas, prestativo em casa e na escola, faz amigos muito fácil mas tem horas que me pego pensando se estou errando, trabalho em uma loja onde atendo mães e hoje somos muito cobradas pela sociedade e por nós mesmas, buscando um nível de perfeição que não existe e acabamos passando muito disso para as crianças.

    • Patrícia Lages diz:

      Eu acho tão legal criança curiosa!! 😀

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: