Assumir o erro é o início do acerto

Sábado bati o carro e aprendi uma super lição que não poderia deixar de compartilhar com você!

imageTenho andando bem cansada das viagens das últimas semanas e, ainda por cima, tentando não ficar doente com as mudanças bruscas de temperatura, uma hora 10 graus negativos, outra hora quase 30 positivos… Haja saúde!

Mas chegou o sábado e eu já resolvi na sexta à noite que tiraria esse dia para descansar muuuuuuito. Só que, ao verificar a agenda vi que tinha que dar uma entrevista de manhã para um programa de webTV e, à noite, haveria o casamento de uma amiga mais que especial.

Acabei dormindo bem pouco e, ao sair de casa para participar do programa, muito cansada e um pouco distraída, bati atrás do carro que estava à minha frente. Eis que desce uma senhora do banco do passageiro, muito nervosa sem nem mesmo olhar se o carro tinha sido amassado ou não. Logo atrás veio o senhor, que estava dirigindo e, sem dizer nada, esperou a esposa terminar de falar comigo. Depois, pediu gentilmente que ela entrasse no carro deles porque estava garoando.

Fui logo anotando a placa do meu carro, meus telefones e endereço (estava a umas 4 quadras de casa) e disse:

“Me desculpe. Eu me distraí e a culpa é toda minha. Pode ficar tranquilo que o seu conserto ficará por minha conta, o senhor não deve se preocupar com nada, a não ser que vai ficar uns dias com o carro parado na oficina…

Ele, muito tranquilo, me disse:

“Filha, é acidente e como o nome diz, acidente é acidente, não tem culpado.”

Em seguida a senhora voltou me perguntando o que eu iria fazer para resolver e o marido responde que já está tudo certo. Peço desculpas pela terceira ou quarta vez e digo que ela tem razão e que o erro foi 100% meu. Ela volta para o carro e ele me diz:

“Filha, não liga pra essas bobagens. Não vai ficar chateada e estragar seu dia, hein!” 

Quando cometemos um erro, a primeira coisa que devemos fazer para corrigi-lo é assumir a culpa. Eu poderia dizer que a garoa atrapalhou porque o carro não para no chão escorregadio (o que é verdade) e que ele andou e brecou do nada, sem razão (o que também é verdade). Mas, na real, se eu estivesse mais atenta não teria batido mesmo com todas essas variáveis.

Ao assumir meu erro acabaram-se os motivos para brigas no meio da rua e para preocupações da parte deles. Ninguém precisava se preocupar em me convencer do meu erro para, depois, eu repará-lo. Eu mesma já declarei isso e passei para a próxima fase. O senhor dono do carro logo entendeu minha postura e, por ser mais racional, viu que não foi grande coisa e ficou mais preocupado comigo do que com o carro dele, um querido! 🙂

Quando reconhecemos erros, mesmo que estes nos tragam prejuízos, demonstramos que o principal na nossa vida é o que somos e não o que temos. Não importa se eu vou ter que gastar dinheiro com a batida, o importante é que as pessoas vejam que eu jamais mentiria ou tentaria me esquivar de responsabilidade só por causa de dinheiro. Lembram da palavra de ontem do bispo Renato Cardoso?

“Eu sou maior que minha conta bancária e o meu Deus é maior do que eu.”

Ah, e não se preocupe, a batida não foi nada de mais, só que meu carro é alto e, por isso, meu para-choque amassou um pouco o porta-mala do outro carro… Não houve nada além do susto!

Nos vemos!

Jornalista com atuação no Brasil, Inglaterra, Argentina e Israel. Autora do best seller Bolsa Blindada e palestrante na Universidade de Harvard.

  • Carolina Nogueira diz:

    Nesse post vemos outra situação também. Pessoas que ao invés de perdoar, esquecer e seguir em frente ficam procurando briga, como essa mulher. Se a pessoa já reconheceu o erro, já pediu desculpas e disse que vai reparar o erro, para quê continuar falando do assunto? É muito chato isso. Realmente esse senhor foi ótimo, um exemplo. Ainda por cima sendo no trânsito, onde tem tanta gente estressada, mal-educada e nervosa. Que por qualquer coisa já está matando. Essas duas simples atitudes de reconhecer o próprio erro e deixar pra lá o do outro, podem salvar o dia e principalmente a vida.

  • Sula Laiane diz:

    O melhor de tudo isso foi a chance de deixar no ar o testemunho do Senhor Jesus. Diante dessa situação, o normal (para os carnais) seria mesmo entrar em uma discussão. Ao contornar a situação com toda essa mansidão e equilíbrio, ficou claro o Deus a quem d. Patrícia serve. Com certeza, a senhora que queria discutir deve ter pensado bastante nisso quando chegou em casa. Na verdade, ela é só uma pessoa que precisa de ajuda. O que parece é que ela queria qualquer motivo para descontar o problema em sua coluna, rs.

  • Vanessa (Shenzhen-China) diz:

    Que bom Paty… nada além do susto! Belo exemplo!! Incluindo tb na mesma situação… a sua humildade, mansidão, domínio próprio e mais… Como vc disse: o principal na nossa vida é o que somos e não o que temos! Beijinhos

  • Samira Tosas diz:

    É verdade amiga, quando somos calmos, evitamos brigas desnecessárias!! Beijos!!

  • Luciana Bodini diz:

    Que legal o que o motorista falou pra você Pati!Bjos!

  • Fernanda Xavier diz:

    Coisas da vida que nos ensinam! gostei da sua colocação sobre assumir e resolver, mas me chamou a atenção demais a postura dele e dela, Ele quem dirigia e estava sensato com tudo sobre o controle (emoções), ela que estava só ao lado estava a dar o “piti”, mesmo que com razão, mas dependendo da reação do outro neste caso você Paty, tava armada a confusão….Mulheres…necessário controlar as emoções! é nestas horas que se vê a diferença de pessoas para pessoa, e o domínio próprio aonde?!
    bjos

    • Patrícia Lages diz:

      Sim, geralmente somos mais emotivas a mais propensas a fazer papelões!! rs…rs… Serviu para que eu saiba me portar se a situação for ao contrário!

  • Steffanie diz:

    Verdade Paty, por isso que é necessário ter uma nova natureza. Pois a natureza humana tende para fazer ao contrário do que você fez.

    Parabéns pelo post. Nota 10!

  • Hammah diz:

    Que lição!!! Assumir os nossos erros, nos faz sermos cada dia mais verdadeiros, mesmo que tenhamos que pagar o preço! Muito legal Patty!

    • Patrícia Lages diz:

      Saudade de vc, Hammah!

  • joselene lima diz:

    Muito legal!

    • Patrícia Lages diz:

      Obrigada por sempre deixar seus comentários!

  • Charlene diz:

    Muito bacana o post!! Atitude de mansidão e domínio próprio para resolver este tipo de situação mostra também o caráter de Deus na pessoa. Parabéns Paty, lição pra todas nós! ah, tem previsão de vir pra Vitória – Espírito Santo? uma palestra por aqui seria ótimo… beijos.

    • Patrícia Lages diz:

      Sim, temos um convite para ir à Vitória! Estou aguardando a data e confirmo assim que souber!! Bjs

      • Charlene diz:

        Que ótimo. Aguardo ansiosa na torcida que seja breve. bjs.

  • Geanepontes diz:

    Realmente a gente aprende ainda mais quando assumimos os nossos erros… que bom que ficou tudo bem.

  • Julie diz:

    Paty que susto! Mas ainda bem que vc encontrou um senhor controlado e humano!!! 1 em 1 milao. Porem como vc mesma disse, a sua atitude provavelmente gerou essa reacao nele! Como o ditado ja diz ” Gentileza gera gentileza e o oposto tbm”
    Bjus e se cuide!

  • carmem lucia diz:

    Analisar as circunstancias antes de tomar qualquer decisão é necessário para evitar problemas extras.

  • Vânia Maria Gabriel de Souza diz:

    E sem contar, né, Paty, que quando conseguimos deixar o orgulho e os nossos motivos de lado e pedirmos desculpas, nos sentimos bem melhor!
    E da´prá ver claramente quem, “no trio da conversa”, estava precisando de conserto… rsrsrs
    Beijos

  • Danielle friash diz:

    Olá Paty! Passei por um situação igual… Ainda bem que o senhor do seu evento foi um Gentleman… 😛 E não como o rapaz que eu me deparei no estacionamento do supermercado… Acredite ou não eu apenas risquei o parachoque dianteiro (Literalmente 1 risco)mas acredito que ele acabara de comprar o carro… e saiu como um Leão atras da presa… e Eu estava com meu esposo …sai do carro e tentei conversar mas o moço logo veio me chamando de loira Burra entre outros elogios…KKKKKKKKK Hoje dou risada pois penso o que um risco pode causar nas emocoes da pessoa… E olha que eu tinha acabado de comprar o Meu carro …Mas Graças a Deus temos mansidao e sabedoria para lidar com essas situações e o melhor assumir. Bjinhos!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*


Carreira Profissional

Cartão de Crédito

Investimentos

Pagamento de Dívidas

Faça uma busca no site:

Acompanhe também a Bolsa
Blindada nas redes sociais:


Receba todas nossas novidades!

Livros Bolsa Blindada:

Desenvolvido por: