Disque 190, emergência!

Rápido, é caso de vida ou morte! A coitada da gramática, com suas amigas ortografia e conjugação verbal estão nas últimas, mas ainda reuniram forças e mandaram uma mensagem de seus leitos moribundos!

Elas vêm sendo ameaçadas há muito tempo, mas agora com os e-mails e as redes sociais, estão quase abotoando o paletó de madeira!

propagandaMuita gente acha que falar inglês e espanhol vai abrir as portas das oportunidades e, ultimamente, tem até quem se disponha a aprender mandarim. Mas honestamente, se você não DOMINA a sua própria língua, aquela que você fala desde que nasceu, vai ser difícil se dar bem em outra. Além disso, já pensou estar em uma reunião importante e soltar um “a gente vamos” ou “eu vou ir lá”? Ui… que medo!

 

placaEstamos vivendo o que chamo de EEE “Epidemia da Escrita Enigmática”, ou seja, aquela que temos que adivinhar o que quer dizer aquele monte de letras mal organizadas, sem pontuação, sem vírgula e sem qualquer acento… Por favor, não se acostume a esse massacre da Língua Portuguesa e avise a todos que puder que:

 

  • Voçê não existe. Ç só precede a, o, u.
  • Derrepente ou Derepente, também não, só De repente.
  • Usem os infinitivos: dormir, sair, ler e não essa nova “moda” de dormí, saí, lê.
  • Não existe menas, nem seje, nem esteje. O certo é menos, seja, esteja.
  • Não existe porisso, concerteza, com migoindentidade, mortandela, sombrancelhasalchicha… O correto é por isso, com certeza, comigo, identidade, mortadela, sobrancelha, salsicha.
  • A hora também não é meio-dia e meio e sim meio-dia e meia (de meia hora).
  • Esqueça o obrigado se você é mulher. Para nós é obrigada.
  • Agente é uma profissão. A variação de nós é a gente.
  • vem do verbo haver. Não tem “… que dia lindo!” Mas sim “Ah… que dia lindo!”
  • Mim não é uma pessoa e não conjuga verbos. Não existe para mim saber só para eu saber.

Essas duas fotos eu não aguentei e tive que colocar!

2-tatuagem-erro-portugues images

Mas, a dica é a seguinte:

  • Compre um bom dicionário e leia-o de vez em quando para aumentar o seu vocabulário. Consulte-o sempre em caso de dúvida. Dicionário é o pai dos espertos e não dos burros, como dizem por aí. Não confie na internet!
  • Nunca envie um e-mail, escreva nas redes sociais ou termine um texto sem lê-lo pausadamente e verificando se está correto ANTES de enviar. Faça disso uma lei.
  • Leia mais. Muita gente diz que não tem tempo, mas se você andar sempre com um bom livro na bolsa, vai ver que a fila do banco, do supermercado ou aquele tempo esperando o ônibus será bem mais produtivo e menos chato.
  • Veja os cem erros mais comuns em: http://www.culturatura.com.br/gramatica/ortografia/erros.htm
  • Não tenha vergonha de perguntar e, se achar necessário, compre um livro de gramática e volte a estudar. Vergonha é escrever do jeito que se vê por aí…

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Karla diz:

    Teve uma outra que tatuou FAMILHA. É realmente vergonhoso, e não tem desculpas, pois conheço pessoas que nunca forma na escola e escreve e fala muito bem.

  • Vânia Maria Gabriel de Souza diz:

    Já vi o versículo bíblico escrito no vidro traseiro de um carro: “O Senhor é meu Pastor e nada mim faltará”!

  • ELAINNE diz:

    MAS ESSA TATUAGEM JA FOI EXPLICADA. MARIDO E MULHER TATUARAM A MESMA FRASE EMBORA TENHA CONSCIÊNCIA QUE ESTA ERRADO É UMA MANEIRA “CARINHOSA” DE SE TRATAREM .

    • Patrícia Lages diz:

      Sim, eu vi a entrevista deles, mas essa “coragem toda” me pareceu absurda!! rs…rs…

  • Daniela diz:

    Muito bom seu post!!
    Amo a Língua Portuguesa! São tantos erros nas redes sociais, que chega a “doer a vista”… rsrs
    Mas parece que tem uma vertente que defende que, se a comunicação é realizada, então não importa a maneira como está escrito… Discordo completamente!
    E o grande motivo deste “óbito” da Língua Portuguesa, sem dúvida, é a falta de leitura.
    No meu tempo de escola (ufa, faz muitooo tempo), estudei em Escola Pública. Tinha a literatura obrigatória e, graças a Deus, meus pais sempre tinham condições de comprar os livros novinhos para mim, ou eu os pegava emprestado na biblioteca do bairro. Porém, eu os lia, todos!! Não tinha internet naquele tempo (what?). Amava ler. Desde criança eu lia gibis, revistas, jornais… Até hoje ainda leio tudo: rótulo de shampoo, bula de remédio, rsrs. Mas é isso que constrói nosso repertório. bjos

    • Patrícia Lages diz:

      Eu tb, Dani. Sempre estudei em escola pública e aproveitei tudo o que podia. Bons tempos!!

  • Luciana Anjos diz:

    Paty, seu trabalho além de incentivador, é esclarecedor. Nossa educação realmente é caso de urgência, temos que retomar nossa cultura e nosso idioma. Me sinto orgulhosa de ler um post como esse, em acreditar que não podemos desistir. Você é, sem dúvida, um mecanismo para enobrecer a informação que nos falta. Parabéns pelo seu lindo trabalho. Vamos ler mais Brasil!!

    • Patrícia Lages diz:

      Obrigada, Luciana. Eu acredito que a gente pode mudar essa situação!

  • Fernanda Xavier diz:

    Que absurdo não…e ainda tatuar?! uiii

    • Patrícia Lages diz:

      hahahaha… é a perpetuação do absurdo, Fernanda!

  • Hilda diz:

    Super bacana esse post, bem humorado e esclarecedor, triste é ver pessoas que sabem que estão erradas, e mesmo assim fazem questão de expor sua “burrice”…
    Sem falar em outras que apoiam.
    Como diz minha filha de 04 Anos “Ajuda Senhor!”.

    • Patrícia Lages diz:

      Ajuda!!! rs…rs…

  • Vanessa diz:

    Nossa… Quantos erros… Gostei muito desse artigo…

  • Camille Lago diz:

    E eu achando que o “haja o que hajar” foi massacrante, rachei de rir quando vi o “degavar” kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Me fez lembrar de uma dessas fotos que compartilham no facebook – Tinha o rosto de uma mulher chorando e dizia: “Fiquei encantada com o perfil dele, mas quando perguntei se era solteiro ele respondeu: CIM” hahahahaha

    Escrever errado pra mim é quase inaceitável, não existe desculpas para alguém não aprender sua própria língua. O que impede as pessoas é a falta de interesse. Conheço pessoas que são formadas e postam coisas com erros bobos como os que você citou, e gente mais humilde que sabe escrever muito bem. Hoje, temos a informação à nossa disposição como nunca tivemos, temos que aproveitar. Por isso antes de eu escrever qualquer coisa, ainda que seja uma frase, eu leio umas dez vezes, quase um TOC rsrsrs

    • Patrícia Lages diz:

      É verdade, Camille. É muita falta de interesse mesmo. É achar que porque passou a mensagem já está bom. Padrões muito baixos para qualquer idioma, né? Bjs!

  • Pati Monteiro diz:

    É sempre muito bom aprender Pati…concordo com o comentário da Camille Lago”não existe desculpas para alguém não aprender sua própria língua. O que impede as pessoas é a falta de interesse.Bjs

  • Polieny diz:

    Olá Patrícia,
    É vergonhoso a forma pela qual a maioria das pessoas escrevem hoje em dia, com a popularidade das redes sociais, quem sofre com isso tudo é a coitada da gramática, em que as pessoas simplesmente criam novas palavras, reduzem outras….e no fim acaba virando algo normal!

    Gostei do post 😀
    Abraços!!!

  • Kei diz:

    Alguém aqui já ouviu falar em “Preconceito Linguístico”?
    Já houve uma época em nosso país em que falar “você”, e muitas outras palavras que sofreram varrições durante o tempo, seria totalmente errado.
    Pesquisem 😉

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Kei. Não tenho nenhum preconceito linguístico, mas aceitar esse tipo de erro que se vê hoje é tolerância demais. Não vamos confundir indignação com preconceito. Eu não aceito mesmo que as pessoas não liguem a mínima para um idioma tão rico quanto o nosso. É preciso ter mais respeito, e não aceitar esse padrão tão baixo.

  • Shirley Cantinho da Mulher Irresistível diz:

    Oi Patrícia tudo bem? Eu moro em Portugal e lembra que eu te escrevi dizendo que o site Amazon.com vendia o livro muito caro, a 29 Dólares (+-65 Reais)? Bem, hoje finalmente consegui comprar o ebook Bolsa Blindada no site da Livraria da Cultura! Já comecei a ler e não consigo parar, estou adorando, amei quando você escreveu “Mindá Muiéda” muito divertido o livro e ao mesmo tempo nos ensina tanto e olha que estou só no comecinho ainda. Como estou adorando o livro e tive tanta dificuldade para encontrar o ebook numa loja que aceitasse pagamento com cartão visa Internacional e cobrando o mesmo valor que cobra no Brasil, eu me cadastrei como afiliada na Livraria da Cultura e estou divulgando o link do ebook no Face e, assim que eu terminar de ler o livro vou escrever sobre ele em meu Blog e juntar também o link para quem quiser comprar. Se você quiser divulgar o link para venda do seu livro em ebook para o estrangeiro é http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/externo/index.asp?id_link=13170&destino=/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=61507043&
    Beijos e muito obrigada por escrever este livro, com certeza ajudará muitas mulheres a conquistar uma vida financeira próspera 🙂

    • Patrícia Lages diz:

      Que bom que vc achou, Shirley. E obrigada pela divulgação!!! Bjs

  • Aline diz:

    Já estudei no Japão,naquela época a gente por ser estrangeiros lá.Nós brasileiros, tínhamos uma professora de Português ,na qual a professora sempre nos dizia que tinha uma aluna de outro país que aprendia L.Portuguesa com ela,e ela dizia que de todos os idiomas ,o mais difícil é L.Portuguesa,pois ela ter muitos termos e ser muito complexa,sendo bem diferente até mesmo do inglês e do japonês.Que têm conjugações simples.Mas gostei muito das suas dicas ,pois pelo fato de eu ter ficado muito fora do Brasil ,eu falho muito no português,por isso gostei muito dessa matéria porque à 6 meses atrás até perdi um emprego,porque a supervisora dizia que eu usava muito “gerundismo´´.Patrícia você têm alguma sugestão de um bom livro de gramática?Pois quero aprender mais.Bjus!Obrigada,enquanto ao livro Bolsa Blindada é ótimo .li em menos de 1 semana,e estou procurando praticar aos poucos.

    • Patrícia Lages diz:

      Oi, Aline. Sim, a língua portuguesa não é fácil. Minha irmã morou quase 18 anos fora e voltou há 2 anos. Mesmo sendo brasileira, ela teve que aprender várias coisas de novo. O que eu recomendaria a você é um livro comum de gramática para que você veja em que nível está. Comece com um simples e depois vá se aprimorando. E tb escolha bons livros para ampliar o seu vocabulário. Bjs!

  • Joselene Lima diz:

    Muito bom esse post! Graças a Deus não “sofro desse mal” e atribuo isso ao hábito de ler desde a infância. Sou divorciada e um dos requisitos para que eu não queira um rapaz é se este escrever ruim kkkkk Com o novo acordo ortográfico, até nós que escrevemos bem temos que ter todo um cuidado para não errarmos. Com certeza pega muito mal o cidadão não dominar o próprio idioma.

    • Patrícia Lages diz:

      Eu até dou um desconto para coisas que chegaram com a nova ortografia, pois nem todo mundo se habituou, mas o restante acho que é nossa obrigação, né? Bjs e obrigada por estar sempre aqui com a gente! 😀

  • Marcos diz:

    Não sei se vocês notaram que na segunda foto, além do absurdo do “equiça” há um erro de acentuação na letra a. Não deve ter o acento grave, pois não cabe uma crase neste caso (a palavra camisa já possui o seu artigo – uma) muito menos o agudo que não existe para um monossílabo, exceto para o verbo “ser” na 3° pessoa do indicativo presente – ” ele é”. Este erro ocorre com frequência pois muitos não sabem identificar se o “a” deve ser craseado. Abcs.

    • Patrícia Lages diz:

      É verdade, Marcos. Esse é o acento que causa mais dúvidas, mas nesse panorama o “équiça” acabou até abafando o problema da crase!! rs…rs….

  • Lúcia diz:

    A GENTE DÁ RISADA MAS… ISSO É SÉRIO!
    GOSTEI DO ALERTA, PRINCIPALMENTE AO RESPONDER E-MAILS OU POSTAR NO FACE,
    COM A PRESSA, ESCREVO DE FORMA ERRADA E “COMO TODO MUNDO FAZ” EU ME DOU
    O DIREITO DE FAZER ERRADO TAMBÉM. ISSO É VERGONHOSO E TEM DE SER MUDADO,
    NÃO POSSO ME CONTAMINAR COM A MAIORIA.
    OBRIGADA PELAS EXCELENTES DICAS E VOU VOLTAR A ESTUDAR MAIS A NOSSA GRAMÁTICA.
    E UMA BOA OPORTUNIDADE É PEDIR AJUDA PARA OS NOSSOS FILHOS, NO MEU CASO, PARA MEU FILHO DE 17 ANOS,
    ASSIM ESTREITAMOS LAÇOS, FORTALECEMOS NOSSOS VÍNCULOS, PASSO MAIS HORAS COM O MEU FILHO E APRENDO
    COMO CONSEQUÊNCIA. OBRIGADA PATRÍCIA E BEIJOS!!!

    • Patrícia Lages diz:

      Que ótima ideia essa de estudar com seu filho, Lúcia. Arrasou!

  • Ede diz:

    Hola Paty, voy a escribir en español, para mi propia seguridad moral, jajaj. Estoy viviendo en Brasil hace 5 meses y estoy trabajando de cajera en una farmacia. Es increible como las personas no estan muy acostumbradas con los extranjeros, y eso que no hablo tan mal!! Jaja, lo que pasa es que tengo todavia “sotaque” argentino, jeje. Igualmente me di cuenta que no es solo conmigo no, hasta con mis compañeros, la gente esta muy acostumbrada a decir: OI?
    Es como que la gente se escucha cada vez menos y no tratan mucho de comprender; Y ni te cuento cuando van a pagar hablando por telefono… pero eso es otroooo tema, jeje. Besos.

    • Patrícia Lages diz:

      Es verdad, las personas escuchan cada vez menos. Es como si tuviéramos que hablar todo dos, tres veces cada cosa y eso cansa.Por otro lado, cuando las personas encuentran a alguien que les de atención, se ponen muy contentas (rechochas como se dice!!). Esa es nuestra oportunidad de ser diferentes! Saludos 😀

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: