“Estou desesperada com tanta dívida!”

Infelizmente não são poucas as pessoas que se encontram em uma situação desesperadora por causa de dívidas que parecem impossíveis de serem pagas. O que fazer quando a situação chega a esse ponto?

dívidas

Ontem falamos sobre a relação reputação pessoal X administração do dinheiro (para ler, clique aqui) e vimos que as duas coisas estão estreitamente relacionadas. Mas sabemos que muita gente está passando por momentos complicados financeiramente e não vê a hora de sair desse turbilhão de juros.

Porém, a primeira coisa que uma pessoa super endividada (ou nem tanto) deve fazer é manter a calma. A ansiedade e a pressa têm feito muita gente se enrolar ainda mais. Veja porquê:

Quando se tem dívidas as cobranças são inevitáveis, seja por e-mail, por SMS, por cartas ameaçadoras ou por telefone. As ligações costumam acontecer ao longo de todo o dia, pois há empresas de cobranças que são pagas para – literalmente – pressionar o devedor até que ele ceda. E é aí que mora o perigo….

Vou ilustrar com o caso de um amigo que estava com duas dívidas: limite da conta e cartão de crédito. O total das duas não chegava a 18 mil reais, mas ele já estava pirando com duas empresas de cobrança que ligavam todos os dias em dois telefones fixos (casa e trabalho) e nos celulares (dele e da esposa). Pode parecer bobagem, mas o fato de receber oito ligações por dia – inclusive aos sábados – fez com que ele quase entrasse numa super fria!

Uma das empresa propôs somar as dívidas e fazer um parcelamento único e ele quase aceitou, pois estava farto das cobranças. Na hora, a proposta pareceu a melhor solução, mas o problema é que se tratava de algo, no mínimo, absurdo: 48 parcelas de R$ 1.620,00.

Sim! Qua-ren-ta e oi-to vezes de mil, seiscentos e vinte reais!

 

 

252449743-freckle-call-center-agent-telemarketing-hotlineA questão é que a pessoa do outro lado da linha, encarregada de passar os termos do parcelamento, falava com uma voz suave e super amigável, dizendo: “olha, senhor Fulano, foi aprovado para o senhor hoje uma condição especial de R$ 1.620 mensais, não fica pesado, não é mesmo? Mas é só hoje! Assim as ligações param hoje mesmo! Vai ser muito bom se livrar desse peso, não é mesmo? Posso dar prosseguimento?” 

Mas quando se questionou QUANTAS parcelas de R$ 1.620, o que se ouvia era “um momento”…. “olha, estou vendo aqui no sistema”…. “é isso mesmo: R$ 1.620, está aprovado!”  Foi só com MUUUUITA insistência que ela disse com a voz mais doce do mundo: “48 parcelinhas, senhor! Estou dando sequência, tudo bem?”

Quando soube daquilo quase surtei! Essa proposta ABSURDA faria com que uma dívida que não chegava a 18 mil, alcançasse a incrível marca de R$ 77.760! Mais de SETENTA E SETE MIL reais!!! Quase quatro vezes e meia o valor devido…. Valha-me Deus!!

Billsbills

O que fazer diante de casos assim, onde se deve muito e não se tem o dinheiro para pagamento à vista? Aqui vão algumas dicas:

  1. Não entre no joguinho das empresas de cobrança e não aceite propostas absurdas apenas para se livrar do incômodo;
  2. Não haja com o sentimento. Dinheiro é matemática e raciocínio, não tem nada de emoção, por isso, não haja por impulso, não fique desesperada e não perca a cabeça;
  3. Pese as consequências com a cabeça fria. As cobranças geralmente vêm acompanhadas de “ameaças veladas”, quando o cobrador diz que seu nome pode ser negativado, seus bens podem ser tomados etc. O que você precisa é conhecer as reais consequências de suas dívidas e verificar racionalmente o que pode ser feito. Consulte um advogado se for preciso.
  4. Você pode ficar meio assustada com esta dica, mas lá vai: não se deixe vencer pela questão do nome sujo! Ninguém quer ter o nome sujo, é óbvio, mas alguns credores super valorizam o fato de ter o nome limpo para promover o que eu vou chamar aqui de extorsão legalizada. Pronto, falei! Não caia nessa. Honestamente, é melhor ter o seu nome negativado por um período do que aceitar um parcelamento absurdo e pagar 4 ou 5 vezes mais o valor devido. Em algum momento o seu credor terá que oferecer uma proposta decente, não aceite ser extorquida!
  5. Quando você não tem como pagar todas as dívidas, comece pelas de juros mais altos e vá negociando. Se dizem que você deve 5 mil, não vá aceitando logo de cara. Peça para ver qual era o valor inicial da dívida e quanto são os juros. Por exemplo: uma dívida inicial de R$ 1.500 pode ter subido para R$ 5.000 por ter R$ 3.500 de juros. Nesse caso, tente negociar e chegar o mais perto possível da dívida inicial, no caso, R$ 1.500, cortando todos os juros possíveis. O seu credor não é obrigado a aceitar a sua proposta, mas não custa propor. Afinal, há quem prefira receber 2 mil do que nada…
  6. Seja firme. Eu sei – por experiência própria – que quem deve se sente um lixo, um monte de nada, uma pessoa sem valor (conto minha experiência de super endividada no livro Bolsa Blindada). Mas você precisa erguer a cabeça e não deixar esses sentimentos aflorarem. Você está devendo, ok!, mas em um país onde mais da metade da população está na mesma situação, qual é o problema? Dever é uma situação ruim, mas isso não define quem você é. Eu fui uma super endividada e hoje sou consultora financeira. Se eu pude, você pode!

Capa_BBSe você está nessa situação, cheia de dívidas, sem saber como pagar e perdendo o sono por causa das cobranças, aconselho que você use a sua energia em algo muito melhor: leia o livro Bolsa Blindada, pois ele poderá ajudá-la a enxergar uma saída.

Nele, ensino de uma forma bem simples os conceitos de economia e como colocar as suas finanças em ordem, não importa o quanto estejam bagunçadas! Conto minha experiência de ex-super endividada e sei muito bem o quanto essa situação pode afetar e traumatizar uma pessoa. Mas também sei que é possível sair dela!

Vai valer a pena investir seu tempo na leitura. Para adquirir o livro, clique aqui. Você recebe em casa, autografado e com um brinde exclusivo. 😀

Convido você a cadastrar-se aqui no blog para ser avisada a cada nova postagem, assim você não perde nenhuma dica!

Cadastre o seu e-mail agora!
Cadastre o seu e-mail abaixo e receba todas as nossas novidades!

Nos vemos!

 

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • MARCIA VALERIA MAGALHAES ALMEIDA diz:

    Realmente essas ligações estressam muito, principalmente quando a ligação não é pra vc. Aqui em casa ficam ligando atrás de uma pessoa que não conheço. Já falei que não sei quem é, mas eles continuam ligando nos horários mais inconvenientes possíveis. Dá vontade de dizer que a pessoa morreu pra ver se desistem.

  • Maria Carolina Ramos diz:

    Bom dia, há alguns anos tive um revés financeiro, fiquei devendo banco e um monte de coisas, foi horrível a tal cobrança. O Bradesco me mandava propostas inatingíveis, fui várias vezes à agência e não fiz o “acordo” Fiquei com o nome negativado por 5 anos, então, quando a dívida já estava prescrita, me dirigi à agência do banco e fizeram um acordo maravilhoso, vou terminar de pagar o mês que vem, foram 12 parcelas de R$-187,68, uma dívida que diziam estar em mais de R$-14.000,00, tem que ter sangue frio para enfrentar e saber esperar a hora do banco credor ceder.

    • karyne de oliveira diz:

      Estou passando pela mesma situação e a assessoria de cobrança do Bradesco enviou uma carta pra min dizendo que se eu não fizesse o acordo iria um oficial de justiça leiloar meus bens a minha divida é menos de R$2.000 referente a cartão de credito.
      Vou tentar negociar um valor mais baixo para quitar minha divida e por minha vida em ordem.

      • Patrícia Lages diz:

        Agora vc pode parcelar a partir de maio e o banco é obrigado a lhe propor um parcelamento e não mantê-la mais no rotativo. Beijos!

  • Regiane Aguiar diz:

    Verdade Paty, as empresas querem tirar proveito, e são insistentes e até inconvenientes nas ligações não respeitam nem o horário comercial. Poxa, quem deve já se sente uma porcaria e ainda é aterrorizado pelas empresas…ninguém merece. Eu sempre procuro saber o valor inicial da dívida e faço contra propostas não aceito pagar juros absurdos, pois afinal tudo que a gente compra neste país já vem recheado de taxas e juros. “Daí, pois a César o que é de César” mas sem extorsão né. 😉

    • Patrícia Lages diz:

      É exatamente isso, Regiane. Já pagamos coisas de mais, chega de abuso!

  • simone diz:

    bom dia partica em fui cai na besreira de pagar o minimo do cartao durantei 9 mes qui quase fui a falencia finaceira tiver qui vender um terrenco pra pagar divida todo mes pagava juros abisurdo qui quais entreiem depresao de ter qui quase perder tudo por causa dous juros do minimo e ai depois qui comesi ler seus livro qui eu tenha uma auternativa de fazer um pacelamento e nao sabei aprendei lendo seus livros qui agora parcelei a divida estou vendo a luiz no fim do tunio cartao nuca mais

  • Alexandra diz:

    Essas dívidas acabam com nossa paz. A empresa do meu marido quebrou e não conseguimos pagar um cartão. Uma empresa comprou a dívida (pq na prática é isso que acontece) e está judicialmente nos cobrando. PAgamos advogado, mas perdemos na primeira instância. Um absurdo. Estão pedindo 50 mil reais. A dívida não era de 15 mil. Não aceitam parcelamento, nem um acordo razoável. O pior é que não consigo pagar.

  • Priscila diz:

    Dona Patrícia, louvo a Deus pela sua vida!!! O que você faz todos os dias através de suas postagens são verdadeiras ofertas para Deus. Você não tem ideia do quanto já me ajudou e tem ajudado dia a dia. Estar em uma situação turbulenta, pressionada de todos os lados e parar, ler um poste como este que parece que você adivinhou o que eu estou passando…da um alívio e até forças para seguir confiante. Isso não tem preço!!! Muito obrigada!

  • Luana diz:

    Deus se manifestas de várias formas…seus posts são uma delas.
    Obrigada pela ajuda você realmente faz a diferença!
    Abraços!

  • Joselene Lima diz:

    Puxa Patrícia, que legal esse post. Confesso que tenho sofrido muito por causa de dívidas, mas tenho mantido a calma, afinal, embora o mundo capitalista te olhe como um lixo que você não é, tenho consciência do que sou e de minha capacidade de me reerguer. Você é mesmo uma mulher admirável, pois apesar de ser racional, também é muito sensível a dor do outro, ajudando sempre com dicas preciosas. E que lindo testemunho o seu, isso só prova o quanto você é especial e merece estar onde está. Um abraço de sua admiradora.

    • Patrícia Lages diz:

      Obrigada, Joselene!

  • Miriam diz:

    Bom dia Patrícia. Esses leilões online São confiáveis.?

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Miriam. Nunca participei de nenhum. O legal seria vc dar uma olhada no Reclame Aqui para ver a reputação de cada um. Beijos!

  • Laura diz:

    Linda Patrícia!

    Li o post de hoje e fiquei pasma com o absurdo que fazem com as pessoas que devem.

    Sabe passei por essa pressão também, ao ponto de falarem que iriam pendurar meus bens!

    Sabe respondi muito calma: pode penhorar não tenho nada em meu nome!

    Entao a pressão mudou: vamos penhorar seu salário, no momento eu fiquei tranquila e não me intimidei.

    A dívida que era 3 mil euros, reduziram para 1.500.
    Ou seja paguei parcelado e paguei apenas o que devia, os juros foram perdoados.

    Não podemos aceitar as condições loucas imposta por esse povo.

    Acredito que as pessoas não ficam cheia de dívida porque querem, imprevistos acontecem, e essas empresas aproveitam pra lucrar em cima dessas pessoas que por um motivo ou outro acabaram se descontrolando .

    Abraço

  • KATIA MARIA KANTOVITZ TEIXEIRA diz:

    Bom dia. Paty eu acabei caindo na armadilha e fiz o tal do acordo exorbitante. Hoje não estou conseguindo pagar? Nesse caso como proceder?

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Katia! Como já existe um contrato, eu creio que o melhor seria consultar um advogado, o juizado de pequenas causas ou o Procon. Beijos!

  • Debora diz:

    Estou nesta situação… Me enrolei com alguns cartões e dívidas dos outros no meu nome…
    Até penso em fazer um empréstimo consignado para ver se quito as dívidas, no entanto penso no juros que vou pagar, além de que no fim do mês não receberei quase nada…

  • Rosemary Pedro diz:

    Patricia,

    Boa tarde!

    Estou com uma dívida absurda em um determinado banco. Tenho pago com dificuldade o valor de R$ 1230,00 aproximadamente. Esse valor corresponde 50% do meu valor liquido de salario. Moro em casa de aluguel. Alem do valor apresentado tenho ainda cheque especial e cartão de crédito, tudo no mesmo banco. Estou pensando em saldar um emprestimo adquirido em outro banco, que corresponde um valor em torno de r$ 1300,00 no total e deixar de pagar a divida maior. Tenho outras contas miúdas que necessito terminar e só depois negociar com o banco correspondente a divida maior.
    O que devo fazer? Estou desesperada. Nunca estive em uma situação tão complicada como essa.

    • Patrícia Lages diz:

      Olá, Rosemary! Como não sabemos que tipo de acordo vc fez (veja se vc ficou com uma cópia do contrato assinado), seria melhor vc consultar um advogado. Pode ser um da Defensoria Pública, que é gratuito, para que vc não tenha mais esse gasto. Antes de mais nada, é preciso saber quais serão as penalidades por deixar de pagar essa dívida maior. Depois disso é que vc poderá fazer a escolha sobre o que pagar primeiro. Lembre-se que a dívida foi feita em termos legais, então é preciso saber quais são. Beijos

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: