Homenagem a um pai que nunca foi pai

Hoje a Isabela Munhoz preparou um texto emocionante que homenageia aqueles que são pais, mesmo sem nunca terem tido filhos. Confira!

Como todas as sextas-feiras, hoje é dia de post da Isabela Munhoz, a executiva que deixou a carreira para ser mãe em tempo integral.

Isa_Gui

Sou a caçula de uma família de quatro filhos: três mulheres e um homem. Como meu irmão era o mais próximo da minha idade, costumávamos brincar juntos.

No interior de São Paulo, a infância era na rua e fazíamos guerra de mamona, andávamos de carrinho de rolimã, brincávamos nos montes de areia das construções próximas, subíamos em árvores nas matas e fazíamos balão galinha na fogueira!

Até que nossos pais se separaram e nos viemos para a capital. Tudo mudou. Nossa casa, nossa escola, nossos amigos. A situação ficou crítica: nossa mãe com depressão, nosso pai distante. Aquela alegria toda de uma infância aproveitada ao máximo deu lugar à angustia e à tristeza dentro do nosso lar.

Mas o meu irmão, Guilherme, continuava ali, ao meu lado. E, pela situação difícil, ele acabou assumindo um papel importante e muito desafiador para quem tinha apenas 10 anos: a de ser a única figura masculina da casa.

Ficávamos sozinhos antes de irmos para a escola e ele cuidava de mim. Ia para a cozinha e até fritava ovos com bacon no café da manhã! Acho que começou aí nossa parceria de sentarmos juntos para comer na cozinha!

Depois que crescemos, ele ainda continuava me chamando para ir à cozinha e comer um bolo, tomar um chocolate batido ou qualquer outra coisa. Às vezes eu nem estava com fome, mas ia só pra fazer companhia para ele.

Foi por causa dele que me interessei por futebol e o acompanhava ao estádio toda semana. Aprendi o que era impedimento e sabia o que era um jogador dar uma “paulistinha” no outro!

Meus tios falavam para os meus primos: “Vocês têm que ser como o Gui e a Bela!” É claro que também brigávamos e o meu irmão sabia exatamente o que falar para me provocar (e vice-versa!). Mas, acima de tudo, sempre fomos muito amigos.

A vida seguiu e ele foi para longe. Morou 15 anos no exterior, mas apesar disso, nunca fomos distantes, pois ele sempre acompanhou o que se passava comigo e com a família. Ah! E com o Corinthians! 😀

O Guilherme tem um papel muito importante para mim, pois mais do que um irmão, ele é meu amigo, meu defensor, meu conselheiro. É minha referência para tantas coisas!

Juntos enfrentamos muitas lutas, tristezas e decepções em nossa família. Juntos sofremos, mas também juntos vencemos. Por isso, nesse Dia dos Pais, minha homenagem vai pra ele! E que os meus pequenos possam ser assim, tão parceiros como “o Gui e a Bela”!

E você, que homenagem deixaria aqui para o seu pai ou quem representa a figura de pai na sua vida?

Até a semana que vem!

Isabela Munhoz

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Marcia diz:

    Meu pai, Waldemar, exemplo de garra e de superaçāo, exemplo de lutador e vencedor na vida.

  • Cristina diz:

    Poxa que texto emocionante. Estou pensando agora que nunca agradeci meu irmao por tanta protecao. Ele tambem era a figura masculina na casa e exerce muito bem sua posicao de nos proteger, mesmo hoje todos casados..

    • Isabela Munhoz diz:

      Aproveite e agradeça a ele então, Cristina!
      Temos que aproveitar enquanto temos essas pessoas queridas em nossa vida e mostrar o quanto são importantes para nós!
      Beijos!!!

  • Tati Carric diz:

    Que linda homenagem!!

    Graças a Deus tive o prazer de ter o meu Paizinho sempre presente, amor incondicional 😍👏🏼👏🏼👏🏼

  • milca diz:

    Minha gratidão, nesse dia dos pais vai para minha mãe, que nos criou,sem meu ,pai que era doente,e que veio a falecer e a minha sogra que também criou meu esposo,pois meu sogro tambem esteve adoentado e a ele por ser um pai zeloso,agradeço à Deus pela sua misericórdia para com a minha família Feliz dia dos pais! 💋💋💋💋💋

    • Isabela Munhoz diz:

      Que bacana, Milca!
      Muitas são as mulheres que exercem esse papel de mãe e pai ao mesmo tempo, parabéns a todas essas guerreiras!

  • Silvana diz:

    Nossa que depoimento maravilhoso.eu tive um pai maravilhoso apesar do pouco tempo com ele ,pois ele faleceu eu tinha 13 anos mas me lembro quando ele me acoradava pra ir com ele ao mercado vender algumas verduras e legumes ,das vezes que me ensinou a andar a cavalo ,a brincar no rio kk e muitas outras coisa do interior.

  • MARIA SOUZA diz:

    Eu não tenho pai mais tive um pai maravilhoso feliz dia dos pais a todas voceis bjs

  • Monique diz:

    Poxa pena serem corinhtianos!!

  • Klewer diz:

    Lindo texto… Lança um outro olhar sobre a relação de irmãos que eu talvez nunca tenha percebido: o quanto nós homens nos sentimos “responsáveis” por vcs, nossas irmãs mulheres!
    Eu homenageio meu pai, que mesmo nas batalhas mais difíceis, sempre se manteve de pé e forte!!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: